Wanessa e seu novo DNA

Por em |

Wanessa mergulha no dance para se encontrar. Será que agora vai?

Olha, Wanessa com ou sem Camargo sempre fez parte de nossa adolescencia com seus hits apaixonados e com uma lição de moral sobre amor. Quem nunca se pegou cantarolando alguma de suas músicas que atire a primeira pedra. *ok, nessa parte eu corro*

Enfim, eu quero é dizer que Wanessa desde então se viu limitada a cantar as mesmas coisas, e outra que seu público havia crescido e os “novos” nem se interessavam tanto como antes. Resolvida a se adaptar, Wan arrancou o Camargo, pintou o cabelo de loiro e começou a se dedicar as batidas hip hop e cantando em inglês: não deu muito certo.

Com um flop nas costas, decidiu apostar no dance e parece que anda rendendo ótimos frutos. Cantando em todas as faixas em INGLÊS, Wanessa bebeu de todas as fontes que pode e fez o dever de casa. Se vocês vasculharem no blog, vão ver que eu postei BASTANTE sobre tudo que ela andou lançando nos ultimos tempos e vão comprovar a qualidade.

Seu oitavo álbum, intitulado DNA será lançado em breve, porém já caiu na net e está por aí, completo para audição e ACLAMAÇÃO DE TODOS!!! Dê play e vem comentar sobre o novo trabalho da Wanessa comigo!!

Para começar já quero falar que quando saiu essa capa, eu nem acreditei, até porque o ensaio tinha fotos tão mais interessantes e escolheram logo essa aí.

O álbum começa com a faixa homônima DNA, que é uma faixa que tem uma batida ótima e que dá pra dançar sem precisar bater o cabelo. Uma música intimista só pra apresentar o trabalho novo. Stuck On Repeat já era conhecida, porem ganhou uma nova mixagem que a deixou melhor ainda. Essa faixa continua na mesma sintonia da anterior e faz a pessoa dançar e até arriscar alguns passinhos. Murder começa com uma intro que me lembra algo dos filmes de espionagem, sei lá, lembrando mesmo algo relacionado a assassinato. O refrão é impecável com uma batida acelerada e do tipo que chama todo mundo pra dançar junto. Já é uma das minha favoritas.

Worth It continua valendo a pena, até porque todo mundo já sabe de cor e salteado, né? Sticky Dough tem uma batida funk e um feat. de uma tal de Bam Bam que ninguem nunca viu. Mas isso não tira o mérito da música que é ÓTIMA e que tem um refrão regado a prosopopéia alheia, rs. Get Loud! tem moldes europeus e não deixa a desejar em qualidade. Super alto astral, a música não para e os arranjos não perdem o compasso.

Falling For U tem uma vibe house e é uma balada que poderia ter uma participação da Lorena Simpson que tudo ficaria mais lindo ainda. Essa música também estava no ep que a Wanessa havia lançado e ainda entrou pra trilha sonora de Ti Ti Ti. Blow Me Away é toda latina e com influências espanholas e que tem um Q de La Isla Bonita. O refrão é ótimo e a sintonia é incrivel. Outra que tenho como tesourinho. Rescue Mission faz o ritmo do álbum reduzir um pouco e entoa uma musica calma, porém não é ruim, mas tem seu valor. Tonight Forever conta com alguns synths retro e deixa o mesmo ritmo da música anterior. O refrão de longe lembra as baladinhas que Wanessa Camargo fazia.

High chega com um ar potente e não é pra menos: a música é uma das melhores do DNA e uma que conquistou meu coração. Logo de cara gostei da simplicidade da batida e do tom baixo da música. It’s Over é a baladinha mais marcante do álbum e livre de batidas e melodias barulhentas. Essa é pra ouvir pra encerrar o álbum com chave de ouro.

Os remixes e o “epiloghe” Blind Faith nem vou comentar. Até porque nem precisa né?

Achei que Wanessa e Mister Jam fizeram um cd ótimo e conseguiram sim acertar em cheio. Dosou bem o conteudo e não o deixou monótono e cansativo de ouvir. Só basta saber se o cd vai ser bem recebido pelo público brasileiro, e se é que vão reconhecer o árduo trabalho que foi. Enfim, agora sim vejo uma estrada brilhante para a nova mamãe do pedaço. 😀

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...