Arquivos mensais: junho 2010

3º Arraiá de São Pedro

Por em |

Oi gente. Sumi e o blog também né? Bom, foi tudo por causa de vocês, meus visitantes… que visitaram tanto o blog que a cota mensal de tráfego foi ultrapassada e deixou o blog offline. Mas eu já dei meu jeitinho e o blog voltou a todo vapor.

Como eu vim falando no twitter, sábado passado teria um terço para São Pedro na nossa chácara e tipo, o terço virou festa junina e rola sempre aquela preparação cansativa, porém muito satisfatória. Graças a Deus, esse ano não choveu e tudo ocorreu como planejamos… Enfim, acompanhem algumas fotinhas da festa. Não está muito boa não, mas dá pra ver a animação que foi.



O pessoal convidado compareceu em peso.
Os que não convidamos tambem foram bem recebidos e rezamos o terço.


Teve bolo, pau a pique, rosca, pão de queijo, biscoito, broa de amendoim e de fubá, pipoca e bolahcinhas. Sem contar o quentão, chocolate quente, chá, café e o tradicional vinho quente.


Depois do povo encher a pança de quitutes, a gente fez o casamento caipira. Foi muito engraçado.. foi meio improvisado e mesmo assim ficou engraçado. Em breve eu disponibilizo a estória desse ano aqui no blog também, ok?


A quadrilha também é tradição. Dançamos também, porém a gente se perdia pois nem tinha ensaio… mas foi divertido também.


Na primeira foto é o pessoal do casamento caipira, e na outra sou eu e minha tia (ambos pais da noiva). Reparem no chapéu chique da minha muié. hahahaha

Bom gente, é isso. Só queria compartilhar mais uma alegria com vocês. O meu figurino não é o mais chique, mas eu roubei uma calça do Fiuk. hahahaha #brinks Mas eu pintei ela de vermelho pra ficar um pouco diferente. Calça com remendo is so last week. =D

Inté mais viu, pessoar?

Guloseimas Artísticas

Por em |

Prepare seu estômago nesse momento, pois você verá as coisinhas mais bonitinhas e gostosinhas de todo o mundo. Lembrando, atente aos detalhes da “arte”. :mrgreen:





Gostou? Comeria tudo e ainda lamberia os beiços? Que pena.. pois isso tudo é sabonete. É seu guloso, isso tudo é sabonete perfumado, feito por uma artista plástica. Trabalho bem feito né? Engana a gente fácil, fácil. 😀

E aí? Topa uma mordida nessas tentações não-comestíveis? Quer ver mais? Veja clicando aqui. 😛 Abraços!!

Robô domesticado

Por em |

Pra quem é fã da Disney, sabe muito bem quem é Miley Cyrus. Ou melhor, a Hannah Montana. Bom, o que importa é que a Miley está se cansando da imagem e do status que sua personagem a continua dando. Não que não seja bom, mas ela quer ser ela mesma. Alguem não domesticada, dentro dos limites… alguem padrão Disney de ser. E para expressar esse desejo, ela decidiu trabalhar mais a fundo, e gravar um álbum genuíno, chamado Can’t Be Tamed que traduzido é, “não posso ser domesticado”.

Miley se dedicou bastante ao novo trabalho, tanto que maioria das faixas foram escritas e produzidas por ela. O álbum está muito bom e existe poucos erros. Eu dei quatro estrelas pois gostei muito do cd, porém há algumas exceções que acho super válidas a fazer.

Segue abaixo, um vídeo de um audio-preview do cd novo. Dá o play e acompanhe com o review. :smile:

P

rimeiramente o cd começa bem energético, “Não viva uma mentira, essa sua vida é única”, com esse trecho Miley chega arrebentando com Liberty Walk, que é um pop parecido com aqueles que a gente ouvia algumas boybands fazerem em 1999, sabe? Mas eu adorei, o refrão é chiclete, não sai da cabeça. Who Owns My Heart é mais electropop, ótimo refrão.. super dançante. Para não sai dos trilhos, Can’t Be Tamed vem com uma batida intensa do começo ao fim, a musica-titulo não deixa a desejar. Para amenizar a energia causada nas faixas anteriores, Every Rose Has It’s Thorn cai como uma luva, pois não é uma balada envolvente com uns solinhos de guitarras. Pronto, quando você relaxou, você é obrigado a sair do transe e voltar pra animação de Two More Lonely People, que também merece destaque, apesar de ter alguns violões e violinos, não faz jus a ser chamada de country. Forgiveness and Love é uma balada que vem em péssima hora, mas a música é linda e Miley não se perde ao canta-la. Logo vem Permanent December, que é muito pop e dá vontade de sair pra rua dançando… que nem em musicais. Muito boa essa faixa, merece destaque também. Stay é outra balada, porém essa foi escrita pro Liam, o namorado da Miley. É linda a música, toda trabalhada no piano, mas achei que a voz da Miley ficou muito dramática e abafada. Depois da tristeza de Stay, vem Scars que também vem pro time de animadas do álbum. O refrão também é ótimo, bem pop rock. Take Me Along não traz nada que mereça destaque, faixa fraca. Porém logo em seguida vem Robot que é o pop-rock-dance com mais gás do álbum. Miley a canta com sentimento, a letra é bem profunda, o que a torna o super destaque. E pra fechar com chave de ouro, My Heart Beats For Love é uma balada muito boa, envolvente. Gostei muito, ótima faixa pra deixar com gostinho de quero mais.

Enfim, o álbum nada domesticado da Hannah Montana não saiu nada do normal. Teve os destaques, porém não teve nada que a gente não tivesse ouvido e, ou não conhecia. Gostei bastante das músicas e dos arranjos. Mereceu as quatro estrelinhas, o nível da cantora subiu muito desde seu ultimo trabalho, o Breakout. O link do novo álbum vai estar nos comentários, seguindo o método do Samir.


– Eu cresci agora, e sou mulher!

Eletronic, um estilo viciante

Por em |

Se tem um estilo de música que me arrebata de tal forma, é o eletrônico. Nossa, eu adoro cada batida que esse estilo tem. Segundo o Wikipédia, musica eletrônica é toda música que é criada ou modificada através do uso de equipamentos e instrumentos eletrônicos, tais como sintetizadores, gravadores digitais, computadores ou softwares de composição. Os softwares são desenvolvidos de forma a facilitar a criação.

Tudo começou em 1857, quando Leon Scott, gravou pela primeira vez impressões de som em cilindros revestidos em carbono. Thomas Edison foi mais espertinho e patentiou a idéia como dele, bem estilo copycat. Mas foi Thaddeus Cahill, em 1897, que aprimorou o aparelho que hoje é conhecido como dinamofone, e deu aquele upgrade no projeto de Edison. A partir daí o tal aparelho só foi sendo melhorado por inventores de diversas épocas até chegar na era da fita cassete e dos discos de vinis. Na Segunda Guerra Mundial a tecnologia começou a tomar outras proporções. Logo seria criado o Eniac, o primeiro computador da história, que produzia sons a partir de sequências numéricas. A partir daí o computador tambem foi sendo adaptado e outros instrumentos criados, tudo para facilitar a nossa vida. Porém, em 1980 a musica foi realmente popularizada e explorada, digamos. Até então os arranjos não eram o centro das atenções. A primeira banda a adotar o estilo foi a New Order, seguida por Alphaville, Depeche Mode, Information Society, A-Ha e logo depois, Pet Shop Boys e Erasure.

Dai em diante, a música eletrônica foi se alastrando por todo o mundo e virando sensação em diversos países, que adaptavam tal gênero á festas e comemorações. Outros artistas se entregaram ao eletronic com tanta força, que deu certo. Entre eles estão Björk, Moby, Michael Jackson, Cher, Madonna, Kylie Minogue e diversos DJ’s.

Hoje em dia a musica eletrônica tem muitos sub-gêneros, e a cada dia mais artistas se rendem a esse estilo que é tão inovador. House, Techno, Synthpop, Trance, Dancehall, Disco e tantos outros fazem parte do tão poderoso Electro. Em baladas e raves, esse estilo é obrigatório, pois sem ele, essas festas não são as mesmas. O sub-gênero que gosto menos é o dance putz-putz.. aquele que o Dj Benny Benassi adora produzir.

Mas como a história da música não pára, novos artistas estão aí pra alegrar nossas vidas. Como você pode ver aqui, os mais influentes são Royksopp, Robyn, Kelis, La Roux, Little Boots, Uffie, Goldfrapp, Crystal Castles, entre outros. Sem contar se nem todos só produzem tal estilo. A nova geração está misturando muitos outros generos á musica eletrônica, a fazendo sair do comum. Atualmente, vários artistas, encorporaram a música eletrônica em suas produções, como exemplos temos, Black Eyed Peas, Britney Spears, Beyoncé, Lady GaGa, Mika, Kerli, M.I.A., Cascada, Gossip, David Guetta, Yelle, Justin Bieber e por aí vai.

Nos próximos posts vou fazer alguns reviews de ótimos álbuns de musica eletrônica pra vocês correrem a adotarem esse estilo pra vida de vocês. Até Christina Aguilera, a diva do pop R&B está se rendendo, quem somos nós para não dizer sim a essa maravilha, ein?

Season Finale: Glee

Por em |

Oi gente!

Infelizmente, semana passada foi ao ar o último episódio da primeira temporada de Glee. E eu como um bom gleek, vou dizer o que achei do episódio.

ATENÇÃO: Esse post conterá spoilers, e se você ainda não assistiu, peço que não leia. 😉

S01E22 – Journey

A cada dia que passa, o Glee Clube é ameaçado por alguma coisa. Nesse episódio, Sue Silvester anuncia a Will que será uma das juradas da Seletivas e que não vai aliviar. E como vocês sabem, se o “New Directions” não vencer, o grupo será extinto. Todos os integrantes se desesperam, porém Mr. Schue consegue virar a situação os animando com uma solução: cantar Journey. O casalzinho Finn e Rachel cantam um medley de Faithfully, Any Way You Want It e Don’t Stop Believin’. Uma apresentação bem calorosa, porém bem fraquinha… clichê!

A mãe da Quinn se separou do marido e a chama a filha de volta pra casa, e como em novela do Maneco, a bolsa da Quinn estoura. A apresentação do Vocal Adrenaline começa, e a musica é Bohemian Rhapsody do Queen, mas só o Jesse que faz o solo. Porém a dança é impecável.. muito coordenada. Enquanto a apresentação rola, Quinn está no hospital tendo seu bebê. Rachel vai encontrar sua mãe e pedir para ela ir para o Glee Clube, porém Shelby quer ter uma vida, e uma família. Agora, uma parte bem tosca que achei foi esta: Olívia Newton-John foi muito rude e ignorante, se ela é assim na vida real, eu quero ela longe de mim. Josh Groban foi legal. Olivia ainda humilhou Sue Silvester, dizendo que ela não é uma celebridade. Logo, Sue divulga o vencedor, que é claro.. o Vocal Adrenaline. Quinn e Puck decidem não ficar com Beth, e tipo, fiquei morrendo de dó.

Emma foi conversar com o Figgins sobre o fim do Glee Clube. Mas não adianta muito. Os alunos se reúnem no auditório e cantam To Sir, With Love, que caiu como uma luva nessa situação. Foi linda a apresentação, muito emocionante.. até a durona Sue chorou. Logo, a sala que o Glee ocupava foi esvaziada e Sue foi implicar com Will, mas acabou dizendo que fez o diretor Figgins dar mais um ano para o clube. Mr. Schue conta a novidade ao pessoal, e retribui a apresentação anterior cantando Somewhere Over The Rainbow no violão, bem estilo Jason Mraz. E o mais legal também, Shelby adota Beth e realiza seu sonho. FIM.

Não vejo a hora da série voltar com novas tramas, novos convidados, novas performances e tudo mais que a gente ama. 😉

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...