music

Ela irá quebrar a madrugada

Por em |

Em toda minha vida, nunca dei muita atenção a Michelle Williams e Kelly Rowland. Para mim era só Beyoncé e ponto final. Mas aí Kelly lançou Commander e meio que tive um affair que não durou tanto pois seu cd não era digno de fazer nosso amor florescer. Beyoncé reina até hoje em meu viver, mas esses dias, assistindo a 1ª temporada de RuPaul’s Drag Race, durante um “lipsynch”, os competidores menos exaltados iriam ter que dublar uma música de Michelle Williams. No começo pensei “Pff, ninguem merece. Vai ser uma música bem ruim”, mas paguei a língua, pois desde então a música não sai do meu player há semanas.

A música é de 2008, onde a invasão electropop estava começando a ser aliar ao R&B, que era o queridinho até então. We Break The Dawn é a junção dos dois ritmos do ano e tem uma vibe que adoro, que é uma música com uma batida uptempo e com fragmentos synth que vai se desmembrando numa letra fácil e que gruda na cabeça.

Gosto muito do swing que essa música tem, pois não muda o ritmo e a voz de Michelle fica bem tranquila e sem muitos gritos e falsetes. Composta por Solange Knowles e produzida por Frampton e Wilkins, a música tem um clipe que retrata bem a letra da música, onde Michelle fica vadiando pela cidade dançando com seus boys.

Baixei o cd que tem essa música, Unexpected, e curti um pouco. Estava a procura de músicas no mesmo nível que We Break The Dawn mas não obtive tanto sucesso. Da mesma safra eu recomendo Hello Heartbreak, Till the End of the World e Private Party. As outras músicas não são ruim, só não são refrescantes a ponto de ter destaque.

I Love You, 2NE1

Por em |

2NE1

Quando se fala em “comeback”, o pessoal do oriente se supera! Para lançamento de uma nova era, o 2NE1 deixou o visual de I AM THE BEST para trás e se renovaram. Os looks das meninas continuam exalando elegância e de olho nas últimas tendências fashions. O grupo coreano “acaba” de lançar o seu novo single, a midtempo dance mais f* de todos os tempos. Sim, é uma midtempo no começo mas tem um refrãozinho todo eletrônico e dance. É uma das melhores músicas que já ouvi no k-pop, e claro que foi produzida pelo Teddy Park, produtor das meninas desde sempre.

O clipe é bem simples, porém tem seu charme. Cada uma tem seu destaque e enredo, apesar de cada um ser muito diferente do outro. Gosto muito do 2NE1 porque todas as garotas cantam (e cantam bem pra caramba) e nenhuma fica de fora excluída. Prova disso tudo são as apresentações ao vivo, e uma das mais impressionantes foi essa abaixo, em que a líder do grupo, CL, entra com uma arara no pescoço toda conceito. Só achei meio tenso essa coreografia com lençinho…

E aí? Quem resiste a essas meninas??? Dá vontade de dizer I LOVE YOU a todo momento….

Cheryl, call my name!

Por em |

Acabou de estreiar nas rádios britânicas a nova música de Cheryl Cole, a queridinha do Reino Unido, que está tentando conquistar os solos americanos. Com a ajuda de Calvin Harris, Cheryl lançará o single “Call My Name” em 10 de junho, mas até lá vamos ouvindo a versão webrip:

“Call My Name” não foge das produções do Calvin Harris, pois soa um misto de tudo que ele vem fazendo, a batida continua a mesma. Cheryl dá a graça na música, com uma voz impactante. Tem potencial para fazer sucesso, mas não sei se destaca de tudo que vem sendo lançado, já que está numa mesma sonoridade… nada exclusiva. Mas para ouvir sem julgamentos, Call My Name é uma musica excelente.

O terceiro álbum de Cheryl, A Million Lights, será lançado em 18 de junho e dizem as bocas de matildes que além de Calvin, o álbum contará com a colaboração de will.i.am, Alex Da Kid, Jim Beanz e até Lana Del Rey. Parece que vai ser bem mainstream né?

Vamos aguardar, enquanto isso vamos curtindo a farofinha Call My Name!

Eu aprovo: Smash

Por em |

Smash

Cansado das mesmas séries de sempre, fui procurar alguma diferente para começar acompanhar. Não passava dos episódios pilotos, já que nenhuma me chamava a atenção. Dai me lembrei de Smash que o pessoal no twitter comentava muito. Fui atrás da sinopse e fiquei com a pulga atrás da orelha, pois é uma série musical com Anjelica Houston e Katharine McPhee. Baixei o piloto e não demorou muito para eu querer continuar assistindo.

Smash conta a história dos bastidores de um novo musical da Broadway sobre Marilyn Monroe e todos os dramas que os produtores, diretores e atores são submetidos ás dificuldades de vender tal projeto. Para viver o ícone Monroe, estão cotadas duas garotas que farão de tudo para conseguir tal papel. A série apresenta músicas em alguns momentos do episódio, ora elas originais, ora regravações. Só resta saber se esse musical irá seguir em frente com todas as barreiras.

Sim, eu adorei Smash pelo fato dela ser musical, mas o tema de backstage me chamou muito a atenção. Apesar de estar sendo muito comparado a Glee, acho que a nova série se diferencia por ter plots mais adultos, e uma outra abordagem e deixando a trilha sonora livre de agradar ou não o público juvenil.

Smash

Para mim foi uma surpresa muito boa assistir Katharine atuando, até então só tinha visto ela cantar no American Idol. Na série a sua personagem é muito inocente que chega a até irritar. Dá vontade de dar um sacode e falar: ACORDA! rs Os outros personagens também tem seus destaques, mas eu gosto muito da outra Marilyn, Megan Hilty. Ela é toda gostosona, tem os trejeitos da própria Monroe e canta lindamente. Fico muito fascinado com as performances dela.

No mais, Smash é como uma outra série qualquer: cheia de drama. Todos os personagens tem algum problema que se estende ao rolar da trama e de certa forma acaba afetando a produção do musical. Vale muito a pena assistir, veja um preview da série abaixo.

Smash é uma série de Theresa Rebeck, com produção executiva de Steven Spielberg, e conta com os compositores Marc Shaiman e Scott Wittman (Hairspray) e exibida pela NBC. No Brasil a série está sendo exibida pela Universal Channel.

Me dê todo o seu amor

Por em |

No post de hoje, vamos apresentar 10 dicas para fazer um comeback de diva. Ou tentar.

1. Suma depois de um lançamento não tão bem sucedido.
2. Quando decidir voltar, inove e chame um produtor bacana para te ajudar.
3. Jogue a demo da nova música na internet tempo antes de ser lançada.
4. Tenha participações relevantes na música.
Pro clipe:
5. Reúna o máximo de cheerleaders e jogadores de futebol americano.
6. Use Marilyn Monroe como inspiração em algum momento.
7. Alfinete as outras personalidades da mídia.
8. Faça um touchdown com um bebê.
9. Tenha mais que cinquenta anos.
10. SEJA MADONNA.

Sim, Madonna voltou!! Eu tinha falado aqui que ela estava voltando e que era pras crianças deixarem a casa bem arrumadinha porque a mamãe do pop não estava pra brincadeira.

A versão finalizada de Give Me All Your Luvin’ é tão boa quanto a demo que vazou aquele dia. Para minha surpresa os feats de M.I.A. e Nicki Minaj tiveram só tiveram a acrescentar á preciosa produção de Martin Solveig. Gostei muito dos versos de cada uma e o corinho no começo.

Já o clipe ficou impecável e contem todos os requisitos para um clipe pop bem produzido: tem crítica, tem polêmica, tem alfinetada, inspirações/homenagens e o melhor de tudo: MADONNA LINDA E FABULOSA. Quando a vi nesse clipe, fiquei muito satisfeito com a aparência da eterna Material Girl, que por mais incrível que pareça, a idade está sempre a favorecendo (ou será que Madonna está recorrendo a procedimentos cirurgicos?).

Dado o lançamento do single no iTunes, em poucas horas Give Me All Your Luvin’ já era o mais vendido até então. O mesmo digo para a pré-venda limitada do álbum, M.D.N.A., que também tem sua colocação como um dos mais vendidos, tirando o posto da nossa queridinha Adele.

Agora só nos resta esperar até março para podermos ouvir tudo isso que Madonna preparou pra 2012. Acredito que o material está todo impecável e só podemos esperar muita coisa boa pois conhecemos nossa rainha, que apesar de não agradar a todos, sempre tem muito bom gosto e não faz nada pelas metades.

G-O  M-A-D-O-N-N-A!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...