Nós nascemos Siachando

Por em |

Ok, o trocadilho não foi tão engraçado assim né? Mas o review de hoje ta pop mesmo e siachando geral. Sia Furler é uma cantora e compositora australiana que ganhou destaque depois de produzir All I Need, I Am, Stronger Than Ever e a baladinha mela-cueca You Lost Me pro Bionic, da Christina Aguilera (que também já fiz um review, lembra?). Enfim, a Sia produz um pop tão chiclete e gostoso que a gente não consegue parar de ouvir.

A conheço desde a época em que a Britney Spears lançou o Blackout em 2007, e Sia fez um cover de Gimme More, o primeiro, por sinal. Só que não dei muita atenção para ela. Porém quando ela lançou album novo, corri e baixei. E o review, tá aqui:

O álbum começa com uma piadinha, as crianças ficam dizendo no começo “we are born, we are born” e parece que a animação nasce ali mesmo em The Fight. O refrão é um misto guitarra com piano que deixa tudo mais alegre. Clap Your Hands é o primeiro single de WAB e é um pop dance irresistivel. O melhor é as palminhas que fica dando no refrão… O clipe é muito doidinho e segue no final do post. Stop Trying começa com aquela batidinha retrô e bem trabalhada naqueles sintetizadores. You’ve Change começa como se estivesse sendo tocada por um xilofone, mas o baixo toma conta e deixa a faixa muito indie e com uma batida tão animada. Be Good To Me chega com o misto de R&B, Soul e Jazz, que poderia ser cantada pela Christina que seria uma maravilha. Uma faixa muito bem produzida, sem dúvida. O clima elétrico volta em Bring Night com uma guitarrinha modesta com um pop rock super viciante. Hurting Me Now é bem retrô também, parece aquelas musicas dos anos 50 com direito a sinos alegres. Never Gonna Leave Me, baladinha pop/new wave essa, super inocente e cool, deu grande destaque pro grave da voz da Sia. Cloud chega para acalmar os animos e a bateria fica tão destacada quanto ao orgão no fundo, com violinos e sintetizadores deixando tudo bem folk. I’m In Here apesar de clichê é muito linda e chega a doer no coração, aquele pop bem dor de cotovelo sabe? Logo, The Co-Dependent retoma a alegria da guitarrinha feat. bateria, e olha, o ruim é que o refrão é curtinho. Big Girl, Little Girl bem indie pop, essa faixa nos conquista pois não há um conceito, pois a guitarrinha tá mais afiada do que tudo. Tem até um solinho digno. Pra finalizar, Oh Father é um cover da Madonna, numa roupagem nova e totalmente indie pop eletric. Sia caprichou no cover e por pouco não ficou melhor que a original.

Assista aos videoclipes de You’ve Changed:

Clap Your Hands

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...