No iPod

No iPod: Tove Lo – Habits (Stay High)

Por em |

tove-lo-32285-1280x800

Eu me considero garimpeiro da música pop atual, e eu estou sempre tentando ouvir coisas novas, sonoridades diferentes do que estamos acostumados no mainstream dos charts. Numa dessas minhas buscas em 2014, eu descobri a sueca Tove Lo de 28 anos. Nascida em Estocolmo, a moça já tinha composto canções para alguns artistas como Icona Pop, Lea Michele e Girls Aloud.

Habits (Stay High) foi a prova que ela não seria só mais um compositora que decide se jogar no mercado musical e simplesmente desaparecer. A sueca simplesmente tem mais de 17 milhões de visualizações com as duas versões do vídeo da música no Youtube. Com batidas e um letra totalmente chiclete, “Habits” está desde o meio do ano passado até hoje como uma das minhas executadas da minha playlist.

Com seu mais recente trabalho Queen of the Clouds, Tove Lo vem se consagrando no mercado internacional e contagiando todos com hits como o já citado Habits, Talking Body e Not on Drugs. O sucesso da moça é tão grande que rendeu até um evento entre os milhões de eventos fakes do Facebook nomeado “MUTIRÃO PARA STAY HIGH ALL THE TIME” que já conta com 24 mil confirmados.

Dê o play no videoclipe da música e prepare-se para ficar viciado na música, assim como eu.

Lista: 10 álbuns de 2014

Por em |

Vocês se deram conta que 2014 acabou? Bom, eu não. Pra mim tudo passou muito rápido e quando percebi estava montando minha árvore de natal e vendo todo mundo ouvir o cd da Simone.

Enfim, como é tradição aqui no blog, todo ano venho postar os 10 álbuns que mais ouvi, gostei, recomendei, cansei e enjoei ao longo desses doze meses. Vamos começar?

10º Xscape
Michael Jackson
Nunca fui muito a favor de discos póstumos e quando fiquei sabendo que a Sony iria lançar mais um do meu ídolo Michael Jackson achei que a casa ia cair. Primeiro que MJ era super perfeccionista e se não lançou essas músicas, era porque achava que não estavam a sua altura. Mas até que a gravadora teve uma sacada interessante: chamou alguns produtores (djs/mixers) e os deram as demos para que eles as deixassem contemporâneas e dessem uma roupagem nova ao som único do Rei do Pop. Me surpreendi com a qualidade das novas “produções”, mas esse álbum me ganhou mesmo por conter as músicas originais e com aquele jeitinho de Jackson. E um single com a participação de Justin Timberlake dominou o ano, tocando em tudo quanto é canto.
Eu amo: Xscape, Love Never Felt So Good e Do You Know Where Your Children Are
Música delicinha: Loving You

9º Broke With Expensive Taste
Azealia Banks

Se Azealia Banks pudesse ter um outro nome, com certeza seria Guerreira. Passando por tantos perrengues, músicas vazadas, mixtapes lançadas, singles flopados, o descaso da gravadora, brigas, barracos e mais brigas… o seu tão sonhado álbum saiu nesse ano. E posso dizer? A espera valeu a pena. Zezé pegou o suprasumo de suas 10245801 demos e transformou em um dos melhores álbuns de 2014. Digamos que andou jogando poeira no olho de muita veterana aí ein.
Eu amo: Chasing Time, 212 e Luxury
Música delicinha: Ice Princess

8º Louder
Lea Michele

Rachel Berry foi considerada a personagem favorita da série Glee, e isso foi o suficiente para que Lea Michele lançasse um álbum para seus fãs cantando músicas próprias. Estorou e agradou a todos. Seu álbum é pop e romântico, leve e cheio de amor e baladas envolventes. Impossível não amar logo na primeira audição. Eu fiquei preso por dias com You’re Mine em minha cabeça. Você pode ler o review completo aqui.
Eu amo: Cannonball, On My Way, Don’t Let Go e Louder
Música delicinha: You’re Mine

7º Born Naked
RuPaul

Quando alguém fala RuPaul todo mundo se lembra da “corrida” mais louca da televisão. Sim, estou falando do reality show “RuPaul’s Drag Race” que a cada dia conquista mais e mais fãs das dragqueens mais talentosas e divertidas da América. Há três anos conheci a série e me apaixonei, mas de tudo o que mais me chamou a atenção foi a trilha sonora, na qual RuPaul mesmo cantava as músicas. Baixei todos os álbuns e em 2014 a nossa Mama Ru lançou o novo trabalho que serviu de trilha sonora para a temporada que também foi exibida nesse ano. Com participações especiais e uma produção a la Britney Spears, RuPaul fez um álbum que conquistou muitos por aí.
Eu amo: Sissy That Walk, Fly Tonight, Born Naked e Feel Like Dancing
Música delicinha: Can I Get An Amen

6º 1000 Forms Of Fear
Sia

Depois de Happy, Chandelier foi a música que você mais deve ter ouvido nesse ano né? Bom, eu ouvi muito e por livre e espontânea vontade. Sia não se tornou a querida dos produtores a toa. Com uma mente incrível e com sua habilidade em fazer hits, a mulher simplesmente dominou o ano: seja com composições em sua voz ou “emprestando” para outros artistas. O álbum que tem um conceito complexo, mora desde o dia que foi lançado em meu coração e aqui irá continuar, pois esse cd fala por si. Uma obra de arte. Você pode ler o review completo aqui.
Eu amo: Big Girls Cry, Chandelier e Free The Animal
Música delicinha: Eye Of The Needle

5º The New Classic
Iggy Azalea

Sabe aquela artista que bombou na hora certa? Então, essa foi a chance que Iggy Azalea teve e fez bonito! Botou seu single “Fancy” no topo das paradas e se garantiu. Como uma das músicas mais tocadas, o seu álbum foi um dos mais esperados e não ficou devendo. Com seu rap com uma pegada eletrônica, Iggy se tornou um dos icones do ano e exalou sensualidade por onde passou. Eu mesmo me rendi a loira e não consigo mais soltar.
Eu amo: Black Widow, Fancy, Bounce e Work
Música delicinha: Don’t Need Y’all

4º Trouble in Paradise
La Roux

Quando postei o review sobre o álbum do La Roux, eu já estava viciado nele há algum tempo, até porque demorei um pouco para postar, pois estava tentando ser o mais específico possível para descrever o novo trabalho. Creio que ainda me falta palavras para isso, mas só digo uma coisa: o ouçam sempre e nos encontramos no show deles ano que vem!
Eu amo: Kiss and Not Tell, Cruel Sexuality, Sexoteque, Paradise is You, Tropical Chancer e Uptight Downtown
Música delicinha: Let Me Down Gently

3º 1989
Taylor Swift

Chegando perto do fim do ano, Taylor Swift enfim deu as caras e nos deu de presente o álbum 1989. Para ela, o seu renascimento na carreira e sua nova aposta 100% pop. Chamou produtores especialistas no gênero e arrasou nas letras (até porque ela tem muito material inspirador, rs) e nos colocou pra dançar, para cantar, para se declarar, para curar dor de amor e até atacar as inimigas com algumas indiretas. Taylor veio com um cabelinho curto lindo e muita juventude a mostra. Eu até diria que esse álbum é o melhor do ano, porém não o considerei em primeiro lugar porque saiu muito tarde e teve outro que ouvi e me identifiquei mais.
Eu amo: Style, Blank Space, Shake It Off, Bad Blood, Out Of The Woods, Welcome To New York…
Música delicinha: I Know Places

2º Glorious
Foxes

Muita gente pode não conhecer a Foxes, mas com certeza já ouviu muito sua participação na música Clarity do Dj Zedd. Mas eu a conheci por acaso, procurando músicas no Last.Fm ouvindo seu maior hit, “Youth” e daí fui ver e ela não tinha álbum. Não passou muito tempo e ela logo lançou o seu “Glorious” que é uma glória mesmo. Um pop calmo e intenso e com muito electro seguindo a linha da música. Sem contar as letras fortes e otimistas, todas de sua autoria. Me apaixonei e ouvi o ano todinho. Vale a pena!
Eu amo: Night Owls Early Birds, Youth, Let Go for Tonight e Holding Onto Heaven
Música delicinha: Shaking Heads

1º Sheezus
Lily Allen

Lily Allen dispensa apresentações né? Essa britânica da língua solta andou cantando muito por aqui, e não foi pouco também. Ouvia enquanto trabalhava, ouvia enquanto me exercitava, ouvia quando estava dirigindo, ouvia enquanto tomava banho… Enfim, ouvi muito. O álbum é eclético, tem músicas para dançar, para se apaixonar e algumas para soltar os cachorros. Lily sempre polêmica envolve todo tipo de assunto em Sheezus e as vezes faz até paródia de si mesma. Um trabalho impecável depois de anos de férias, Allen fez um álbum que conseguiu manter seu legado. Esse sim, o melhor do ano… na minha opinião. Leia o review aqui.
Eu amo: Hard Out Here, Air Balloon, Silver Spoon, URL Badman e Sheezus
Música delicinha: Take My Place


DESTAQUE: TILL DEATH DO US PARTY
Adore Delano

“PARTY!” é a frase que resumo Adore Delano, uma das competidoras da sexta temporada de RuPaul’s Drag Race e que com seu carisma, singularidade, garra e talento passou por cima das outras “queens” e se tornou a favorita de todas as temporadas. É mole? Sem contar que por pouco não ganhou a competição, pois ficou entre as três finalistas. Aproveitando todo o buzz em cima de seu nome, Adore que antes já no passado já tinha competido no American Idol, foi esperta e gravou um álbum pop e cheio de letras engraçadas e sensuais. E digamos que até ultrapassou o de RuPaul nas vendas, sendo uma das únicas dragqueens a estreiar em rankings de níveis internacionais. Everybody loves Adore. We Adore her. <3 Eu amo: Calling All Goddess, DTF, Party, The Creeps…
Música delicinha: Adore You

E bom, não podia deixar de mencionar a estréia de Ariana Grande que fez o single “Problem” junto com Iggy Azalea ser o hit do ano. O comeback ignorado de Kylie Minogue que trouxe um álbum produzido pelos melhores, mas não segurou tanto nossa atenção. Shakira e seu ótimo álbum autointitulado com músicas excelentes, mas não vi novidade alguma, mas confesso que ouvi umas duas semanas seguidas. Kelis também voltou muito conceitual e lançou um álbum que não conseguiu superar nada que fez em seu elétrico Flesh Tone, mas fiquei viciado em “Jerk Ribs” e a doce “Breakfast”. E pra finalizar, Nicki Minaj e Charli XCX chegaram com seus álbuns e pelo que ouvi, não consegui ver nenhuma música que se pareça com as esmagadoras “Boom Clap” e “Anaconda”, respectivamente.

2014 rendeu né?
E para você?? Qual são os melhores álbuns deste ano??

No iPod: Tokio Hotel – Love Who Love You Back

Por em |

Para quem não sabe, Tokio Hotel é uma banda com origem alemã e que ficou muito famosa em meados de 2007 com seu rock alternativo e que chamava a atenção pela imagem andrógina de seu vocalista, Bill Kaulitz. Em 2009, a banda foi afinando seu estilo, e lançando posteriormente o álbum “Humanoid” com referências eletrônicas e com um som pouco diferente do antecessor, mas contudo foi um grande sucesso.

Depois de cinco anos sem lançar um álbum de estudio, o Tokio Hotel volta com tudo em um álbum que grita novidade. A real prova é o single “Love Who Love You Back” que apesar de ter sido lançado em setembro, só fui ouvir agora e claro, estou vi-ci-a-do! Primeiramente porque a pegada da música é toda retro com elementos oitentistas e ao mesmo tempo futurísticas. Com a produção assinada pelo time Rock Mafia, “Love” é uma faixa em que diz de fato, para amar quem te ama.

Adorei a pegada da música e o clipe é um tanto quanto sexy. Vejam!

No iPod: Meghan Trainor – All About That Bass

Por em |

Uma fofinha vem chamado à atenção dos charts nos últimos meses, principalmente do complicado mercado norte-americano. Meghan Trainor é uma cantora estadunidense de vinte anos, que há algum tempo atrás, lançou uma delícia chamada ‘All About That Bass’. A música serve como crítica a quem acha que para ter beleza e gingado tem que ser tamanho 36!

“Porque cada centímetro de você é perfeito / De baixo até o topo” são um dos versos entoados na música, que apesar de parecerem clichês, se encaixam perfeitamente com a mensagem que é passada. A canção já tem feito um burburinho, morando no topo cinco do iTunes desde seu lançamento, além de ficar na posição #4 da Billboard.

Então se mexa, porque Meghan está trazendo as curvas e o boom boom de volta!

Carlos Paranhos
Um futuro jornalista de 18 anos. Pisciano fascinado por cinema, música, e arte pop em geral. Tentando ser a mudança que quero ver no mundo.

No iPod: Leah – Home

Por em |

Se tem uma música que ando ouvindo várias vezes por dia, essa é Home, novo single da Leah McFall.
Desde que saiu uma versão ripada das rádios e em baixa qualidade estou ouvindo sem parar.

Não demorou muito e Leah lançou o lyric vídeo que apesar de simples, achei uma fofura. Aproveitei e ripei o áudio do video e tive uma melhor qualidade para meu viciozinho. Até porque o single só será lançado mês que vem. A música tem uma pegada pop que a gente ama e a letra diz em fazer tudo por quem amamos e se sentir em casa. Inspirador né?

Hoje foi lançado oficialmente o clipe que é muito amor. Simples e todo trabalhado no estilo holográfico, tem Leah com uma mochilinha e balançando nas nuvens. Vejam e viciem também!

Leah para quem não sabe, participou do The Voice ano passado e quase ganhou. Seu álbum de estréia está sob o comando e supervisão de Will.i.am que apesar de nos desapontar um pouco com o Britney Jean, podemos confiar que agora ele vai fazer bonito! “Home” soa bem comercial e acho que será um primeiro single de sucesso, assim como todo o álbum que vem por aí. Bom assim espero, até porque Leah arrasa demais e to torcendo para que tudo dê certo.

O primeiro passo foi dado, agora só resta caminhar no lado certo né? Leah já tem vários fãs e pessoas que estão apostando nessa carreira. Então boa sorte e parabéns por tirar aquela franja castanha. Loira ficou bem melhor! Tamo junto!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...