Arquivos mensais: junho 2011

No iPod: Super Bass – Nicki Minaj

Por em |

Nicki Minaj ficou mais conhecida depois de fazer muitos featurings em tudo que é música que lhe aparecia. Tanto que colaborou com Christina Aguilera, Mariah Carey, Will.I.Am, Rihanna, Kanye West, Jeffree Star e por aí vai. Seu visual é chamado de harajaku barbie, e suas perucas coloridas são sua marca registrada.

Musicalmente, Nicki é uma rapper totalmente freak e diferente. Eu adoro muito os feats dela e acho que dão outra cara a música. Pink Friday é seu álbum de estréia, e conta com MUITOS feats também. Minaj vem causando muita inveja ás rappers das antigas, principalmente Lil Kim que está muito incomodada com o sucesso da novata. Pô Kim, tem lugar pra todo mundo… não precisa jogar sujo.

Fica a dica a música nova de trabalho, Super Bass que é uma faixa da versão deluxe do álbum e que já virou single e tá bombando horrores no meu iPobre. O clipe é muito colorido e bem apelativo, já que Nicki encheu de homem sem camisa ZZzzzz Mas a música é boa e isso que importa. Acompanhe:


Adoro quando ela fica em cima da moto esculpida de gelo. GELADIISSSSSIMÁ! /marilac

2 anos sem Michael

Por em |


Sim, não parece mas já faz dois anos que o rei do pop morreu e deixou todos seus súditos com uma tristeza sem fim. Digamos que foi uma morte inesperada, já que ele falava muito que estava sadio e que sua última maratona de shows estava a todo vapor. Infelizmente sua vontade maior não foi cumprida. O mundo parou diante as noticias em que diziam que sim, Michael Jackson estava morto.

Durante dias, semanas, e até meses, o assunto não era outro no show-bizz. Todo mundo queria saber mais e homenagear o maior artista de todos os tempos. O único homem que se sentia como uma criança interrompida.

Se tem um artista que venero, que adoro de verdade e que deliro quando ouço tudo que fez, é o Michael. Um artista completo em todos os sentidos. É impossivel descrever uma pessoa que quando não estava cantando, estava ajudando aqueles que necessitavam. Ele se importava de verdade.

A mídia soube reconhecer o talento único de Michael Jackson, que logo se tornou ídolo mundial. Assim que problemas de saúde vieram a tona, a mesma o transformou em chacota e motivo de especulação. O fato do vitiligo e suas inúmeras cirurgias plásticas foi um caso a parte, o questionando sobre vaidade e não doença – quem sabe até tanta pressão da imprensa.

Enfim, MJ se foi em carne e osso, porém sua música e seus vídeos fantásticos continuaram vivos e em looping eterno. Fica aqui registrado uma das minhas baladas preferidas.

ZoomBoom: a remixtape da semana

Por em |

Com um feriadão em plena quinta, essa semana foi no mínimo estranha: tivemos duas sextas feiras. E pra comemorar, fiz uma remixtape com alguns lançamentos da semana, e claro que vou comentá-los abaixo. Dê play nessa bagaça e vem curtir esse som que mixei só pra você!

Intro: Daft Punk vs. SOS: Reach Out
Toda mixtape tem que começar com algo relevante. Escolhi o começo da música do Daft Punk, mesclada com “Reach Out” da Hilary Duff e “SOS” da Rihanna, que ambas tem o sample de “Personal Jesus”, do Depeche Mode.

Wanessa – Sticky Dough
Como já tinha comentado aqui, essa música é uma mistura de funk com electro pop. Achei ousado, mas ao mesmo tempo farofa, já que dubstep virou modinha e tudo que é artista está fazendo. Mas enfim, tô botando fé nessa nova era da Wanessa e acho que o cd novo vai ser bom demais. Vai bombar bastante nas pistas.

The Saturdays – Not That Kinda Girl
Bside novinha do grupo feminino que mais gosto ultimamente: as Sábadas. A música é muito pop europeu, e tem um refrão delicinha, muito chiclete e tudo aquilo que a gente curte.

Lady GaGa – Marry The Night
Um trechinho de MTN porque achei a melodia da anterior IGUAL a esse single da Gaga. No mais.

Nadine Coyle – Sweetest High
Nossa, ta aí uma que flopa bonito. Mas flopa bem, sabe? Nadine é muito injustiçada, uma vez que era uma das que mais se destacava no Girls Aloud, e hoje esta aí, a beira do flop alheio. Tudo que ela faz não vinga, apesar de ser tudo de muita qualidade. Falta mais veneno talvez, sei lá. Achei esse novo single bom, porém não chega perto de algumas músicas do Insatiable. Vamos rezar pra Nadine tomar um rumo, ou parar com essa vontade de emplacar música que estamos cansados de ouvir.

Wynter Gordon – Don’t Stop Me
Taí uma que deu sorte: Wynter Gordon chegou de mansinho e tá conquistando geral com sua dance music. Pra lá de oitentista, o som da moça não deixa a desejar, e uma das melhores faixas do seu debut é essa. Que lembra muito Ke$ha…

Ke$ha – We R Who We R
Uma das minhas preferidas ever. Dispensa apresentações.

Justin Timberlake – Summer Love
Voltando pra 2007, resgatei essa música que tocou muuuuuuuuuuuuito naquele ano. O ano de Justin Timberlake no R&B dance, rs.

Selena Gomez – Outlaw + Love You Like a Love Song
Misto de duas faixas do novo álbum da Selena Gomez que vazou esses dias e que é muito bom. Apesar de ser clichê demais, as músicas são bem produzidas e merecem um review, que logo será postado.

Nicola Roberts – Dance To Beat Of My Porcelain Heart
Enfim, nossa diva Branca de Neve que está toda toda na nossa versão do mês. Só com Porcelain Heart e Beat Of My Drum dá pra perceber o quanto esse trabalho da Nicola vai ser interessante. Principalmente pela voz esganiçada dela. Detalhe pro master grito que ela dá no finalzinho da música: “please don’t break my porcelain heaaaaart…”

Baú Pop: Rihanna – GGGB

Por em |

Em 2007, Jay Z trouxe Rihanna no colo para o mainstream da música internacional. E quem diria que ali, ela criaria raízes e ficaria até nos dias de hoje, firme e forte? Tudo começou quando foi lançado “Umbrella“, um dos hits da década, que tinha a participação do rapper. Logo a música estourou nas rádios e em pouco tempo ficou conhecida nos quatro cantos do mundo. Todos queriam mais dela e foram se lembrar que ela era aquela menina que cantava SOS e Pon de Replay.

O álbum por sua vez, carregado com R&B e uma pitada de dance music, foi produzido por Evan Rogers, e conta com a colaboração de Timbaland e Stargate (responsável pelos sucessos de Beyoncé). Traz participações especiais do já citado Jay Z, Neyo, Justin Timberlake e até Chris Brown (que também deu seu pitaco).

Após Umbrella, Rihanna emplacou “Shut Up And Drive“, “Don’t Stop the Music” (que tem o sample de Wanna Be Startin’ Something, de Michael Jackson) e “Hate That I Love You” (com participação de Ne-Yo, que foi quem também escreveu a música). “Take a Bow” foi lançada já no relançamento do álbum. “If I Never See Your Face Again” foi lançado pelo Maroon 5, pois tinha o feat de Rihanna. Enfim “Disturbia“, escrita por Chris Brown e RiRi, chegou e ficou durante muito tempo nas paradas, assim ganhando um clipe polêmico. Com um feat minúsculo de Justin Timberlake, “Rehab” foi lançada e finalizando assim, as atividades do álbum que rendeu sete singles, todos eles muito bem sucedidos.

1.Umbrella
2. Push Up On Me
3. Don’t Stop The Music
4. Breakin Dishes
5. Shut Up And Drive
6. Hate That I Love You
7. Say It
8. Sell Me Candy
9. Lemme Get That
10. Rehab
11. Question Existing
12. Good Girl Gone Bad
13. Take A Bow
14. Disturbia
15. If I Never See Your Face Again

Adoro esse álbum, e desde que ouvi Umbrella pela primeira vez, fiquei fascinado pelo som que Rihanna estava fazendo. Fico muito feliz pelo sucesso que ela fez e só lamento pelo episódio Chris Brown, mas rendeu também o Rated R, que é um álbum totalmente reverso e brilhante. Passa todos os sentimentos que Rihanna sentia… mas isso é assunto para outro post.

Wanessa inovada? Talvez

Por em |

Pra quem já acompanha o FP, sabe bem que sou fã da Wanessa, desde quando ela era Camargo. Desde que ela lançou Worth It e Stuck On Repeat, eu espero mais e mais desse novo trabalho, que segundo ela, vai ser voltado para as pistas de dança e totalmente em inglês.

Wanessa sempre foi apegada ao dance music e sempre que podia, cantava em inglês em seus cds. A maioria de suas músicas na verdade são versões feitas por ela e seus produtores.

Hoje a tarde, a Sony Music liberou um preview da nova música de trabalho, Sticky Dough. Ouça abaixo:

Do pouco que dá para ouvir, percebe-se que a música tem um q de diferente. Com um batidão que lembra um funk, Wanessa continua atirando pra tudo que é lado. Mas é por uma boa causa, até porque quer agradar os fãs com novas sonoridades para o novo álbum que será lançado mês que vem. assim esperamos

Agora que tá: essa música nem foi lançada na íntegra e já tem gente a acusando de plágio. Os fãs de Carine Dahl viram “Sticky Dough” virar trending topic mundial e logo soltaram a bomba pra cima da Sony Music. Ouça a suposta música:

Em defesa, Mister Jam, produtor da música, disse em seu twitter que a música é uma demo. Mas se for demo ou uma versão, nem vejo problemas, já que Wanessa já fez isso com tantas outras músicas, incluindo Worth It.

Bom, agora nos resta esperar a música sair por completa, para ter a certeza que Wanessa está encontrando a luz no fim do túnel. 😀

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...