Filmes

A incrível história de Adaline

Por em |

A-Incrivel-Historia-de-Adaline

Que Blake Lively é uma atriz extraordinária, todos estão cansados de saber. Serena foi épica e ao lado de Blair comandavam e roubavam todas as cenas de Gossip Girl. A atriz sabe como se adaptar aos papeis e conseguir até mesmo ter destaque quando outras atrizes não teriam essa capacidade, como foi em Lanterna Verde onde seu papel não era tão relevante, mas ainda sim simpatizamos mais com Carol Ferris (Blake) do que com o protagonista Hal Jordan.

Começo assim essa resenha para falar que a incrível história de Adaline é, sem sombra de dúvida, ser interpretada por Blake Lively. Que está elegantérrima e maravilhosa no papel.

Adaline Bowman é uma mulher que após sofrer um acidente de carro perdeu a capacidade de envelhecer. Desde o dia em que seu carro caiu de uma ponte dentro de um lago gelado e foi atingido por um raio ela nunca mais envelheceu, parando na idade de 28 anos. Adaline teve que mudar de nome e de cidade diversas vezes em função de seus perseguidores, nunca teve um amor, pois sabia que nunca poderia ter futuro com eles, mas isso muda ao conhecer Ellis e finalmente se permitir, porém, conhecer a família dele pode mudar tudo isso.

17411437

Muito parecida com o Curioso Caso de Benjamim Button, feito por Brad Pitt, “The Age of Adaline”, na versão em inglês, só tem semelhança mesmo na questão temporal. O filme traz uma narrativa delicada e sensível sobre a vida e o quanto a possibilidade de um futuro é importante para qualquer pessoa e o quanto esperar pela morte, que virá em algum momento, é algo que faz parte e, acima de tudo, precisa fazer parte da vida.

Blake mostra um lado seu ao dar vida a Adaline que não estávamos acostumados a ver. Ela é mãe de uma mulher que tem idade para ser sua avó e convence o público magistralmente que a relação é invertida. Você sofre com Adaline da maneira que sofreria com qualquer pessoa sem uma perspectiva de futuro. Como sofreria com uma pessoa condenada a não chegar a lugar algum.

Você sofre, pois Adaline quer ter uma vida e o destino lhe tirou esse direito. E o espectador espera que ela possa ter isso, o espectador espera que Adaline ame e seja amada e possa ficar com essa pessoa, pois a cena em que ela está dentro do táxi e vê o seu amado segurando um anel de noivado que ela não pode aceitar é de cortar o coração. Ela queria aquilo, mas não podia ter.

Enfim, “A incrível história de Adaline” poderia ser um filme caído em todos os clichês básicos de qualquer história com essa temática, não é uma trama nova, mas ele vai além e mostra forma e consistência se tornando um filme de qualidade impressionante e dando a Blake Lively um posto de grande atriz que poucas podem dizer que tem.

Os 10 Melhores Filmes de 2014

Por em |

2014 foi um ano bem agitado no mundo das Telonas. As Super Produções nunca estiveram tão implacáveis. O Cinema alternativo borbulhou de grandes nomes, os festivais estiveram super acirrados. O Oscar consagrou novos e grandes nomes e criou um dos maiores memes do ano. Essa é minha pequena lista do que 2014 teve de melhor no cinema Mundial.

10 -The Babadook

O representando da Categoria Terror é um filme Australiano que me causou pesadelos por longos 3 dias. Se trata de um Terror psicológico, tecnicamente falando eu achei a atmosfera dos ambientes em que o filme se passa tão sombrios quanto toda história. Um mãe e um filho por um acaso encontram um livro (bem alá “Samara” de O Chamado) que após ser lido invoca uma criatura que pretende matar seu filho. Enfim ele filme de terror bom pra mim deve botar medo, com certeza Babadook fez isso e garanto que não vai ser só em mim. O filme não estreou oficialmente no Brasil ainda, mas você acha se procurar.

9 – Boyhood – Da Infância à Juventude

Incrível seria a melhor palavra para defini-lo. O que existe de especial nesse filme? O elenco, não que seja cheio de grandes nomes, antes fosse isso durante os 12 anos de gravação de Boyhood o elenco foi o mesmo, marcando as transformações dos atores e as aplicando nos personagens, não deixando nenhuma falha durante o passar dos anos. Um filme com um enredo que mostra a realidade de algumas famílias modernas, a profundidade das pessoas normais. Um filme simples, mas extremamente satisfatório. OS: Como não amar um filme em que uma das personagens Ama Lady Gaga?

8 – Capitão America: O Soldado Invernal

Sim. Um dos melhores filmes de 2014. Enredo impecável, os efeitos simplesmente destruidores, a típica franquia de Herói que em cativou esse ano foi Capitão América. Um típico mocinho, que luta contra todos inclusive o próprio amigo. As cenas de perseguições são eletrizantes. Sem contar que qualquer filme com Scarlett Johansson deve ser exaltado por ter em seu elenco tamanha beleza. Como um filme de ação nato ele cumpre seu objetivo, lhe instiga até o ultimo minuto. E ainda abre todos os pontos para as possíveis continuações.

7 – Malévola

Como ignorar o que pra mim foi o melhor filme de fantasia do ano? Foi extremamente lindo. A clássica história de A Bela Adormecida está recheada de efeitos visuais estão presentes em todo o filme. E eu particularmente amo a atmosfera escura presente na Fotografia e em todo ambiente do filme. Para Completar tínhamos Lana Del Rey cantando Once Upon a Dream e Angelina Jolie no papel da grande Bruxa. O filme é um prato cheio aos olhos, contudo só senti falta do Humor comumente presente nas produções da Disney.

6 – Vidas ao Vento

A biografia de um importante engenheiro japonês que trouxe grandes avanços durante o período da Segunda Guerra Mundial. Certo como uma animação com esse tema pode estar numa lista sobre os 10 melhores filmes de 2014? Simples é uma animação do renomado Estúdio Ghibli, e ainda por cima é dirigido por Hayao Miyazaki. Particularmente as animações atuais estão muito divididas em contos de fadas e heroísmo. Vidas ao Vento é um filme delicado, tem um trilha sonora única, e acima de tudo fica próximo a Boyhood por ser um filme real, com pessoas reais. O Estúdio Ghibli ganhou Oscar de melhor animação em 2001 com um filme com o mesmo diretor. Classifica-lo como uma das melhores animações de 2014 não é um erro mas, um verdadeira ousadia. Garanto lagrimas e uma animação diferente de toda essa coisa de fantasias e poderes.

5 – Hoje eu Quero Voltar Sozinho

Já foi citado sim aqui no FP. Mas eu seria um carrasco se o colocasse na minha lista de melhores de 2014. Com a temática LGBT super em alta no Cinema Nacional, o filme segue de forma leve e delicada, com super a super atuação do protagonista que faz um garoto cego que se apaixona por seu amigo. Um filme de extrema ternura e otimismo. O Diretor encaixa tudo de forma tão natural e bonita, a fotografia do filme é toda adocicada e trilha sonora que de acordo com uma amiga é super “amorzinho”. É um filme intimo singelo e carinhoso que cativa com facilidade.

4 – Clube de Compras Dallas

Foi uma grande duvida escolher entre The Normal Heart e Clube de Compras Dallas, contudo cheguei a conclusão que Jared Letto superou muito minhas expectativas para não merecer um pequeno lugarzinho na minha lista. Não o filme não gira só entorno da AIDS. O Diretor Jean-Marc Vallée soube muito bem fazer da doença um verdadeiro plano de fundo para cada personagem e para profundidade de cada um deles. O Filme que aborda a busca pela sobrevivência no meu ponto de vista é muito mais que político ou até mesmo muito mais que um drama é um filme de Perseverança Humana, Vale ressaltar as super transformações dos atores para viverem os personagens que eram diagnosticados com a doença e lutarem para que as medicações necessárias fossem usadas mesmo que pra isso fosse necessário burlar a lei. É um filme inspirador, comovente cheio de atuações incríveis até nas menores participações.

3 – O Grande Hotel Budapeste

A Estética desse filme é incrível, é de arrepiar só de se lembrar. Temos uma história dentro de uma história dentro de outra história e isso em nenhum momento prejudica o enredo. Pra mim um filme só é bom quando você se apega aos personagens. Wes Anderson sabe fazer isso como ninguém, um cenário incrível, fotografia com atenção especial à Simetria (traço clássico em grande maioria dos filmes do Diretor), figurino incrível. É um daqueles filmes que simplesmente traz nostalgia para qualquer um que assiste.

2 – A Esperança (Parte 1)

É difícil falar desse filme sem me empolgar. Primeira parte do capitulo final da Saga Jogos Vorazes, foi um grande sucesso. É necessário entender que não é só um filme de saga adolescente, existe um crítica por traz dele, uma sensibilidade velada pelos protagonista e pela EXCELENTE Trilha Sonora. O filme abandona as grandes arenas e batalhas para introduzir o psicológico dos personagens após os últimos acontecimentos. Claro que alguns pontos foram apagados na adaptação do livro para o filme, contudo nada realmente comprometedor. Jennifer Lawrence sendo feroz e mostrando a fragilidade de sua personagem é o ponto auto do filme. A Trilha Sonora foi realmente a cereja no topo do bolo, Lorde soube fazer com maestria e transmitir toda a tensão, dor e conflito desse primeiro capitulo em suas canções. Aguardamos agora a Parte 2.

1 – 12 Anos de Escravidão

Eu tenho um experiência muito especial com esse filme. E o considero o melhor por inúmeros motivos. O que me levou a assisti-lo foi a presença de Sarah Paulson, mas os motivos para eu adora não se dão só a presença da querida e imortal Lana Banana. Não achei um adjetivo que simplesmente fosse ao nível para classifica-lo. A Direção é uma das poucas que me comoveu, cativou instantaneamente Steve McQueen sempre foi muito talentoso, mas em 12 anos de escravidão ele chegou ao ápice de seu talento. É um filme tocante que traz a querida e linda Lupita Nyong’o, Michael Fassbender, e o incrível (me arrepio só de escrever e lembrar todas as cenas) Chiwetel Ejiofor. A fotografia do filme é impecável, sem nada de excêntrico clássica, esbanja com perfeição o clima de cada local citada nos livros. 12 anos de escravidão não é um filme em que só se assiste é um filme que se sente, que se comove e que se envolve sendo o melhor de 2014.

Bônus: Yves Saint Laurent

Aos amantes do Mundo da Moda um prato cheio, recheado de fotografia de extrema qualidade, atuações marcante, Um Figurino ao nível do titulo do filme, a uma trilha sonora que se encaixa como uma luva no enredo. A Direção é o ponto auto do filme pra mim, Jalil consegue se aprofunda no grande estilista e em cada desfiladeiro e trauma do grande ícone que ele foi e sempre será. Um filme Fashion, um filme sensível, meu filme preferido de 2014.

Foi um grande ano para o cinema! Com filmes que foram realmente incríveis mesmo não entrando para lista com Os Guardiões da Galáxia, The Normal Heart, Frozen – Uma Aventura Congelante, Ninfomaníaca 1 e 2, Ela, Interestelar, Mommy e Garota Exemplar, Anabelle, Será Que?, A Culpa é das Estrelas entre tantos outros. O ano se despede agradando com satisfação a todos os gostos, desde os mais populares até os mais alternativos e com isso aguardamos que 2015 seja tão cheio de grandes filmes quando seu antecessor. Que o Oscar esteja tão incrível quando ultimo.

Feliz Ano Novo a todos amantes da Sétima Arte.

O que achei de The Maze Runner – Correr ou morrer

Por em |

Foto: Google - Se essa foto for sua, entre em contato

“Cruel é bom”

Em uma época em que distopias colocando adolescentes como protagonistas está em alta, vemos “Jogos Vorazes” chegando ao seu final e “Divergente” recém emergindo e galgando um sucesso tremendo. Porém, não é sobre nenhuma das duas que falarei hoje e sim sobre “The Maze Runner – Correr ou Morrer”, primeira parte da saga de James Dashner.

A história gira em torno de Thomas que, ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos.

Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar – chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.

Fiquei muito surpreso com o nível do filme. Com tantas distopias surgindo, era de se supor que a tentativa de uma tentar ser melhor que a outra pudesse fazer a produção cometer erros. Isso não aconteceu com “Maze Runner”. Além de uma história muito bem amarrada, os cenários do labirinto são surpreendentemente bem feitos. A qualidade gráfica gera uma vertigem gigante nas cenas de ação e os Verdugos, monstro que habitam o interior do local, são realmente bem feitos.

Ponto também para as atuações de Dylan O’Brien, como Thomas e Kaya Scodelario, como Teresa, que foram muito bem e tem tudo para se tornarem os novos queridinhos dos aficionadas por distopias, agora que “Jogos Vorazes” está dando adeus. Eles têm mesmo tudo para galgar esse sucesso.

Por fim, mas não menos importante, a história excelente foi tão bem nas bilheterias que a parte dois, “Prova de Fogo”, já foi confirmada para 17 de setembro do ano que vem e partirá de onde “Correr ou Morrer” parou, ou seja, será incrível, pois o final foi muito bom. Então, é esperar para ver.

★★★★☆

5 motivos para assistir a “A Aposta do Cavalheiro”

Por em |

1. É um curta-metragem da Johnnie Walker Blue Label.

2. Os atores Jude Law e Giancarlo Giannini estão nele.

3. Dirigido pelo aclamado diretor britânico, Jake Scott.

4. As Ilhas Virgens Britânicas, Londres e Caribe foram os cenários escolhidos para o filme.

5. Tem um final surpreendente.

A história de um homem em busca de uma experiência rara

“A Aposta do Cavalheiro” conta a história de uma aposta entre dois homens lutando para o progresso pessoal, através da busca de uma experiência verdadeira e única.

A história se desenrola a partir do momento em que Jude Law, que interpreta um homem ambicioso, juntamente a Giancarlo Giannini estão bebendo uísque Johnnie Walker Blue Label em um barco no meio do oceano e apesar de já ter conquistado tudo, desafia-se a lutar por algo que ele almeja e não há dinheiro que compre.

Comentando sobre o seu papel e envolvimento no filme, Jude diz: “O filme é sobre a melhoria e progresso e isso é algo que eu tento fazer no meu trabalho e na minha vida cotidiana. Trabalhar com Jake e com Giancarlo, estar nesses lugares que visitei e sem contar todo o aprendizado, fez dessa experiência um momento verdadeiramente raro.

James Thompson, diretor administrativo da Diageo Reserve diz estar feliz com o resultado do curta e ressalta: “Estamos muito satisfeitos em lançar ‘A Aposta do Cavalheiro’. Para nós, Jude encarna o espírito progressista que a marca Johnnie Walker Blue Label se identifica e celebra, por isso estamos muito contentes que ele assumiu o papel principal do filme e estamos ansiosos para continuar a trabalhar com ele no futuro.”

Eu Sou do CBBlogers

A Dama Fatal de 2014: Eva Green

Por em |

Aos queridinhos da 7ª Arte o trocadilho foi um tanto quanto bem pensado já que o filme Sin City: A Dama Fatal, que estreia em agosto é só mais um dos trabalhos que me fazem acreditar que você deve saber um pouco mais sobre Eva Green.

“Eva Green é tão linda que chega a ser indecente.”
-Bernardo Bertolucci, que a lançou para o estrelato em 2003.

Geminiana, nascida em Paris Eva Gaëlle Green, ou somente Eva Green é a nova queridinha do cenário “Cinema-Tv” 2014. Com 34 anos, filha da Atriz Marlène Jobert com dentista Sueco Walter Green passou boa parte de sua infância na Terra da Rainha. Quando com 14 anos sua veia artística floresceu após assistir o filme A História de Adele H, resolveu seguir os passos de sua mãe se tornando atriz dos palcos e se polindo aos poucos. Mas foi somente com 23 anos que Bernardo Bertolucci lançou Eva como sua Lolita sensual no filme Os Sonhadores (vale a pena conferir) que causou polêmica por suas inúmeras cenas de nudez a alfinetadas peculiares ao cinema Americano, que ficou chocado com o erotismo do filme.

Em 2007 ela tem o ápice para ser condensar como Sex Symbol chegando ao estrelato internacional como Bond Girl em Cassino Royale, ser extremamente sexy e envolvente não foi tarefa difícil pra Eva e seu vestido Berinjela numa das melhores cenas do filme onde contracenava com o Ator Daniel Craig. No mesmo ano atuou ainda com ele em A Bússola de Ouro. Em 2012 contracenou com Johnny Depp no divertidíssimo ‘Sombras da Noite’. Onde Interpretou uma bruxa com as suas madeixas loiras e com um clássico batom vermelho que enchia cada cena obscura dos clássicos filmes de Tim Burton.


Tendo mais alguns trabalhos em todo esse tempo foi em 2014 que Eva Green realmente se tornou figurinha carimbada nas grandes produções. Primeiro em 300: Ascensão de um Império interpretando a poderosa Artemisia. Mas minha atenção realmente foi capturada quando Penny Dreadfull foi lançada, a série trouxe Eva Green como protagonista, consagrando-à de uma vez por todas como uma majestosa figura das artes dramáticas. Eva Green nasceu para ser Bruxa Sombras da Noite foi um verdadeiro aperfeiçoamento para que futuramente o denso enredo de Penny Dreadfull do canal Showtime, mas que é exibida pela HBO no Brasil lhe caísse como uma luva. Ela é a misteriosa Vanessa Ives que em uma Londres suja e escura de um século passado, lida com forças sobrenaturais e criaturas sombrias de toda a natureza. Pra os amantes de Antologias do Terror clássico bordado por um enredo Psicossexual como eu, a série é um prato cheio, já no cenário mundial e no ponto de vista dos Críticos a série ”Lacrou” a concorrência do primeiro Semestre.

Eva Green ainda tem o lançamento do polemico Sin City: A Dama Fatal, onde o cartaz foi censurado por conter a moça seminua. Penny Dreadfull depois de ser aclamada pela critica e pelos Fãs tem sua Segunda Temporada confirmada. A mais recente novidade aos fãs da atriz é a possibilidade de estrelar ‘O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares’ dirigido por Tim Burton, previsto para chegar aos cinemas em 2015. A Atriz ainda é musa do Calendário Campari 2015 uma das obras artísticas mais badaladas e exclusivas do mundo da Moda.


Amada por grifes como Armani, Christian Dior e Lancôme,  classificada como a 4° maior Bond Girl de todos os tempos pela revista Entertainment Weekly. Queridinhas de nomes como Tim Burton e Tarantino, ovacionada pela crítica, compositora de musicas em Flauta e Piano. a moça é sinônimo de bom gosto, estilo e beleza. Eva Green é um pacote completo, peculiar e extremamente raro nos tempos de estrelas vazias nas grandes telas.

Se talvez todos os motivos listados acima não o tenha convencido de que ela é o grande nome de 2014, faça por si mesmo e confira o trabalho da francesa e tire suas conclusões. Sobre 2015 posso garantir que você ainda vai ouvir muito o nome de Eva Green (se pronuncia gren não grin ok?).

 

Gabriel Félix
Aspirante a escritor, emocionalmente vintage, Mineiro, leonino, 16 anos. Apaixonado por musica, livros, moda, filmes e séries, fotografia e teatro.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...