Sobre Gabriel Félix

18 Primaveras, emocionalmente Vintage, e com opiniões ácidas sobre os mais diversões assuntos. Dono de uma visão e estética bem singular, degustador de Séries, Filmes, Moda, Cinema, Fotografia e pequenos prazeres da vida.

Escritos por: Gabriel Félix:

Uma despedida dolorosa para Glee

Por em |

GleeS4FullPosterLARGE

Seis anos atrás, estreava o que viria a ser um dos maiores fenômenos mundiais e uma das minhas paixões mais intensas: Glee. Sinceramente, acho que não precisa contar a sinopse e sobre como a série foi crescendo até se tornar uma dos maiores sucessos da Fox. Criada por um time de peso como Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennam; Glee infelizmente chega ao fim esse ano com suas ilustres seis temporadas e duas outras do The Glee Project, e muitas lágrimas.

Minha história com Glee começou há quatro anos, quando conheci a série pelo Youtube enquanto assistia a performance deles de “Born This Way”. Por ser muito fã da Lady Gaga, virei o nariz na primeira impressão, porém lá no fundo algo me instigou a pesquisar mais sobre aqueles garotos. Foi tiro certo no meu pequeno coração! No mesmo ano, a Rede Globo comprou os direitos da série e era mais do que eu esperava, pois minha alegria era tanto que comecei a distribuir a “palavra” de Glee para todos meus amigos. Era como se eu tivesse a necessidade de mostrar a todos aquilo que tinha me encantado tanto.

3

Não demorou muito e todos que eram próximos a mim, estavam infectados e se tornaram expectadores assíduos nos sábados de manhã da TV Globo. Contudo, logo dei um jeitinho de fazer meus pais assinarem Sky em casa e pronto; o vício realmente estava instalado. Estava viciado nos ataques de estrelismo da Rachel, no senso fashion de Kurt, no tempero latino da Santana, no sorriso bobo do Finn, na voz incrível da Mercedes, nas tentativas e chiliques da Sue e em cada uma das personagens. Eu vivi cada reviravolta daquela série, mais ainda porque ela veio em um momento difícil em minha vida e Glee fez seu papel: me animar e me fazer esquecer a tristeza que me rodeava.

Eu estava envolvido no enredo, e com os personagens de uma forma quase familiar, e somente quem foi, ou ainda é fã da série, sabe como é chorar com Kurt revelando a seu pai sobre sua sexualidade, com os conselhos do Mr. Schuester, com Sue quando conhecemos sua história juntamente com sua irmã ou então gargalhar alto da vilã conversando e planejando sabotagens com sua assistente Becky. Impossível não ter vibrado com a vitória na terceira temporada ou simplesmente sentir um buraco enorme quando o ator que atuava como Finn, Cory Monteith, faleceu.

Assistir Glee era vivenciar um turbilhão de acontecimentos e sentimentos embalados por versões viciantes de músicas que ganharam cada vez mais espaço no nosso coração. Contudo, a série sofreu sua grande mudança durante a 4° temporada quando se dividiu entre Lima, o local onde estava o colégio onde alguns alunos ficaram, e New York, onde parte do elenco se mudou após estarem formados. Lidar com toda mudança e ainda com a perda de um dos protagonistas principais da série na 5° temporada fizeram alguns fãs temer que a má qualidade do enredo e a audiência baixa fizessem a série ser cancelada. Mas pelo bem de uma nação de Gleek’s a série foi confirmada até sua sexta temporada, que é onde nos encontramos.

img-glee_164601824849

Escrever sobre algo que você tem uma paixão tão grande como eu tenho por Glee é extremamente difícil, porque você tem que escolher momentos para citar, músicas para lembrar… Você convive durante anos com aqueles personagens, e você aprende com eles. Isso não é somente um post sobre o fim de uma série amada por milhares de pessoas é um tributo, um agradecimento e uma triste despedida de um fã que vai ter pra sempre em seu coração Glee como umas das melhores partes daquilo que ele se tornou.

Don’t stop believin’.

No iPod: Tove Lo – Habits (Stay High)

Por em |

tove-lo-32285-1280x800

Eu me considero garimpeiro da música pop atual, e eu estou sempre tentando ouvir coisas novas, sonoridades diferentes do que estamos acostumados no mainstream dos charts. Numa dessas minhas buscas em 2014, eu descobri a sueca Tove Lo de 28 anos. Nascida em Estocolmo, a moça já tinha composto canções para alguns artistas como Icona Pop, Lea Michele e Girls Aloud.

Habits (Stay High) foi a prova que ela não seria só mais um compositora que decide se jogar no mercado musical e simplesmente desaparecer. A sueca simplesmente tem mais de 17 milhões de visualizações com as duas versões do vídeo da música no Youtube. Com batidas e um letra totalmente chiclete, “Habits” está desde o meio do ano passado até hoje como uma das minhas executadas da minha playlist.

Com seu mais recente trabalho Queen of the Clouds, Tove Lo vem se consagrando no mercado internacional e contagiando todos com hits como o já citado Habits, Talking Body e Not on Drugs. O sucesso da moça é tão grande que rendeu até um evento entre os milhões de eventos fakes do Facebook nomeado “MUTIRÃO PARA STAY HIGH ALL THE TIME” que já conta com 24 mil confirmados.

Dê o play no videoclipe da música e prepare-se para ficar viciado na música, assim como eu.

Os 10 Melhores Filmes de 2014

Por em |

2014 foi um ano bem agitado no mundo das Telonas. As Super Produções nunca estiveram tão implacáveis. O Cinema alternativo borbulhou de grandes nomes, os festivais estiveram super acirrados. O Oscar consagrou novos e grandes nomes e criou um dos maiores memes do ano. Essa é minha pequena lista do que 2014 teve de melhor no cinema Mundial.

10 -The Babadook

O representando da Categoria Terror é um filme Australiano que me causou pesadelos por longos 3 dias. Se trata de um Terror psicológico, tecnicamente falando eu achei a atmosfera dos ambientes em que o filme se passa tão sombrios quanto toda história. Um mãe e um filho por um acaso encontram um livro (bem alá “Samara” de O Chamado) que após ser lido invoca uma criatura que pretende matar seu filho. Enfim ele filme de terror bom pra mim deve botar medo, com certeza Babadook fez isso e garanto que não vai ser só em mim. O filme não estreou oficialmente no Brasil ainda, mas você acha se procurar.

9 – Boyhood – Da Infância à Juventude

Incrível seria a melhor palavra para defini-lo. O que existe de especial nesse filme? O elenco, não que seja cheio de grandes nomes, antes fosse isso durante os 12 anos de gravação de Boyhood o elenco foi o mesmo, marcando as transformações dos atores e as aplicando nos personagens, não deixando nenhuma falha durante o passar dos anos. Um filme com um enredo que mostra a realidade de algumas famílias modernas, a profundidade das pessoas normais. Um filme simples, mas extremamente satisfatório. OS: Como não amar um filme em que uma das personagens Ama Lady Gaga?

8 – Capitão America: O Soldado Invernal

Sim. Um dos melhores filmes de 2014. Enredo impecável, os efeitos simplesmente destruidores, a típica franquia de Herói que em cativou esse ano foi Capitão América. Um típico mocinho, que luta contra todos inclusive o próprio amigo. As cenas de perseguições são eletrizantes. Sem contar que qualquer filme com Scarlett Johansson deve ser exaltado por ter em seu elenco tamanha beleza. Como um filme de ação nato ele cumpre seu objetivo, lhe instiga até o ultimo minuto. E ainda abre todos os pontos para as possíveis continuações.

7 – Malévola

Como ignorar o que pra mim foi o melhor filme de fantasia do ano? Foi extremamente lindo. A clássica história de A Bela Adormecida está recheada de efeitos visuais estão presentes em todo o filme. E eu particularmente amo a atmosfera escura presente na Fotografia e em todo ambiente do filme. Para Completar tínhamos Lana Del Rey cantando Once Upon a Dream e Angelina Jolie no papel da grande Bruxa. O filme é um prato cheio aos olhos, contudo só senti falta do Humor comumente presente nas produções da Disney.

6 – Vidas ao Vento

A biografia de um importante engenheiro japonês que trouxe grandes avanços durante o período da Segunda Guerra Mundial. Certo como uma animação com esse tema pode estar numa lista sobre os 10 melhores filmes de 2014? Simples é uma animação do renomado Estúdio Ghibli, e ainda por cima é dirigido por Hayao Miyazaki. Particularmente as animações atuais estão muito divididas em contos de fadas e heroísmo. Vidas ao Vento é um filme delicado, tem um trilha sonora única, e acima de tudo fica próximo a Boyhood por ser um filme real, com pessoas reais. O Estúdio Ghibli ganhou Oscar de melhor animação em 2001 com um filme com o mesmo diretor. Classifica-lo como uma das melhores animações de 2014 não é um erro mas, um verdadeira ousadia. Garanto lagrimas e uma animação diferente de toda essa coisa de fantasias e poderes.

5 – Hoje eu Quero Voltar Sozinho

Já foi citado sim aqui no FP. Mas eu seria um carrasco se o colocasse na minha lista de melhores de 2014. Com a temática LGBT super em alta no Cinema Nacional, o filme segue de forma leve e delicada, com super a super atuação do protagonista que faz um garoto cego que se apaixona por seu amigo. Um filme de extrema ternura e otimismo. O Diretor encaixa tudo de forma tão natural e bonita, a fotografia do filme é toda adocicada e trilha sonora que de acordo com uma amiga é super “amorzinho”. É um filme intimo singelo e carinhoso que cativa com facilidade.

4 – Clube de Compras Dallas

Foi uma grande duvida escolher entre The Normal Heart e Clube de Compras Dallas, contudo cheguei a conclusão que Jared Letto superou muito minhas expectativas para não merecer um pequeno lugarzinho na minha lista. Não o filme não gira só entorno da AIDS. O Diretor Jean-Marc Vallée soube muito bem fazer da doença um verdadeiro plano de fundo para cada personagem e para profundidade de cada um deles. O Filme que aborda a busca pela sobrevivência no meu ponto de vista é muito mais que político ou até mesmo muito mais que um drama é um filme de Perseverança Humana, Vale ressaltar as super transformações dos atores para viverem os personagens que eram diagnosticados com a doença e lutarem para que as medicações necessárias fossem usadas mesmo que pra isso fosse necessário burlar a lei. É um filme inspirador, comovente cheio de atuações incríveis até nas menores participações.

3 – O Grande Hotel Budapeste

A Estética desse filme é incrível, é de arrepiar só de se lembrar. Temos uma história dentro de uma história dentro de outra história e isso em nenhum momento prejudica o enredo. Pra mim um filme só é bom quando você se apega aos personagens. Wes Anderson sabe fazer isso como ninguém, um cenário incrível, fotografia com atenção especial à Simetria (traço clássico em grande maioria dos filmes do Diretor), figurino incrível. É um daqueles filmes que simplesmente traz nostalgia para qualquer um que assiste.

2 – A Esperança (Parte 1)

É difícil falar desse filme sem me empolgar. Primeira parte do capitulo final da Saga Jogos Vorazes, foi um grande sucesso. É necessário entender que não é só um filme de saga adolescente, existe um crítica por traz dele, uma sensibilidade velada pelos protagonista e pela EXCELENTE Trilha Sonora. O filme abandona as grandes arenas e batalhas para introduzir o psicológico dos personagens após os últimos acontecimentos. Claro que alguns pontos foram apagados na adaptação do livro para o filme, contudo nada realmente comprometedor. Jennifer Lawrence sendo feroz e mostrando a fragilidade de sua personagem é o ponto auto do filme. A Trilha Sonora foi realmente a cereja no topo do bolo, Lorde soube fazer com maestria e transmitir toda a tensão, dor e conflito desse primeiro capitulo em suas canções. Aguardamos agora a Parte 2.

1 – 12 Anos de Escravidão

Eu tenho um experiência muito especial com esse filme. E o considero o melhor por inúmeros motivos. O que me levou a assisti-lo foi a presença de Sarah Paulson, mas os motivos para eu adora não se dão só a presença da querida e imortal Lana Banana. Não achei um adjetivo que simplesmente fosse ao nível para classifica-lo. A Direção é uma das poucas que me comoveu, cativou instantaneamente Steve McQueen sempre foi muito talentoso, mas em 12 anos de escravidão ele chegou ao ápice de seu talento. É um filme tocante que traz a querida e linda Lupita Nyong’o, Michael Fassbender, e o incrível (me arrepio só de escrever e lembrar todas as cenas) Chiwetel Ejiofor. A fotografia do filme é impecável, sem nada de excêntrico clássica, esbanja com perfeição o clima de cada local citada nos livros. 12 anos de escravidão não é um filme em que só se assiste é um filme que se sente, que se comove e que se envolve sendo o melhor de 2014.

Bônus: Yves Saint Laurent

Aos amantes do Mundo da Moda um prato cheio, recheado de fotografia de extrema qualidade, atuações marcante, Um Figurino ao nível do titulo do filme, a uma trilha sonora que se encaixa como uma luva no enredo. A Direção é o ponto auto do filme pra mim, Jalil consegue se aprofunda no grande estilista e em cada desfiladeiro e trauma do grande ícone que ele foi e sempre será. Um filme Fashion, um filme sensível, meu filme preferido de 2014.

Foi um grande ano para o cinema! Com filmes que foram realmente incríveis mesmo não entrando para lista com Os Guardiões da Galáxia, The Normal Heart, Frozen – Uma Aventura Congelante, Ninfomaníaca 1 e 2, Ela, Interestelar, Mommy e Garota Exemplar, Anabelle, Será Que?, A Culpa é das Estrelas entre tantos outros. O ano se despede agradando com satisfação a todos os gostos, desde os mais populares até os mais alternativos e com isso aguardamos que 2015 seja tão cheio de grandes filmes quando seu antecessor. Que o Oscar esteja tão incrível quando ultimo.

Feliz Ano Novo a todos amantes da Sétima Arte.

O que esperar de American Horror Story: Freak Show

Por em |

A queridinha do publico Cult das séries está voltando com sua 4° Temporada que promete ser a mais assustadora e selvagem temporada de todas: American Horror Story – Freak Show estreia dia 08 de Outubro na Fox se existe alguma duvida sobre assistir ou não, nós vamos exterminar todas!

American Horror Story: Freak Show começa seu conto na sonolenta e tranquila aldeia de Jupiter, na Flórida. O ano é 1952. Uma trupe de curiosidades acaba de chegar à cidade, coincidindo com o estranho aparecimento de uma entidade maligna que selvaticamente ameaça a vida dos freaks e dos habitantes da cidade. Esta é a história dos artistas em sua jornada desesperada pela sobrevivência em meio ao mundo agonizante da experiência carnavalesca Americana.

A sinopse acima deixa os fãs e até daqueles que não conhecem a série com um gostinho de quero mais na boca. Criada por Ryan Murphy, American Horror Story ou AHS, está em sua 4° Temporada com mais um novo enredo o “Show de Aberrações”. Temos Jessica Lange, Kathy Bates, Matt Bomer, Angela Basset e Patti LaBelle tá bom pra vocês? Essa é só uma parte do super elenco que ainda é composto por figurinhas carimbadas das outras temporadas como Evan Peters, Sarah Paulson Frances Conroy e Denis O’Hare.

AHS é marcada por algumas características que os fãs esperam todos os anos: os teasers que são o estopim para a histeria dos fanáticos pelas séries. Dessa vez, trouxe várias pernas, palhaços, cabeças, línguas bifurcadas, mulheres dentro de gaiolas e tudo sempre emoldurado pelo lindo, digo, sinistro mundo do circo. Bem a clássica figura de terror deste ano será Twisted Clown, um palhaço assassino que irá por em risco todos os Freaks. Ele será interpretado por Jonh Carroll Lynch e de acordo com as mais recentes entrevistas até pessoas da produção tem tido pesadelos com o que Ryan denominou como “O Palhaço mais Assustador de todos os tempos”. Teremos os clássicos episódios de Halloween chamados respectivamente de “Edward Mordrake, Pt. 1“ e “Edward Mordrake, Pt. 2“ (para os mais ansiosos não colocaremos muitos spoilers, mas uma pesquisa no Google sobre Edward Mordrake revela bastante.) E como Freak Show está bem próxima do período de tempo em que Asylum foi ambientada (1970) teremos a volta de uma das personagens mais queridas Pepper (Naomi Grossman) e também dos números musicais de Jessica Lange.

Falando em música assunto que nós do Fruto Proibido adoramos, recentemente uma Fã tuitou para Ryan dizendo que não assistiria a temporada por estar apavorada como Palhaço Twisted, ele em resposta disse se ela não gostaria de ver Jessica Lange cantando uma canção de Lana Del Rey? Quais são suas apostas sobre tal canção? Nós adoraríamos e ainda tem mais: algumas fontes dizem que Jessica canta no primeiro episódio Life on Mars do David Bowie. Não podemos esquecer de citar Melanie Martinez que viralizou nas ultimas semanas nas redes sociais com sua canção “Carousel” que fez parte da trilha sonora do primeiro Promo oficial que mostrava algum dos personagens principais junto com suas peculiaridades. A musica é incrível e traz aquele mundo bem circense entoando pela voz super fofa da cantora que lança o clipe da canção na mesma data de estreia da série.

Tão perto da estreia, os teasers e as promos para vocês conferirem os últimos detalhes. Contudo AHS: Freak Show só chega à Fox Brasil em Janeiro de 2015. Aos mais ansiosos, nada que uma busca em sites de séries online não os acalme. Ontem tivemos a premieré da série em Nova York, e sabemos que Ryan nunca traz somente o enredo, e sim toda uma experiência sobre o mundo de cada temporada, em Freak Show a Fox libera pequenos vídeos em que os atores contam parte de suas experiências e suas vidas cada qual com sua característica antes e durante a série.

Já os Fãs participam todos os anos da famosa experiência real sobre AHS, que na sua primeira temporada levou alguns fãs a casa assombrada por espíritos, logo depois ao sanatório vivendo como verdadeiros pacientes e ano passado vivenciaram a encenação de ritos e sacrifícios do Coven. Esse ano algumas informações sobre o Show de Aberrações promete deixar os sortudos de cabelo em pé.
American Horror Story: Freak Show promete um elenco de matar, fotografia e efeitos especiais de primeira qualidade, posters cheio de anomalias e cor, trilha sonora estonteante e sustos acompanhados do que promete ser a melhor temporada de todos os tempos. Nós estamos super ansiosos por AHS: Freak Show e vocês?

 

Gabriel Félix
Aspirante a escritor, emocionalmente vintage, Mineiro, leonino, 16 anos. Apaixonado por musica, livros, moda, filmes e séries, fotografia e teatro.

 

A Dama Fatal de 2014: Eva Green

Por em |

Aos queridinhos da 7ª Arte o trocadilho foi um tanto quanto bem pensado já que o filme Sin City: A Dama Fatal, que estreia em agosto é só mais um dos trabalhos que me fazem acreditar que você deve saber um pouco mais sobre Eva Green.

“Eva Green é tão linda que chega a ser indecente.”
-Bernardo Bertolucci, que a lançou para o estrelato em 2003.

Geminiana, nascida em Paris Eva Gaëlle Green, ou somente Eva Green é a nova queridinha do cenário “Cinema-Tv” 2014. Com 34 anos, filha da Atriz Marlène Jobert com dentista Sueco Walter Green passou boa parte de sua infância na Terra da Rainha. Quando com 14 anos sua veia artística floresceu após assistir o filme A História de Adele H, resolveu seguir os passos de sua mãe se tornando atriz dos palcos e se polindo aos poucos. Mas foi somente com 23 anos que Bernardo Bertolucci lançou Eva como sua Lolita sensual no filme Os Sonhadores (vale a pena conferir) que causou polêmica por suas inúmeras cenas de nudez a alfinetadas peculiares ao cinema Americano, que ficou chocado com o erotismo do filme.

Em 2007 ela tem o ápice para ser condensar como Sex Symbol chegando ao estrelato internacional como Bond Girl em Cassino Royale, ser extremamente sexy e envolvente não foi tarefa difícil pra Eva e seu vestido Berinjela numa das melhores cenas do filme onde contracenava com o Ator Daniel Craig. No mesmo ano atuou ainda com ele em A Bússola de Ouro. Em 2012 contracenou com Johnny Depp no divertidíssimo ‘Sombras da Noite’. Onde Interpretou uma bruxa com as suas madeixas loiras e com um clássico batom vermelho que enchia cada cena obscura dos clássicos filmes de Tim Burton.


Tendo mais alguns trabalhos em todo esse tempo foi em 2014 que Eva Green realmente se tornou figurinha carimbada nas grandes produções. Primeiro em 300: Ascensão de um Império interpretando a poderosa Artemisia. Mas minha atenção realmente foi capturada quando Penny Dreadfull foi lançada, a série trouxe Eva Green como protagonista, consagrando-à de uma vez por todas como uma majestosa figura das artes dramáticas. Eva Green nasceu para ser Bruxa Sombras da Noite foi um verdadeiro aperfeiçoamento para que futuramente o denso enredo de Penny Dreadfull do canal Showtime, mas que é exibida pela HBO no Brasil lhe caísse como uma luva. Ela é a misteriosa Vanessa Ives que em uma Londres suja e escura de um século passado, lida com forças sobrenaturais e criaturas sombrias de toda a natureza. Pra os amantes de Antologias do Terror clássico bordado por um enredo Psicossexual como eu, a série é um prato cheio, já no cenário mundial e no ponto de vista dos Críticos a série ”Lacrou” a concorrência do primeiro Semestre.

Eva Green ainda tem o lançamento do polemico Sin City: A Dama Fatal, onde o cartaz foi censurado por conter a moça seminua. Penny Dreadfull depois de ser aclamada pela critica e pelos Fãs tem sua Segunda Temporada confirmada. A mais recente novidade aos fãs da atriz é a possibilidade de estrelar ‘O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares’ dirigido por Tim Burton, previsto para chegar aos cinemas em 2015. A Atriz ainda é musa do Calendário Campari 2015 uma das obras artísticas mais badaladas e exclusivas do mundo da Moda.


Amada por grifes como Armani, Christian Dior e Lancôme,  classificada como a 4° maior Bond Girl de todos os tempos pela revista Entertainment Weekly. Queridinhas de nomes como Tim Burton e Tarantino, ovacionada pela crítica, compositora de musicas em Flauta e Piano. a moça é sinônimo de bom gosto, estilo e beleza. Eva Green é um pacote completo, peculiar e extremamente raro nos tempos de estrelas vazias nas grandes telas.

Se talvez todos os motivos listados acima não o tenha convencido de que ela é o grande nome de 2014, faça por si mesmo e confira o trabalho da francesa e tire suas conclusões. Sobre 2015 posso garantir que você ainda vai ouvir muito o nome de Eva Green (se pronuncia gren não grin ok?).

 

Gabriel Félix
Aspirante a escritor, emocionalmente vintage, Mineiro, leonino, 16 anos. Apaixonado por musica, livros, moda, filmes e séries, fotografia e teatro.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...