Sobre Gabriel Félix

18 Primaveras, emocionalmente Vintage, e com opiniões ácidas sobre os mais diversões assuntos. Dono de uma visão e estética bem singular, degustador de Séries, Filmes, Moda, Cinema, Fotografia e pequenos prazeres da vida.

Escritos por: Gabriel Félix:

O que esperar de Scream Queens?

Por em |

Captura de tela inteira 14052015 113308.bmp

Scream Queens é a bola da vez de Ryan Murphy, o mesmo criador de Glee e de American Horror Story. Nós do Fruto Proibido estávamos subindo pelas paredes pra escrever sobre o que promete ser uma das melhores series de 2015. Pois bem, aqui vão nossas expectativas:

Misture “Meninas Malvadas” com “Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado” e isso será o que promete ser Scream Queens. Tem como não se amar tal combinação? A sinopse oficial foi liberada essa semana e juntamente com mais alguns detalhes no upfront da Fox já sabemos que, a universidade Wallace é abalada por uma série de assassinatos. A Kappa House, fraternidade mais cobiçada do campus, é governada com mão de ferro (e luva cor-de-rosa) por sua “rainha” Chanel Oberlin (Emma Roberts). Quando a ex-Kappa, Reitoria Munsch (Jamie Lee Curtis) decreta que qualquer aluno do campus pode se inscrever na fraternidade Kappa, que antes era privilégio de uns apenas, porém a universidade vira um inferno e um assassino vestido de diabo começa a causar estragos fazendo uma vítima a cada episódio.

screamqueens

O elenco da série é realmente de “matar” e traz rostos já conhecidos por nós, como a ex-Glee Lea Michele, Emma Roberts, Jamie Lee Curtis, Keke Palmer, Ariana Grande e a maravilhosa da Abigail Breslin (Pequena Miss Sunshine). O elenco masculino contamos com o lindo Nick Jonas, Glen Powell, Julian Morris e Diego Boneta, famoso pelo seu papel na novela Rebelde e algumas produções da Disney. Segundo algumas entrevistas do criador, a série conta com cenas com triângulos amorosos, sexo e muito terror.

A fórmula de American Horror Story está de volta em Scream Queens: um enredo antológico focado em tramas e personagens diferentes a cada temporada e uma figura de terror principal que promete apavorar todas as personagens. O “Demônio Escarlate” é alguém que tem motivações suficientes para cada um dos seus assassinatos. Agora emoldure essa sinopse, esse elenco e esse vilão num conceito bem daqueles filmes dos anos 80 e 90, aposto que vão ser cenas com litros e mais litros de sangue falso e muitos gritos.

Captura de tela inteira 14052015 114959.bmp

Sabemos que Chanel, a personagem de Emma Roberts vai ser a “bitch” da temporada. Totalmente sem escrúpulos, repetirá o “estilo Madison” que ela teve em AHS: Coven. Jamie Lee vai ser a ativista antirracismo que pretende atrapalhar a vida de Chanel e trazer inclusão pra dentro das fraternidades, mas mesmo assim tem seu lado sensível por dentro da pose durona. Lea Michele está prometendo quebrar a marca que Rachel Berry deixou nela interpretando alguém totalmente novo. Esse alguém é Hester, uma personagem que é o “patinho feio” e que passa por uma transformação até o meio da temporada, e ainda vai bater de frente com Chanel. Nick Jonas junto com alguns outros meninos vão ser os mauricinhos, bolsistas e esportistas que toda série com tal temática precisa ter e arrancará suspiro de todas as garotas da série.

Captura de tela inteira 14052015 114841.bmp

Então pode anotar na agenda! Scream Queens chega na Fox dia 1° de Setembro e promete quebrar paradigmas sobre preconceito e ainda fazer sátira sobre todos os tipos de adolescentes vazios e cheios de beleza, boas risadas, muito sangue e aquela curiosidade instigante sobre quem é o assassino.

Que Setembro não demore porque já estamos impacientes!

Lição do Dia: O que é o Met Gala?

Por em |

11199611_1611735535739677_1122981368_n

Vamos falar a respeito daquilo que será no mínimo o assunto da semana: O Met Gala. Como todo bom Fashionista ou só Adorador do Mundo do Fashion, eu percebi que milhares de pessoas estão por ai compartilhando foto de seus ídolos (a.k.a Divas) nesse específico evento sem fazer mínima ideia do quanto importante ele é. Pois bem vamos compartilhar o conhecimento com as crianças.

Não pensem que meu verdadeiro intuito em escrever este texto seja ensinar a vocês sobre o maior evento Fashion do Ano, não, eu só estou cansado de ver um punhado de pessoas falando a respeito de algo que não fazem nem ideia do que se trata. E falando como verdadeiros conhecedores, mesmo sabendo que esse seja o verdadeiro intuito de termos pessoas tão famosas presentes, sejam elas da indústria do Entretenimento e Musica: DAR IBOPE.

olin-met-plaza-2-537x295

O evento que vocês tanto falam desesperadamente nas redes sociais tinha inicialmente um foco totalmente diferente em 1902 Irene e Alice Lewisohn se tornaram herdeiras adolescentes, e decidiram com mais alguns amigos começarem um trabalho social na Henry Street Settlement House, um local para a integração de imigrantes, e ainda era um acampamento de verão para crianças carentes, logo as duas eram professoras de dança e teatro. Os trabalhos das duas cresceram de tal maneira que outras personalidades da época se juntaram em 1928 elas moveram suas operações para o Neighborhood Playhouse School of the Theatre. Durantes seus anos de funcionamento um corpo docente foi formado para apreciar a arte da atuação teatral, do figurino, da cenografia, coreografia e outras demais expressões artísticas. Então as irmãs resolveram abrir uma pequena exposição em 1937 nomeando-a de Museum of Costume Art (tendo como tradução literal como Museu do Traje Artístico) na Quinta Avenida. Logo em 1946 a exposição se mudou para o rimeiro andar do The Metropolitan Museum of Art (Museu Metropolitano de Arte). O Costume Institute Gala ou só Met Ball é um jantar beneficente que começou em 1946, pensado originalmente pelo grande Eleanor Lambert para ajudar as duas criadoras originais do projeto. Sendo feito anualmente para arrecadar fundos para manter a ala Costume Institute (Instituto de Vestuário). Com o passar do tempo o evento tomou um grande apelo Fashion estando ligado então a maior publicação de Moda: Vogue.

vogue-logo-wallpaper

Vamos começar do simples VOGUE: (Não a música da Madonna) mas sim A Bíblia Mensal do Mundo Fashion. No começo ela não era conhecida assim, Vogue começou em Nova York 1892, uma publicação de 30 páginas para mulheres poderosas da época. Só que em 1909 Vogue começaria seu caminho para se tornar uma das maiores publicações da atualidade quando foi adquirida pelo grupo Condé Nast Publications. A sua primeira edição trouxe o que todas gostariam de ver, os vestidos que as mulheres mais ricas dos EUA usavam. Pouco tempo depois ela desembarcava na Terra da Rainha em 1916. Vogue cresceu, se expandiu, ganhou versões em outros países e foi dirigida por nomes como Diana Vreeland, Jessica Daves, Grace Mirabella e por fim chegamos à atual e mais temida e adorada Anna Wintour. Mas o que Isso tem em comum com o Met Gala? Bem o Met Gala é O EVENTO (assim mesmo em maiúscula pra ver se vocês entendem a importância do mesmo) do Ano no Mundo Fashion .

Anualmente o Museu Metropolitano de Arte abre em conjunto com o Costume Institute uma exposição que possui um tema, esse tema é o que dita, como será o figurino dos convidades no Met Gala e o que milhares de estilistas e varejistas vão copiar e consequentemente vai acabar nas mãos do grande publico em lojas de Fast Fashion. Anna Wintour junto com a equipe da Vogue supervisionam a lista de convidados, preços dos ingressos, tema da exposição e cada mínimo detalhe do que é considerada a noite mais importante do Ano. O Met Gala incluí um Coquetel onde os Ícones Pop competem no que eu chamo de “Quem Chama Mais atenção Leva Mais”.

"Alexander McQueen: Savage Beauty" Costume Institute Exhibition At The Metropolitan Museum Of Art - Preview

O Met Gala já inaugurou exposições que apresentavam os maiores nomes da Moda como: 2005: The House of Chanel, 1996–1997: Christian Dior, 1997–1998: Gianni Versace, 1983–1984: Yves Saint Laurent, 2011: Alexander McQueen: Savage Beauty, e a deste ano China: Through the Looking Glass que fala sobre sobre como o impacto da Moda Chinesa afeta a Moda Ocidental e como a China tem sido inspiração para Moda durante anos. A exposição vai apresentar mais de 100 exemplos de Alta Costura ao lado de Porcelanas e Outras peças que foram organizadas em conjunto com o Department of Asian Art (Departamento Asiático de Arte). Quem saiba agora vocês não consigam entender o conceito por trás de alguns vestidos usados?

mmwhm - Bl Bl - DM6

Pois bem, O Met Gala é responsável por infectar a minha linha do tempo, cada santo ano, com as fotos do que mais amamos e o que com certeza é um dos melhores momentos: todos se socializando, ignorando as briguinhas, algumas fazendo divulgação do álbum flopado, outras mostrando que estão cada vez mais poderosas. Agora entendam, isso não é só um evento onde suas Divas vão tirar fotos estando sempre Impecáveis, ou onde sabe lá que Diabo aconteceu para que Katy Perry, Madonna e Lady Gaga aparecerem na mesma foto, não é só um evento onde Sarah Jessica Parker vai mostrar que bom gosto nunca se perde, não é só um evento onde onde Kim Kardashian vai estar mostrando toda sua sexualidade. Esse evento é uma ocasião onde milhares de dólares estarão envolvidos, onde pessoas super bem vestidas estarão presentes, é a noite que Anna Wintour organizou detalhadamente para que mais uma exposição fosse apresentada com sucesso e garantisse a do próximo ano com o mesmo ou até maior desempenho.

mmwhm - Bl Bl - DM7

Met Gala é com certeza sinônima de muito Glamour, Alta Costura, Gente Bonita (outras nem tanto). Arte, Sofisticação e milhares de Ícones Pop num mesmo lugar, tem como não amar um evento que envolva tudo isso? Enfim, agora que você sabe um pouquinho mais sobre quem está por trás do Met Gala e sua história, faz igual as suas Divas, aproveita ele com um pouquinho mais de classe. Ou pelo menos tenta.

Devious Maids: a série que fará você limpar alguns segredos

Por em |

DEVIOUS MAIDS

Mantenha seus amigos por perto… E suas empregadas mais perto ainda.

O que todos amamos? Drama! E se ele for acompanhado de uma bela mulher? Nesse caso cinco belas mulheres deixará tudo incrível. Adicione um assassinato, uma boa dose de comédia, reviravoltas, traições e tudo isso num contexto das famílias mais poderosas de Beverly Hills, que cá entre nós tem muitos segredos. Eu lhes apresento Devious Maids.

Devious Maids estreou 23 de junho de 2013, no canal Lifetime e é baseada em um enredo latino. Afinal como não amar uma série baseada numa novela mexicana? Marc Cherry, o mesmo criador de Desperate Housewives, está seguindo sua fórmula para a terceira temporada que estreia 1º de Junho nos EUA e traz Naya Rivera como um dos seus novos rostos. Garanto que se assistir o primeiro episódio, ficará envolvido e curioso sobre tudo, que não vai demorar a alcançar, ou até mesmo ver as duas primeiras temporadas antes que a terceira chegue.

devious-maids

A série acompanha a história de cinco empregadas domésticas, dentre elas a viúva Rosie (Dania Ramirez), que trabalha na casa dos atores Peri e Spence Westmore; Carmen (Roselyn Sánchez) uma cantora que tem esperança de alcançar o estrelato com a ajuda de seu chefe; Zoila (Judy Reyes) e Valentina (Edy Ganem) que são empregadas de Genevieve Delatour. O que as quatro tem em comum? Ambas eram amigas de Flora, uma outra empregada que foi morta misteriosamente. E sem contar Marisol (Ana Ortiz) que aparece para adicionar muito tempero nessa história e garantir que vão mais que limpar a casa de seus patrões, se é que entendem.

Agora você me pergunta: Porque Devious Maids é tão fantástica? A resposta é que, alem de ser uma série encantadora, cada personagem possui uma história e lhe garanto que cada episódio é um turbilhão de risadas, dramas e momentos que você vai se pegar roendo as unhas de ansiedade. Além das protagonistas que são desde apimentadas, doces, protetoras e corajosas, os personagens secundários como sempre se destacam na série. Dos patrões mais detestáveis como Evelyn, que é o clichê de mulheres ricas, até Genevieve que é o sonho de qualquer empregada. O enredo ainda trás a emocionante história de Odessa e o patrão Sam, em que certo momento torcemos para que consiga a mulher que ele deseja.

Como nem tudo é perfeito a série foi envolvida num escândalo após uma crítica dizendo que o enredo espalhava um estereótipo sobre latinas. Não é preciso citar aqui que não sou a favor de nenhum tipo de “impressão sólida”, mas cá entre nós o Entretenimento dos EUA está cheio deles. Mas como uma das produtoras executivas disse “A única maneira de acabar com um estereótipo é não ignorá-lo”.

ra5c92u6

Além de um assassinato não resolvido, há também uma sensibilidade por trás das grandes personagens da série. Soa até ser clichê do gênero “dramédia” mas elas são humanas, que mesmo com todos seus passados conturbados e problemas pessoais fazem grande diferença na vida de seus patrões. Tais mudanças são visíveis e isso me faz querer que provem do mesmo encanto apimentado que eu provei com Devious Maids.

Assista ao trailer abaixo:

Young & Hungry – O sitcom vai lhe deixar faminto por risadas

Por em |

1383444_671222286357268_8629736264758905007_n

Young & Hungry chegou até mim como uma daquelas indicações de pessoas que tem bom gosto quando o assunto é série. E foi amor à primeira vista! Mesmo não sendo fã do gênero, a série tomou um espaço entre minhas favoritas e me fazendo devorar sua primeira temporada em dois dias apenas. Com produção de Ashley Tisdale, e criada David Holden a série nos ganha pela sutileza e desenvolvimento do enredo que decorre de forma descomplicada fazendo cada episódio você se envolver um pouquinho com os personagens e torcem para que tudo de certo no final.

A série segue o jovem e rico empresário Josh (Jonathan Sadowski), que contrata uma jovem blogueira de alimentos chamada Gabi (Emily Osment) para ser sua nova chef pessoal. Desesperada para manter seu novo trabalho, Gabi tem que provar suas habilidades para Josh e seu assessor pessoal Elliot (Rex Lee), que prefere um chef celebridade para trabalhar no lugar dela.

7

O sitcom transmitido pela ABC Family estreou em 25 de Julho de 2014 e pela sinopse parecia ser uma mistura de tudo aquilo que agrada: uma protagonista genuinamente carismática e a beira da falência; um bonitão extremamente rico, fofo e nerd; três personagens secundários que, por alguns momentos se tornam tão queridos quanto os protagonistas; e por fim, a culinária emoldurando cada um dos conflitos. Emily Osment está tão madura e divertida que é quase impossível lembrar que ela já foi uma das coadjuvantes de Hannah Montana. Sem contar que o show já foi indicado ao PCA (People’s Choice Awards) após sua pré indicação tudo graças ao seu mérito e ao do elenco.

Com críticas mistas pelos especialistas e uma pequena legião de fãs se formando, Young & Hungry está em sua segunda temporada, e se mostra promissora por trazer assuntos rotineiros de uma forma tão leve que foge daquele exagero de outras séries de sucesso do mesmo gênero. Com produção cativante e um elenco incrível, a hilária empregada Yolanda (Kym Whitley) e o assistente extremamente pintoso e ácido de Josh Elliot (Rex Lee) merecem destaque e não é pra menos. Eles dominam as cenas em que estão presentes, como por exemplo no episódio da banheira, ou quando eles resolvem fazer uma nova dieta a base de sucos.

10305076_1093678837315564_1456834346013139303_n

Cada novo episódio de Young & Hungry é como saborear um dos inúmeros pratos feitos por Gabi e levar para seu dia-a-dia coisas da série como a “Power Pose”. Com apenas 20 a 25 minutos de duração, você pode assistir um episódio na hora do almoço; super prático e tirar da série sua dose de risadas da semana. Assista ao trailer:

No iPod: Grimes – REALiTi

Por em |

grimes11

Hoje eu quero trazer para o Fruto Proibido algo que eu tenho um imenso carinho: Grimes.  Claire Bouhcer ou só Grimes de 27 anos, chegou aos meus ouvidos em 2013 aonde uma amiga venho a me indicar Oblivion, qualquer pessoa que já tenha ouvido o som da Canadense sabe que ela é de uma sonoridade bem pessoal e única.

Toda essa “excentricidade” se da por ela começar seu caminho musical desde 2010, tendo influencias do cenário Eletrônico e Industrial Underground de Montreal. A moça nesse mesmo ano lança seu primeiro álbum intitulado “Geidi Primes” seguidos de alguns outros que iriam evoluir sua sonoridade e trabalho. Em 2012 ela lançou o que em minha opinião é sua obra prima “Visions“, foi aclamado pela critica era uma mistura de elementos musicais variados e vocais diferenciados que a fez ser considerada dona de um dos melhores álbuns do ano pelo The New York Times.

Em 2013 ela assinou com a gravadora Roc Nation, contudo REALiTi é uma demo de descartada de seu próximo álbum (que inclusive possuí outra musica descartada chamada “Go”). Com um vídeo que mostra sua viagem pela Ásia durante 2013, a moça mostra sua qualidade musical mesmo com uma faixa ainda não finalizada. As clássicas batidas nostálgicas e os vocais destorcidos causam aquela nostalgia que faz qualquer um se apaixonar pela banda.

Com um álbum previsto para chegar ainda esse ano, Grimes mostra que até mesmo em suas demos o nível de suas musicas continua o mesmo após todo esse tempo. Indicação pessoal de quem não consegue tira-la do repeat.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...