No iPod

No iPod: Lorde – Royals

Por em |

Queria falar muito da Lorde aqui, mas ela está chegando “agora” e só vem crescendo. E como eu tentei várias vezes a definir e não consegui, deixo o vídeo da música que estou viciado a semana toda: Royals.

Lorde acaba de lançar seu álbum, Pure Heroine e este tem um futuro promissor, pois está conquistando o mercado americano. Com essa carinha de Nicola Roberts ela diz se inspirar em Lana Del Rey, alguem ainda tem dúvida que essa menina vai longe?

Músicas para fazer meninos chorarem

Por em |

Diana Vickers

Da atualidade, Diana Vickers é a cantora britânica que mais gosto. Desde que a conheci em meados de 2010 não larguei mais. O pop doce e meigo de Vickers me conquistou de tal maneira que não consigo contar quantas vezes ouvi seu álbum de estréia, Songs from the Tainted Cherry Tree e todos as músicas vazadas desde então.

Para vocês entenderem, Diana participou do X Factor, e apesar da popularidade não venceu a temporada, mas se saiu bem, pois assinou contrato com a RCA e lançou seu álbum. Porém, ela se sentiu bastante pressionada e quebrou o contrato com sua gravadora pois dizia gerar conflito de idéias. Independente, ela foi contratada por uma gravadora menor, mas que deu seu devido valor e total controle das músicas. Com tudo nos conforme, Diana gravou e estará lançando daqui uns dias seu segundo álbum, Music To Make Boys Cry, que também é o nome da música que quero que vocês ouçam hoje!

Music To Make Boys Cry não é tão nova para os fãs, até porque a própria Diana já havia liberado para audição em 2011 e eu cheguei a postar sobre ela no dia, mas só “agora” que ela vai ser realmente lançada como single e já conta com um vídeo fofo. Vejam:

Diana Vickers é assim! Toda menininha, fofa, serelepe e docinha.. não tem como não se apaixonar, né? A música é uma graçinha e quando a coloco para tocar, fica no repeat por horas. Impossivel enjooar. Caso não a conheçam ainda, fica a dica! Em breve o álbum será lançado e iremos postar aqui.

O primeiro single do álbum foi Cinderella, que também segue a linha pop mas porém com uma batida mais retro. Tem um refrão grudento e impossível ficar parado ouvindo. Ótima para quem ama britpop.

Disco Love das Sábadas é muito amor

Por em |

Enquanto o novo álbum não sai, as meninas do The Saturdays não estão paradas esperando pelo #1. Estão correndo atrás… e muito. Depois da divulgação pelos Estados Unidos com o single What About Us, as meninas ainda lançaram clipe para Gentleman e apesar da baixa repercussão, lançaram ainda Disco Love, que é um estouro de bom gosto.

Com direito a saxofone e alguns riffles no fundo, a música é inspirada nos anos 80, precisamente na era disco. Como não bastava ser vintage e usar efeito instagram, Una, Rochelle, Vanessa, Mollie e Frankie foram alem e fizeram bonito ao apresentar três épocas: 70s, 80s e 90s. E todas com visuais diferentes. Um charme!

Amei a vibe Xanadu e fiquei esperando a Jessica Simpson aparecer dançando e andando de patins. Só não curti esse cabelo comprido da Frankie.. e o tanto que ela ficou avulsa. PFVR! Mas no mais, todas estão lindas e sorridentes. Mas quanto mais elas avançam no pop atual, mais perdem a essencia britpop.

Bem que no novo álbum podia ter mais disso:

Ou um poquinho disso:

Como amar Janelle Monáe em três passos

Por em |

Janelle Monaé não é novidade no mundo musical e todo mundo a conhece por seu estilo boyish irreverente, seus penteados retrô e suas roupas monocromáticas. Suas músicas são uma mistura de R&B, soul e funk americano e chama a atenção com todas suas composições. Desde 2010 que Janelle não lança nada novo e seu, porque ela contribuiu em muitas faixas com participações, mas nada comparado a sua musicalidade. Dia 10 de setembro será lançado seu novo álbum, The Electric Lady, que pelos singles já lançados e o tracklist divulgado, vai ser outra obra prima, pois irá contar com feat. de Erykah Badu, Solange, Miguel e nada menos que Prince. Por isso vamos fazer um esquenta e iremos fazer você ama-la também, porque estamos todos viciados e com o as faixas no repeat.

1ª PASSO: Seja QUEEN e não ligue para o que falam sobre você

2ª PASSO: Dance apocalipticamente como se o mundo fosse acabar

3ª PASSO: Escolha o horário nobre para amar alguem

Quando ouvi Q.U.E.E.N. pela primeira vez, fiquei fascinado pela batida do Rhythm and Blues, assim como em Dance Apocalyptic que tem uma vibe Jackson 5, e programas dos anos 50 que a gente vê muito em Dreamgirls e em festivais. E por último e não menos, Primetime que é o suprasumo dos duetos… pegada retro e com gostinho de nostalgia e sensualidade. Nota 10! Estou amando essa nova era da Janelle e achei refrescante, pois o The ArchAndroid tem uma musicalidade pesada e muito under, estou achando que The Electric Lady vai será um respiro de ar novo para ela. Vamos esperar até ouvir o restante desse cd que já sei que vai ser um dos meus favoritos de 2013.


– Se preparem para o recalque!

No iPod: Flatline – Mutya Keisha Siobhan

Por em |

Para quem é novo, Mutya Keisha Siobhan são apenas nomes estranhos na balada, mas pra galerinha oldschool Mutya Keisha Siobhan significa Sugababes.

Bom, quando se fala em girlgroups a gente sempre se lembra de Spice Girls, as percursoras de uma era picante e atrevida na história da música pop. Mas logo mais vieram as Sugababes, que contava com as inglesas Mutya Buena, Keisha Buchanan e Siobhán Donaghy. Elas eram sucesso no Reino Unido e atingiram bom desempenho com as músicas Overload, Run for Cover e New Year. Mas como todo grupo, o Suga não resistiu a muito tempo e logo Siobhan deu no pé querendo seguir carreira na moda. Heidi Range entrou no lugar e o barco seguiu. O sucesso foi estrondoso lá pela terra da rainha, mas também não durou muito pois Mutya ficou doente e teve que dar goodbye ao sonho pop. Outras formações do Sugababes foram colocadas a prova, mas nenhuma rendeu tanto como a inicial e desde então o nome do grupo beirou o fim, flopando até não poder mais. Triste fim? Que nada! O grupo continua em hiato mas MKS chegou.

Em 2012 as integrantes da formação inicial decidiram se juntar novamente para voltar, mas a antiga gravadora tem os direitos autorais do nome Sugababes e não quiseram o liberar para o trio. Pensando que iriam desistir, as meninas foram ousadas e se lançaram como Mutya Keisha Siobhan, que digamos tem muito mais impacto e soa novo ao invés de renovado.

O grupo chegou de fininho e com um “comeback” espetacular e vamos combinar que todo mundo ficou ouriçado quando disseram que essas três estavam junto novamente. E não demorou muito e a faixa Lay Down In Swimming Pools foi postada no soundcloud do produtor das moças e não agradou tanto quando deveria. Mas não foi por menos e Flatline foi postada e tomou conta da atmosfera toda e a gente só respirava essa música. Flatline virou o hit entre os fãs e não fãs do grupo.

A sonoridade não é tão alegre, porém é dramatica e impactante. O som oitentista da bateria predomina e faz juz a batida retrô com o britpop que as meninas já exploraram bastante. Sem contar alguns elementos R&B e dá a impressão que a música sobe e desce. Sensacional. Ouça e veja o clipe da música:

Vintage demais, o clipe é simples e lindo. Ótimo para não criar muitas expectativas e manter uma vibe saudosista. Estava esperando a Lana Del Rey aparecer do nada naquele carro dela…. hahaha

Mutya Keisha Siobhan estão animadas e preparadas para retomar de onde pararam. O single será lançado o dia 1 de setembro e o topo é o mínimo que estão querendo. Mas vamos torcer para que não termine tão cedo, pois estamos órfãos de girlgroups. O álbum de estréia/comeback ainda não foi divulgado e nem sabemos se virá nesse ano, mas vamos torcer para que tenha muitas Flatline, né?

Espero que tenham gostado da música e aguardem o novo FrutoProibido.Org.
Tá 50% pronto! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...