review

Review: Britney Spears – Britney Jean

Por em |

Britney prometeu um álbum diferente. Bom, pelo menos ela cumpriu a promessa, porém não no sentido bom.

Britney Jean
Nota: 3,0

    Artista: Britney Spears

    Álbum: Britney Jean

    Gênero: Pop

Sei que demorei para postar um review desse álbum que foi um fiasco para 2013, e nem a própria Britney está muito preocupada. Enquanto Katy Perry e Lady Gaga brigavam pelos holofotes, Britney foi de fininho e lançou um álbum na medida, onde não acrescentou nada a sua carreira. As melhores músicas não são de fato as melhores, pois falta muita Britney nelas. Em Britney Jean, o conceito era biográfico e ter composições da própria Britney, mas tudo soou cansativo e sem graça. Se o Femme Fatale não havia me trazido bons frutos, Jean me deixou tudo com um gosto amargo.

Quando saiu Work Bitch, fiquei muito animado com a musicalidade. Senti que Britney havia evoluído e escolhido um time campeão. A produção era impecável, mas cadê a Britney radiofônica? Aquela Britney que a gente ouvia muito em qualquer lugar? Essas músicas só servem para dançar na boate. E olhe lá! Bom, eu adorei o álbum, vou admitir, mas passa longe do que Toxic e Gimme More representam em minha vida.

Adoro que o álbum começa com ALIEN, que foi a única música que Will.I.Am permitiu que o sábio William Orbit colocasse a mão. E essa música tem essência Britney. Tem aquela pegada dos anos 2000. E o refrão é fácil de decorar e cheio de chiclete! “Naranon… naranon… naranon”

WORK B*TCH é a faixa com mais personalidade do BJ. A moça chega cheia de marra e achando que pode esculachar todo mundo que acha que foi fácil andar com limousine e usar coisas caras. Mas é só também. A música vai e volta diversas vezes.

PERFUME também merece destaque. Britney está romântica e embalando essa canção linda escrita por <3 SIA <3 e ela arrasa. É uma das minhas favoritas pois a música não tem aquela parafernália barulhenta do Will.I.Am e a gente ouve bem a voz da Brit.


Será pecado preferir o lyric video do que isso?

IT SHOULD BE EASY é legal. Mas parece que veio lá do cd do Will.I.Am, porque não tem refrão e a coitada da Britney quase não aparece e só canta com essa voz robótica.

TIK TIK BOOM é ótima e me lembra muito a era Blackout. E esse refrãozinho também merece o troféu chichete. A participação do T.I. é legalzinha, mas foi mesmo necessária?

BODY ACHE tem autotune em doses cavalares e isso só a deixa melhor. Essa música não tem quase nada de letra, mas só de ser uma produção de David Guetta eu já a considero a melhor das farofas desse álbum.

TIL IT’S GONE começa tranquila mas depois de meio minuto corrido, a faixa começa a mostrar para o que veio. Destaque para o “GOOOONE” do refrão. E só. Próxima!

PASSENGER ou Legendary Lovers? O incio me lembra música árabe e tem uma vibe que eu gosto demais. Tem essa coisa de uma batida constante. Will.I.Am não farofou e a deixou a voz da Britney muito marcante, porém sem muito poder. Bem íntima. Outra faixa que é minha favorita pelo conceito em não ser nada a mais que um passageiro.

CHILLIN’ WITH YOU é a típica faixa que não faz diferença nenhuma no álbum e com um feat insignificante. Claro que adoro Jamie Lynn mas porque essa música desconexa está no Britney Jean? Dá a impressão que é apenas para promover a irmã. Mas parece que essa missão não deu certo.

DON’T CRY é a típica música que a gente detesta o início mas se rende ao refrão. Tem uma batida bem suave e eu até parabenizava o Will.I.Am, mas aí essa música volta para aquele começo irritante e eu mudo de música.

As bonus track não valem tanto a pena assim. Dou valor em BRIGHTEST MORNING STAR porque é outra preciosidade da <3 SIA <3 e eu amo tudo que essa mulher compõe. E vamos combinar, essa música é demais. Eu trocava ela por Don't Cry sossegado. Tem uma batidinha pop no refrão que me deixa saudosista - ainda mais porque é uma produção do <3 DR. LUKE <3. HOLD ON TIGHT é chatinha. Próxima!

NOW THAT I FOUND YOU é muito boa! Muito mesmo… Começa inocente e vai estourando com uma refrão que parece música do Avicii. Eu a colocaria em alguma trilha sonora de novela. Amo o finalzinho country!

PERFUME (THE DREAMING MIX) é aquela versão alternativa que ninguém ouve.

~ FIM! Hora de botar o In The Zone para tocar… rs

C O N C L U I N D O

Para quem estava acostumada a reinar nas rádios e em todo clube onde haja pessoas dançando, Britney Spears parece estar cansada e com muita indisposição para fazer sua carreira ser o estouro que era. Claro que houve muitas pedras no caminho da nossa princesa do pop, mas ela devia se lembrar da legião de fãs que ela tem ao redor do mundo. Gravar um álbum mixuruca e ficar a tarde toda dormindo não faz com que a gente fique feliz. Nem um pouco. Com uma baixa divulgação, Britney Jean se tornou um dos álbuns mais flopados de 2013 (dizem que não superou nem as vendas do Bionic). Para quem intimidava em Work Bitch, Britney não trabalhou nada nessa era.

Mas irei relevar algumas coisas, porque Britney está preparando uma nova turnê com seus hits passados, e duvido muito que ela esteja preocupada em divulgar as novas faixas. Mas bom, pelo buzz que estão fazendo, a turnê promete bons comentários a loira.

Músicas secas e sem apelo nenhum. Não consigo nem imaginar um clipe legal para essas músicas. Eu repito, gostei bastante do resultado, mas não o elejo o melhor de 2013. A produção ficou empenhada em fazer tudo que Britney quisesse, tanto que seus hitmakers foram tirados de campo para que Miss Spears pudesse se sentir mais a vontade. O resultado foi bom, mas não senti o fogo que ela causa quando ouço suas músicas antigas.

Britney Jean poderia ter sido a bomba de 2013. Uma pena que essa bomba veio sem pavio!

Lista: 10 álbuns de 2013

Por em |

Como é tradição da blogosfera, estou aqui para postar sobre os 10 álbuns que mais ouvi e com uma opinião do que achei do álbum. 2013 veio com uma safra pop muito boa e eu claro elegi os meus de acordo com o tanto que me agradou por completo. Seguem eles:

10º THE ELECTRIC LADY
Janelle Monaé

Janelle Monaé veio com álbum eletrizante e bem forte nas parcerias, incluindo Prince, Erykah Badu e Miguel. Acrescentou uma batida eletrônica a pegada soul e “The Electric Lady” me ganhou e ouvi bastante. Destaque para as introduções em forma de estações de rádios antigas.
Eu amo: Q.U.E.E.N., Givin’ Em What They Love e Dance Apocalyptic
Música delicinha: Primetime

9º AVRIL LAVIGNE
Avril Lavigne

Avril é aquela atitude rock ‘n’ roll sonorizada em pop. O álbum homônimo traz músicas bem comuns e nem os clipes conseguiram salvar essa era. As músicas são boas, eu gosto da maioria delas porém eu enjoei fácil. Mas vale a ouvida.
Eu amo: Rock n Roll, Hello Kitty, 17 e Heres To Never Growing Up
Música delicinha: Let Me Go

8º BRITNEY JEAN
Britney Spears

Britney quis inovar e gravar um álbum biográfico e mais íntimo. Chamou Will.I.Am e deixou com que ele comandasse a produção. O primeiro single causou furor mas foi só isso. Sem divulgação nenhuma, o álbum está amargando nos charts. A qualidade é impecável e as músicas foram bem produzidas, mas parece que a Britney não quer workar de jeito nenhum. Aposentadaney.
Eu amo: Work Bitch, Alien, Passenger e Body Ache
Música delicinha: Perfume

7º PURE HEROINE
Lorde

Ela nem bem chegou e já está causando! Desde que “estorou” no meio underground com a sua Royals, Lorde vem crescendo e tomando um espaçinho nessa escada musical. Seu álbum de estréia é ótimo e tem uma qualidade bem parecida com o single de estréia. Mas a gata está fissurada em aparecer, e não poupa “elogios” a outras cantoras da atualidade. Mas se tratando de música, Pure Heroine é viciante e vai fazer você querer mais e mais dessa mocinha.
Eu amo: Royals, Team e Tennis Court
Música delicinha: A World Alone

6º BANGERZ
Miley Cyrus
Se eu pudesse descrever 2013 em uma cantora, com certeza eu iria dizer Miley Lingua Cyrus. A ex-Hannah Montana veio abusada e com uma atitude bem safada para lançar seu novo álbum. Com uma sonoridade mais puxada para o RnB, Miley conquistou todos e fizeram a engolir a força. Até porque se você não gostou, creio que vai ficar pior! hahahaha Eu esperei algo mais pop, e achei que o álbum ficou saturado com tanta música parecida. Mas mesmo assim foi um arraso. Ponto pra Miley!
Eu amo: Wrecking Ball, We Can’t Stop e Adore You
Música delicinha: Do My Thang

5º TROUBLE
Natalia Kills
Natalia Kills também foi outra que quis levar sua vida para o showbiz e lançou o seu Trouble todo carregado no drama familiar. As músicas tem letras pesadas e sinceras, mas a produção fez tudo soar mais degustável. Se você se deixar levar pela batida, mal percebe que a música em si é triste. Mas Natalia foi feliz em optar por esse caminho, pois conseguiu várias críticas positivas e um feedback mais coerente.
Eu amo: Saturday Night, Daddys Girl e Problem
Música delicinha: Outta Time

4º ALIVE
Jessie J
Esbanjando simpatia, Jessie J conquistou muitos brasileiros que a não conhecia no Rock In Rio desse ano. Eu acompanho a moça desde quando ela tava colhendo os louros de “Do It Like a Dude” e “Price Tag”, mas o sucesso na terra da rainha não bastou e Jessie quis ampliar seu som. E Alive é um álbum refrescante e com várias músicas que vão do dance ao rnb.
A mulher raspou a cabeça para uma campanha e ficou mais poderosa. Parece até que nasceu outra Jessie J e com uma inspiração quente. Ouvi muito!!
Eu amo: Daydreamin’, Wild, Square One e Unite
Música delicinha: Thunder

3º MUSIC TO MAKE BOYS CRY
Diana Vickers
Só de ver o rostinho sereno de Diana eu já fico nas nuvens. Fofa, Vicko demorou um tempo para lançar um cd novo, porém veio com um álbum bem a cara dela: LINDO! Eu sei que sou fanzoca e tudo que ela faz eu amo. Mas as músicas são 100% pop britânicas e ela não se rendeu as modinhas dos produtores da atualidade. Se as músicas não tivesse sido vazadas aos poucos e ter demorado tanto pra sair, estaria no topo.
Eu amo: Cinderella, Boy In Paris, Mad At Me e Music To Make Boys Cry
Música delicinha: Lightning Strikes

2º ARTPOP
Lady Gaga
“My artpop could be anything”. Lady Gaga prometeu como sempre. Entregou 50% meio sem fé mas mesmo assim agradou muito a todos nós. E claro, eu sou fã e tudo que saía eu ouvia e amava. Quando o álbum saiu ouvi durante horas e ainda ouço, porém as músicas foram vazando e foi perdendo aquela novidade toda. Mas ARTPOP foi sim um dos melhores do ano. Lady Gaga continua sendo a melhor em tudo. Desculpem haters.
Eu amo: G.U.Y., Venus, Donatella, Fashion, Sexx Dreams, Gypsy, Applause, Do Want U Want, Manicure, Swine, Dope, Mary Jane Holland, Aura…
Música delicinha: Gypsy

1º PRISM
Katy Perry
E o samba mesmo ficou por conta da Katy, que apesar de prometer um album dark e meio rebelde, veio com um Teenage Dream 2.0, mas também cheio de hits. Eu não botava muita fé, mas depois que saiu o preview do álbum, eu comecei a esperar mais desse álbum. Prism virou meu vício! A cada dia que ouço escolho uma música favorita. E é o primeiro álbum que ouço sem pular nenhuma faixa. E claro, vou esperar que a Katy lance todas como single e lance aqueles vídeos impecáveis que só ela sabe fazer!
Eu amo: Roar, Legendary Lovers, Dark Horse, Ghost, Unconditionally, Birthday, Walking On Air, This is How We Do, International Smile, Spriritual, Love Me e This Moment
Música delicinha: Double Rainbow


DESTAQUE: BEYONCÉ
Beyoncé
E essa mulher que do nada lança álbum, lança trocentos vídeos e conquista o #1 lugar em vários países da noite pro dia? Eu não me conformei quando acordei e encontrei esse mundo de coisa dela. E como Beyoncé é sinônimo de rainha da música, ela não deixou esse título para trás. Das 14 músicas, amei as 15, pois inclui a demo de Grown Woman. rs E tipo, estou viciado em Pretty Hurts e já imagino essa música tocando por aí logo logo. O album chegou nos últimos segundos do segundo tempo e ainda marcou um golaço! Isso aí Queen B! Obrigado por existir!!

E bom, não podia deixar de mencionar os comebacks incríveis de Justin Timberlake, Sara Bareilles e Cher, o álbum das The Saturdays para tentar a carreira internacional, o segundo (e frustrante) álbum das Little Mix e os pop teen de Demi Lovato e Selena Gomez.

2013 rendeu né?
E para você?? Qual são os melhores deste ano??

2ª Faixa: Céline Dion – Somebody Loves Somebody

Por em |

Céline Dion

Nunca fui o super fã da Céline Dion, mas tem sempre umas músicas que são mais conhecidas e a gente sempre ouve uma aqui ou outra ali e desde que essa mulher de 45 anos com cara de 20 lançou um single novo, chamado Loved Me Back to Life cujo composto por nossa amada Sia, eu me rendi completamente. A música foi lançada faz tempo e eu venho ouvindo desde então. Queria ter postado aqui antes, mas acabei ficando sem tempo e esqueci. Eu recomendo ouvir essa música pois é muito dramática e cheia de grito dessa mulher.

Mas voltando ao assunto desse post, a 2ª Faixa de hoje vai para outra música tão incrível quanto Loved Me Back to Life, e essa é Somebody Loves Somebody:

POP ELECTRO! Céline traz uma uptempo cheia de artimanhas que faz essa faixa estar sob medida para sua voz cheia de notas altas e envolventes. O refrão é fantástico e esbanja uma batida vibrante e dá até pra dizer ele é chiclete, quero ver você ouvir o “when somebody loves somebody, that’s the way it’s supposed to be” ou o grudento “Eh, eh, eh, eh, eh, eh”… e não ficar cantarolando depois.

Com sete anos sem lançar um álbum de inéditas em inglês, Céline chega derrubando todas as cantorinhas de meia tigela das cadeiras e mostrar como se faz. Além da composição de Sia, o álbum conta com as participações de Ne-Yo e o magnissimo Stevie Wonder. Irrestivel né?

ARTPOP por Pedro

Por em |

ARTPOP

“Lady Gaga está acabada!”
“Lady Gaga não conseguirá o topo dos charts!”
“Lady Gaga não é mais criativa!”
“Lady Gaga não é inovadora. Apenas copia!”
“Lady Gaga não será mais o fenômeno musical!”
“Lady Gaga está acabada.”

Isso é o que a crítica acha da Lady Gaga e de seu ARTPOP. E você acha que eu ligo?
Eu sou fascinado em tudo que ela faz e seria um review muito chato de fazer, porque iria ser só elogios.
Então só estou postando para deixar registrado meu amor por esse álbum. Esse review será rápido e direto, sem todas as críticas técnicas e apenas as importantes. Ao fim deixarei algumas ressalvas.

1. AURA
“Enigma popstar is fun. She wear burqa for fashion”
A versão finalizada não ficou tão diferente da demo que vazou no meio do ano. A batida pop industrial com influências latinas/orientais são o ápice da música.

2. VENUS
“Rocket number 9 take off to the planet Venus”
Ouço Venus e já me imagino no espaço e toda aquela vibe galática futuristica. Uma viagem, literalmente.
Refrão incrível e amei o brigde onde Gaga chama todos os planetas como se fosse uma chamada ou uma apresentação. Detalhe: é uma 2ª Faixa!

3. G.U.Y.
“I wanna be that guy… G.U.Y.”
Desde o preview eu já fiquei <3 in love <3 com essa música. Esse dub é enigmático e nos transporta para o Born This Way, sei lá. Acho essa música super dark.

4. SEXXX DREAMS
“When I lay in bed I touch myself and I thinking in you “
A favorita de 11 dentre 10 pessoas. Desde quando foi apresentada no iTunes Festival essa música caiu no gosto popular e foi a mais esperada por nós. E o que dizer de Sexxx Dreams? Apenas maravilhosa. Destaque para a parte onde entra um baixo bem tropeçado com a Gaga contando “I cant believe i’m telling you this, but i have a couple of drinks and OMG.

5. JEWELS N’ DRUGS
“com T.I., Too Short e Twista”
Próxima (porque não sou obrigado… até hoje não ouvi essa inteira. que permuta foi essa, Gaga?)

6. MANICURE
“Ma-Ma-Ma-Manicure”
Rockzinha delícia. Tem a fórmula gaga mas beira o marasmo. Não venho muita evolução e nem potencial pra hit. Linha reta, apenas.

7. DO WHAT U WANT (com R. Kelly)
“Do what u want with my booodyyy?”
Amo essa intro psicodélica. Amo Gaga arrasando no estilo Mariah de ser. Amo o feat. do R. Kelly. Amo que essa faixa não era single e acabou virando. Amo.

8. ARTPOP
“Free my mind… ARTPOP… You make my heart stop”
Essa sim é eletrônica trabalhada no cosmo digital da rede de computadores. Mas cadê o batidão?

9. SWINE
“You just a pig inside an human body”
Amo desde a demo vazada. Não mudou quase nada e isso é um sinal positivo. Tem uma intro e trechos eletrônicos, em seguida vem versos tranquilos e depois alguns gritos frenéticos SWIIINE. Como não amar?

10. DONATELLA
“I am so fab check it out, I’m blonde, I’m skinny, I’m rich, and I’m a little bit of a bitch”
A MELHOR MÚSICA. A MÚSICA QUE DEFINE ARTPOP. Ouço e lembro tanto o tecktonik e não tem como não ouvir e só pensar naquela cara toda botocada da Donatella Versace né? E pra mim não muda nada, pois é excelente a cada vez que ouço. Essa permuta sim valeu a pena!E o melhor: essa música não tem apelo nenhum… Não tem cara de single, mas quem sabe? DONATELLA!!

11. FASHION!
“Looking good and feeling fine”
A SEGUNDA MELHOR MÚSICA. A SEGUNDA MÚSICA QUE DEFINE ARTPOP
Quando Gaga disse que Will.I.Am e David Guetta estavam responsáveis pela produção de Fashion! eu pensei: “vai dar merda”! E não é que paguei a língua? A música é fodastica e tem uma vibe disco retrô que eu amo! E nem me parece com as farofas que Will.I.Am está sempre envolvido. E nem me incomodei com a voz dele em alguns momentos e no fim da música.

12. MARY JANE HOLLAND
“Introducing, ladies and gentleman, Mary Jane Holland!”
Doida! Madeon brilhantemente fez de uma música falando de drogas se tornar uma coisa politicamente audível. E vamos combinar, é demais. E claro, sem sentido algum.

13. DOPE
“I’ll keep searching for an answer cause I need you more than dope”
Deu pra perceber que a Gaga tentou fazer algo do estilo You&I mas não deu certo. Eu preciso confessar, a música no iTunes Festival pareceu melhor que a finalizada. Desculpa mundo, mas não estou engolindo Dope. rs

14. GYPSY
“I don’t wanna be alone forever but I can be… tonight”
Linda.. Perfeita! Mirou no Elton John e se deu bem. Gypsy é a faixa mais linda de todo o ARTPOP e tô amando muito esse arranjo. E sinto que Gaga devia ter lançado ela como single ao invés de Dope. TONIIIIIIIIIIGHT!

15. APPLAUSE
“Pop culture was in art, now art’s in pop culture in me”
Por favor! Vendo o potencial de todas as outras, Applause chega a soar como a mais fraca e despreparada. Mas eu a ouvi tanto que estou cansado, saturado e enjoado de todo esse arranjo. A.R.T.P.O.P.

Pra finalizar

A Lady Gaga polêmica e cheia de influências está sumindo. Sem pretensão de chocar e causar desconforto nos padrões, Gaga vem de cara limpa apenas usando a arte como referência. E todo mundo especulou muito sobre o ARTPOP e ela se resume a dizer que pode ser qualquer coisa. Que cada um tire suas conclusões.

Para mim o álbum está espetacular, porém não acho que ele superou o Born This Way e não tem nenhuma Bad Romance. Mas tem Gypsy que vale pelo álbum todo.

Porque ser cult está na moda!

Confissões na pista de dança

Por em |

Madonna

Hoje para o BAÚ POP resolvi postar o álbum que comecei a olhar para Madonna com outros olhos. Pra falar a verdade eu não tinha conhecimento algum sobre quem era Madonna, pois a conhecia apenas com Like a Virgin, Music e Hollywood e ouvia esporadicamente quando tocava em alguma rádio ou passava algum clipe na tv. Lembro que em 2005, quando eu tinha 14 anos, ouvi Hung Up pela primeira vez na Jovem Pan e fiquei extasiado, a música me chamou a atenção e gostei da musicalidade. Depois de uma semana fui a uma loja e olhando alguns cds, vi o Confessions e na hora comprei. Lembro que ouvi bastante e a cada vez q ouvia me apaixonava mais. Não sabia explicar, mas a partir daquele momento conheci Madonna.

Até no presente momento, Confessions on a Dance Floor é meu álbum favorito dela e acho que o mais completo e coeso. Com uma pegada oitentista futuristica, eu simplesmente amo cada faixa por ser tão únicas. Por não haver pausa, o cd tocou muitas vezes sem que percebesse em que música estava. No começo eu ouvia apenas as que gostava ou as que tinha clipe, mas lembro que depois de um ano voltei a ouvi-lo inteiro. Trabalhava ouvindo, dormia ouvindo e ficava no computador ouvindo. Virou um vício. Nada mais justo que postar esse álbum como uma relíquia e obra prima!

Famosa por se reinventar, Madonna estava cansada do estilo pop que vinha seguindo e das críticas políticas presente em suas músicas. Decidida a se divertir, Stuart Price foi escaladoo a ajudar a rainha do pop e a fez voltar toda saudosista trazendo a discoteca para seu novo álbum que foi o divisor de águas em sua carreira. Mais jovem do que nunca, Madonna aparece toda em forma num maiô rosa se exercitando num estúdio de dança. No fim, ela está se acabando numa pista de dança. Veja:

Esse álbum tem vários hits, alem de Hung Up, temos Get Together, Sorry e a energética Jump. Outras que merecem atenção são I Love New York e How High. Bom, eu amo todas, mas se você não conhece o álbum estará muito bem servido com essas. Confessions foi um álbum que resgatou Madonna de um flop, pois a produção pesada e raivosa apresentada em American Life fez com que a rainha fosse ignorada. A má recepção do álbum refletiu nas vendas e foi um passado doloroso em que Madonna preferiu esquecer com vitória, já que o Confessions teve suas vendas totais estimadas em doze milhões de cópias e sendo o sexto álbum mais vendido no mundo em 2005.

Com mais um Grammy para sua coleção, a Material Girl investiu fundo no pop eletrônico e não passou despercebida. Prova essa que até hoje suas músicas tocam em festas e festivais. O álbum foi uma releitura de seus sucessos antigos e muitas músicas há trechos e sonoridades que lembram algumas músicas dela, como Bordeline por exemplo. Stuart Price também usou e abusou de refências, entre elas Daft Punk, Pet Shop Boys, Depeche Mode e o supra sumo e incrível sample de Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight) do lendário ABBA.

Resumindo: meu álbum favorito entre todos. Ouve logo!

Madonna – Confessions on a Dance Floor (2005)
1. Hung Up
2. Get Together
3. Sorry
4. Future Lovers
5. I Love New York
6. Let It Will Be
7. Forbidden Love
8. Jump
9. How High
10. Isaac
11. Push
12. Like It or Not

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...