Arquivos Anuais: 2014

A Dama Fatal de 2014: Eva Green

Por em |

Aos queridinhos da 7ª Arte o trocadilho foi um tanto quanto bem pensado já que o filme Sin City: A Dama Fatal, que estreia em agosto é só mais um dos trabalhos que me fazem acreditar que você deve saber um pouco mais sobre Eva Green.

“Eva Green é tão linda que chega a ser indecente.”
-Bernardo Bertolucci, que a lançou para o estrelato em 2003.

Geminiana, nascida em Paris Eva Gaëlle Green, ou somente Eva Green é a nova queridinha do cenário “Cinema-Tv” 2014. Com 34 anos, filha da Atriz Marlène Jobert com dentista Sueco Walter Green passou boa parte de sua infância na Terra da Rainha. Quando com 14 anos sua veia artística floresceu após assistir o filme A História de Adele H, resolveu seguir os passos de sua mãe se tornando atriz dos palcos e se polindo aos poucos. Mas foi somente com 23 anos que Bernardo Bertolucci lançou Eva como sua Lolita sensual no filme Os Sonhadores (vale a pena conferir) que causou polêmica por suas inúmeras cenas de nudez a alfinetadas peculiares ao cinema Americano, que ficou chocado com o erotismo do filme.

Em 2007 ela tem o ápice para ser condensar como Sex Symbol chegando ao estrelato internacional como Bond Girl em Cassino Royale, ser extremamente sexy e envolvente não foi tarefa difícil pra Eva e seu vestido Berinjela numa das melhores cenas do filme onde contracenava com o Ator Daniel Craig. No mesmo ano atuou ainda com ele em A Bússola de Ouro. Em 2012 contracenou com Johnny Depp no divertidíssimo ‘Sombras da Noite’. Onde Interpretou uma bruxa com as suas madeixas loiras e com um clássico batom vermelho que enchia cada cena obscura dos clássicos filmes de Tim Burton.


Tendo mais alguns trabalhos em todo esse tempo foi em 2014 que Eva Green realmente se tornou figurinha carimbada nas grandes produções. Primeiro em 300: Ascensão de um Império interpretando a poderosa Artemisia. Mas minha atenção realmente foi capturada quando Penny Dreadfull foi lançada, a série trouxe Eva Green como protagonista, consagrando-à de uma vez por todas como uma majestosa figura das artes dramáticas. Eva Green nasceu para ser Bruxa Sombras da Noite foi um verdadeiro aperfeiçoamento para que futuramente o denso enredo de Penny Dreadfull do canal Showtime, mas que é exibida pela HBO no Brasil lhe caísse como uma luva. Ela é a misteriosa Vanessa Ives que em uma Londres suja e escura de um século passado, lida com forças sobrenaturais e criaturas sombrias de toda a natureza. Pra os amantes de Antologias do Terror clássico bordado por um enredo Psicossexual como eu, a série é um prato cheio, já no cenário mundial e no ponto de vista dos Críticos a série ”Lacrou” a concorrência do primeiro Semestre.

Eva Green ainda tem o lançamento do polemico Sin City: A Dama Fatal, onde o cartaz foi censurado por conter a moça seminua. Penny Dreadfull depois de ser aclamada pela critica e pelos Fãs tem sua Segunda Temporada confirmada. A mais recente novidade aos fãs da atriz é a possibilidade de estrelar ‘O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares’ dirigido por Tim Burton, previsto para chegar aos cinemas em 2015. A Atriz ainda é musa do Calendário Campari 2015 uma das obras artísticas mais badaladas e exclusivas do mundo da Moda.


Amada por grifes como Armani, Christian Dior e Lancôme,  classificada como a 4° maior Bond Girl de todos os tempos pela revista Entertainment Weekly. Queridinhas de nomes como Tim Burton e Tarantino, ovacionada pela crítica, compositora de musicas em Flauta e Piano. a moça é sinônimo de bom gosto, estilo e beleza. Eva Green é um pacote completo, peculiar e extremamente raro nos tempos de estrelas vazias nas grandes telas.

Se talvez todos os motivos listados acima não o tenha convencido de que ela é o grande nome de 2014, faça por si mesmo e confira o trabalho da francesa e tire suas conclusões. Sobre 2015 posso garantir que você ainda vai ouvir muito o nome de Eva Green (se pronuncia gren não grin ok?).

 

Gabriel Félix
Aspirante a escritor, emocionalmente vintage, Mineiro, leonino, 16 anos. Apaixonado por musica, livros, moda, filmes e séries, fotografia e teatro.

 

5 programas de TV que marcaram minha vida

Por em |

Para mim, a televisão foi a melhor coisa inventada até hoje. Sério. Quem imaginaria que uma caixa poderia passar imagens e sons em tempo real? Hoje a tecnologia está tão avançada que nem paramos para pensar nisso, né? Mas com o intuito de homenagear um dos nossos entretenimentos favoritos, o Rotaroots (grupo de blogagem coletiva que participo) motivado pelo Dia da Televisão que é nesse mês, os participantes do grupo vão postar seus programas favoritos que marcaram suas vidas.

Eu sempre fui uma criança “rueira”, e preferia ficar brincando do que assistir tv, mas quando assistia, ficava vidrado em alguns programas infantis. Mas de relance, os que me lembro com mais frequência e me dá uma baita saudade são esses aqui:

Chaves
O seriado mais amado em toda a américa latina. Impossível não se apaixonar por todas as personagens e se conectar com o mundinho delas. Humanos ao extremo, cada um tem seu defeito e no fim, tudo se resolvia. O que mais me surpreende na série é que não há apelo e as piadas se mantem engraçadas. Posso assistir várias vezes que sempre vou rir das trapalhadas do Chaves. Bom, marcou muito minha vida. Isso… isso… isso!

Clip Mania
Sábado a noite podia estar fazendo qualquer coisa, chegava a hora de passar o Clip Mania e eu ia correndo pra frente da tv. Como a MTV só era transmitida por antena parabólica, foi assistindo ao Clip Mania que tinha contato com os artistas internacionais, e arrisco dizer que foi ali, assistindo o clipe de I’m A Slave 4u que passei a amar Britney Spears. Sem contar tantas outras músicas que tenho como referência a partir desse programa que era apresentado por Sabrina Parlatore.


“Bum bum bum… Castelo Ra Tim Bum! Bum bum bum… Castelo Ra Tim Bum!” Épico. Tem como não o colocar nessa lista? Esse programa era sombrio e ao mesmo tempo colorido. Era educativo e também tinha alguns momentos desnecessários. Adorava os quadros e as historinhas de cada episódio. Tinha algumas partes que eu detestava, tipo os Dedos Cantores e aquela Caixa Mágica. Mas de restante eu amava muitooo… Sem contar as personagens extras, Caipora e Etvaldo que eram meus favoritos. Sempre torcia para aparecerem. Marcou minha vida com tanto conteúdo bacana. Uma pena que as crianças de hoje tem que se contentar com as galinhas pintadinhas da vida…


Quem nunca saiu correndo da escola para chegar em casa e ouvir a abertura de malhação com a saudosa “Te Levar” do Charlie Brown Jr? Eu assisto Malhação desde quando começou, pois minha mãe adorava, porém eu só fui começar a acompanhar quando estava na minha adolescência (rebeldia). Sou do tempo em que a Malhação era basicamente Miyuki e Cabeção… Vagabanda com Marjorie Estiano e indo um pouco mais longe, com a engraçadíssima Dona Vilma. Bons tempos, tinha muito drama e quase me corroía quando a novela acabava e só no outro dia para saber o que ia acontecer. Sem contar também os cds das temporadas, que eram as melhores coletâneas. Toda festinha a gente ouvida. Saudade!


Dia de quinta feira após o hilário “A Grande Família” era o momento de assistir “Linha Direta” que me dava medo, mas convenhamos, era muito bom de assistir. Eu sempre fui fã dos suspenses e esse programa me fazia ter medo de andar na rua e encontrar algum dos foragidos. Sim, eu andava pelas ruas da minha pacata cidade olhando pra cara de todo mundo na esperança de encontrar o criminoso. Bom, isso nunca aconteceu mas eu até que curtia. As histórias eram as mais tensas e a produção impecável. Me recordo até hoje de um especial do programa que foi sobre crimes espirituais, algo assim. Fiquei impressionado com um sobre premonição e não dormi durante um bom tempo. hahaha Mas seria uma boa pedida se voltasse.

Bom, claro que há muitos outros programas que eu lembrei e queria colocar, mas vou me limitar aos cinco. Quem sabe outro dia eu não faço uma parte 2 desse post? Mas posso garantir que Silvio Santos, Os Trapalhões, Angelmix, Pantanal, Faustão, Hebe e tantos outros estarão sempre na memória.

Quais programas de tv marcaram a vida de vocês? Comentem aí… Vamos conversar e relembrar…

O terceiro álbum

Por em |

Bons artistas sempre tentam expressar suas emoções, mas isto não é muito fácil no começo de carreira. Há pressão da gravadora, e até do público para que eles continuem seguindo na mesma linha e ‘hitando’. Até que chega o terceiro álbum, quando os mesmos já têm fãs e nome de peso: a combinação perfeita para finalmente cantar o que sentem. E para falar a verdade, esses são os melhores. Vamos ver alguns exemplos?

BRITNEY SPEARS - BRITNEY (2003)
Cansada de ter a sua imagem igualada a de uma menina pura e virgem, Britney decide lançar seu terceiro álbum de estúdio e contrariar tudo. ‘I’m A Slave 4 U’, o primeiro single, veio para demonstrar que ela não estava de brincadeira. Uma música e vídeo sexys fizeram parte da promoção, além de uma icônica performance no VMA da mesma segurando uma cobra. Outras canções pessoais como ‘I’m Not A Girl, Not Yet A Woman’ e ‘Overprotected’ estavam no pacote, dando a cantora uma visão mais madura.

MADONNA – TRUE BLUE (1986)
Um marco da cultura pop! Madonna nunca foi uma ‘ratinha de gravadora’, mas foi com esse álbum que ela evoluiu para ser a Rainha que é. ‘Open You Heart’, ‘Papa Don’t Preach’ e ‘Live To Tell’ se tornaram clássicos, contendo letras pessoais e controversas. Tem como não deixar de citar?

MICHAEL JACKSON – BAD (1987)
Se contarmos o ‘Off The Wall’, como o primeiro álbum solo do Michael (pois todos os outros ainda vinham com o selo dos Jackson 5), ‘Bad’ é seu terceiro álbum, e o mais autoral. Nove das onze faixas do disco foram escritas pelo cantor, demonstrando sua visão do mundo, o amor e suas excentricidades. ‘Leave Me Alone’ é um grande exemplo disso. A faixa título, ‘Man In The Mirror’, ‘The Way You Make Me Feel’, ‘I Just Can’t Stop Loving You’ e ‘Dirty Diana’ foram direto para o topo, fazendo do disco outro clássico.

LADY GAGA – BORN THIS WAY (2011)
O mais recente dos citados, mas não menos importante. O álbum veio com uma missão de espalhar a tolerância sexual, religiosa e racial. Além disso, expressa dores e alegrias vividas pela artista ao longo de sua jornada até a fama. ‘Born This Way’, ‘Hair’ e ‘The Edge Of Glory’ são destaques.

Poderíamos citar álbuns como: ‘Control’ da Janet Jackson (1986), ‘I Am… Sasha Fierce’ da Beyoncé (2008), ‘Unbroken’ da Demi Lovato (2011), e outros.

E vocês, conhecem algum? Comentem!

Carlos Paranhos
Um futuro jornalista de 18 anos. Pisciano fascinado por cinema, música, e arte pop em geral. Tentando ser a mudança que quero ver no mundo.

Sem Disney: As princesinhas cresceram

Por em |

Se você, assim como eu, é do tipo que passa horas na frente da televisão assistindo os seriados de comédia do Disney Channel sabe que o canal tem tradição em lançar artistas completos, em sua grande maioria. Justin Timberlake, Britney Spears e Christina Aguilera estão aí para provar isso. Com o tempo, porém, você também consegue notar que os artistas passam a deixar para trás o estilo “menina de família” e “bom moço” que o canal exige.

Como era de se esperar, o mais recente grupo de princesas Disney a deixar as origens de lado e assumir posturas completamente diferentes, foram as protagonistas daqueles que, para mim, eram as melhores séries do canal: Demi “Sunny entre Estrelas” Lovato, Selena “Feiticeiros de Waverly Place” Gomez e Miley “Hannah Montana” Cyrus. Elas deixaram os rostinhos inocentes, os cabelos comportados e as posturas do tipo “sou um exemplo para os adolescentes” para trás e assumiram suas posições como divas da música pop.

Demi Lovato A intérprete de Sunny Monroe na comédia “Sunny entre Estrelas” teve diversos problemas, foi para a reabilitação e acabou sendo o assunto favorito por um bom tempo, porém não da forma boa. Mas não há como negar, Demi tem muito talento. Depois de deixar os problemas para trás, lançou “Unbroken” e deu seu grito de vitória na ótima “Skyscraper”. Recentemente lançou “Demi” e fez história com um álbum tão maduro a ponto de fazer muitos de nós esquecer que ela veio da Disney. Demi “Really don’t Care” com o que falam dela.



Selena Gomez Talvez aquela que mais demorou para deixar o canal do camundongo para trás. Seu show “Feiticeiros de Waverly Place” foi o último dos três a ser finalizado e, nesse meio tempo, lançou seu álbum em parceria com o The Scene, que apesar de soar bom, tem muito do conceito Disney. Foi então que tudo mudou, ela deu um tempo, fez alguns filmes e voltou com o super bem comentado “Stars Dance”. A faixa “Birthday” é tudo o que queríamos dela, mas é em “Come and get it” que SG mostra o quanto pode ser incrível.



Miley Cyrus Sem dúvida a ex-Disney mais comentada do momento. A eterna Hannah Montana não quer mais ser lembrada como a garota que usava peruca e cantava country. Ela agora é a b***, agora é doida. Agora ela mostra língua, faz clipe sensual e nua, derrubando tudo com uma bola de demolição. Seu “Bangerz” superou de longe o antecessor que, ainda que tivesse um estilo diferenciado, ainda não era um desligamento total. Quando Miley lançou “We Can’t Stop” soubemos que Hannah havia morrido. “Adore you” foi a cerimônia de cremação.


Agora resta saber quais serão as próximas mocinhas a se rebelarem e darem seus gritos de independência. Enquanto isso não acontece, vamos aproveitando tudo que essas três poderosas acima tem a oferecer.

Fazendo o Impossível pelo GRAAC

Por em |

GRAAC

Quem nunca pensou em histórias mirabolantes e nunca criou personagens que não existem? Eu pelo menos já fiz e muito isso na minha infância, e impulsionados com a criatividade dos pequenos, o GRAAC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer, decidiu fazer uma campanha com histórias impossíveis dos próprios pacientes de seu hospital.

50 crianças foram desafiadas a criar alguma cena mirabolante e surreal, para que outros 50 ilustradores as transformassem em realidade. O intuito era receber doações em quantias acessíveis e em troca, a pessoa recebia em seu e-mail um pdf reunindo todas as ilustrações e de acordo com a quantia, até desenhos bases com assinaturas poderiam ser ganhados em troca da boa ação. No final, todo lucro líquido será doado para o Hospital do GRAACC para que eles continuem fazendo o impossível todos os dias: lutar e vencer o câncer infantil.

A campanha “Fazendo o Impossível” fez tanto sucesso que bateu a meta de doações. E como prometido, já estão sendo divulgadas as historinhas escolhidas e as ilustrações de cada uma. Reuni umas das que saíram e que mais gostei até agora, incluindo a fofa ilustração do meu amigo, Vitor Martins, que me deixou imaginando a cena de todos os personagens de histórias infantis brincando de esconde-esconde.


A cena impossível que a paciente Gabriela, de 5 anos, inventou para o projeto foi encantadora: “Personagens de contos de fada brincando de esconde-esconde”. Por Vitor Martins.


O paciente Gustavo, de 10 anos, imaginou para nosso projeto uma cena bem complexa: “Baleia espanhola de 3 cabeças dando uma entrevista”. Por Gus Batts


O paciente do GRAACC Samuel, de 9 anos, foi um dos que não titubeou e foi bem claro quanto à sua cena impossível: “Um Opala com asas de avião turbinadas e cauda de helicóptero”. Por Adams Pinto


A Julia, de 7 anos, também paciente do GRAACC, imaginou para nosso projeto uma “Fada comemorando seu aniversário de 10 anos fazendo um churrasco na floresta”. Por MZ09


O paciente do GRAACC, Stefan, de 14 anos, imaginou um “Lulassauro tentando abrir um pote para pegar um biscoito-pérola”. Por Estúdio 2minds

Gostou? É só clicar aqui e se divertir na página da campanha no Facebook. onde o restante das imagens já estão sendo postadas. Aposto que você vai vomitar arco-íris que nem eu… E claro, não deixe de ajudar o projeto, milhares de crianças dependem da nossa doação. Apesar da meta já ter sido batida, não significa que as doações terminaram. Entre no site do Graac e saiba como pode ajudar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...