Textos para “Casamento Caipira” « FrutoProibido.Org
Home » Extras » Textos para “Casamento Caipira”

Esses textos foram escritos por mim, em bases de alguns da internet e de livros. Você pode usa-los, porem não pode dizer que são seus. Isso já é a seu critério. Seja honesto!!

Casamento Caipira 01

Baixe aqui:
Casamento Caipira em .doc
Casamento Caipira em .txt

Personagens

Padre e coroinha

Chico Noivo
Tonico Pai do noivo
Maricota Mãe do noivo
Penha Irmã do noivo
Tião Amigo do noivo

Genoveva Noiva
Genaro Pai da noiva
Juvelina Mãe da noiva
Dito Irmão da noiva

O padre chega à capela com o coroinha:

Padre: Ê meu filho, que bom que vai ter mais um casamento.
Coroinha: É mesmo, Graças a Deus.
Padre: Vamos acabar de arrumar as coisas até o povo chegar.

Eles continuam a arrumação, e alguns convidados chegam, até que o pai do noivo, Tonico chega perguntando:

Tonico: ô Seu Padre, me dá um anador?
Padre: Pra que? Tá com dor de cabeça?
Tonico: Não, to com dor de dente.
Padre: Ih, não tenho não. Só em casa mesmo.

Tonico insatisfeito e com dor, sentou se em um banco. Logo D. Maricota, chega com a filha Penha (e também madrinha) reclamando do casamento:

Maricota: Ah filha, que mau gosto do seu irmão. Escolher aquela amalera empombada.
Penha: Pois é mãe. E o pior que ela nem é chique como nós.
Maricota: Então, e aquela mãe dela fofoqueira e sem vergonha?
Penha: Tadinho do meu irmão, ele não merecia fazer parte daquela família de ovo choco.

O padre olha com a cara feia para elas:

Padre: Que tal fazer silêncio?
Maricota: Desculpa.
Penha: Desculpa.

Tonico vira se para as duas e pergunta:

Tonico: Você tem um anador pra me dar, to com uma dor de dente…
(ele fará isso com todas as personagens)

O pessoal chega, e a marcha nupcial inicia. Entra a mãe da noiva acompanhada da mãe. No meio da entrada da capela, a noiva protesta:

Genoveva: Eu te falei mãe. Aquele leitão desmamado não ia casar comigo.
Juvelina: Filha, o seu pai e o delegado foram buscar aquele covarde na unha.

Tonico interrompe as duas, e pergunta pelo anador. Ambas respondem NÃO. Tião, melhor amigo de Chico, entra choramingando:

Tião: Ah não, não deve ser possível.
Padre: O que foi meu filho?
Tião: Padre, faz o Chico desistir dessa bobagem de casamento.
Padre: De jeito nenhum. Tá feito já, ele vai casar sim.
Tião: E com quem que eu vou beber todas?

O padre desaprova a cabeça (tsc). Tião é repreendido por Tonico, sendo perguntado pelo anador. Diz não. A amiga e madrinha da noiva, Januária diz a Genoveva:

Januária: Eu falei Genoveva, pra você não piscar pra aquele sem vergonha. Falei prá piscar pra algum rapaz bonito da cidade. Agora que o seu pai viu, não vai ter outra saída.
Genoveva: Mais eu tava piscando pro rapaz bonito, mais o pai estava bêbado e achou que era pra aquela marmota do Chico. E outra coisa, o moço bonito não tava nem aí comigo. Só queria se amostrar no carro dele.

O padre pede pra que todos esperem pelo noivo. Até que uma falação e gritaria vêm lá de fora. O noivo está sendo trazido pelo delegado e pelo sogro:

Chico: Olha aqui seu Genaro, já falei mais de mil vezes:
Eu não vou casar com a Genoveva não. Não tô preparado.
Genaro: Vocês vão casar sim, já está tudo pronto, e eu não mandei você piscar pra minha filha, que é uma moça de respeito.
Delegado: É verdade, se piscou, tem que casar.
Chico: Mas eu num pisquei pra filha dele, seu delegado. É que ela tava mexendo muito com os olhos e eu fui ajudar ela tirar o cisco que entrou. Não é mesmo, Genoveva?
Genoveva: O que? Você pára de besteira, Chico Lampião, olha o que você vai falar.
Genaro: (Junta o noivo pelo braço) Fala que não vai casar Chico, fala!
Tião: Fala que não, prá nos ir beber umas pinga no buteco!
Januária dá um tapa em Tião, em sinal de respeito.

O delegado pega pelo o outro braço e repete:

Delegado: Fala, fala que não vai casar. O meu facão tá afiadinho.
Maricota: Seu Genaro, larga meu filho, que eu criei tão bem pra casar com essa feiosa que nem lava os pés pra dormir.
Genoveva: É Mentira, é mentira. A senhora, dona Marica, tá levantando falso de mim.
Dito: Ah, conta outra. Parece que você dorme com um gambá. Eu falo isso porque eu durmo no mesmo quarto que ela.
Genoveva: E você fica calado aí, seu espantalho.
Tião: Até o irmão dela… Coitada!
Maricota: Sua galinha d’angola da cara pintadinha. Assanhada! Regateira! Não é verdade, Penha?
Penha: É isso mesmo mãe, não deixe barato. Ela só que a herança dele. Interesseira.
Juvelina: (solta uma gargalhada) Quem vê pensa, ele não têm dinheiro nenhum e além de tudo, é muito feio. Parece um galo de briga arrepiado!
Penha: Mas que veia chata, e você que é feia e fofoqueira.
Padre: Gente, para com isso.

O delegado e Genaro soltam Chico, que fica cambaleando. Tonico aparece no meio da briga e fala:

Tonico: Alguém tem um anador pra me dar, to com uma dor de dente…

Todos respondem que não, daí Chico dá a pinga pro pai:

Chico: Pai, bebe pinga que é bom demais pra sarar dor.
Tonico: Até dor de dente?
Chico: Até dor de barriga…
Padre: Até parece… se fosse assim…
Dito: Mas é verdade, seu Padre, esses dias tava com lombiga, daí eu bebi muita pinga e não deu tempo de ir no banheiro… foi tudo nas calças… daí…
Padre: Chega…
Dito: Mas padre, sujou o chão tudo…
Padre: Chega… Vamos acabar logo com essa bagunça e casar os dois.
- Silencio!
Genoveva: (põe as mãos pro céu e agradece) Até que enfim,vou desencalhar. Que beleza! Brigado, S. Antonio

Todos se organizam nos seus lugares.

Dito: Mãe, a Maricota tá jogando charme no pai, você vai deixar?
Juvelina: É bom você não passar perto do meu marido de novo, senão eu vou te bater. Sua regateira!
Maricota: Bem capaz que eu vou querer esse homem feio e fedorento! Chega meu fio que tá casando com essa feiosa e meu marido com dor de dente!

A noiva entristece.

Juvelina: Não chora não! Depois eu ensino pra você como é que se educa uma sogra!
Padre: (Irritado) Fiquem quietas, vamos fazer logo esse casamento. Dona Genoveva, aceita Seu Chico como seu marido, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte leve algum dos dois pro cemitério?
Genoveva: (sorridente) É claro que sim, seu padre…
Assustado, Chico se afasta.
Padre: Senhor Chico, aceita dona Genoveva como sua esposa, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte leve algum dos dois pro cemitério?
Chico não responde, olha pra Genaro que lhe encara, e depois olha pro delegado que alisa o facão. Tião acena com o dedo, indicando negação.
Chico: Sim, seu Padre. e com todo o gosto, porque não tem outra saída…
Padre: Então não tem mais jeito, vocês já estão casados! E nada de beijar a noiva, pra modo não escandalizar ninguém!
Dona Juvelina faz um drama, e seu Genaro o ampara:
Genaro: Juvelina. Ô meu Deus, o que foi agora? Ajuda aqui Dito.
Januária: Ai, que calor! (abana-se com as mãos) essa roupa tá pinicando.
Maricota: Não estou gostando disso!
Penha: Liga não, mãe, é frescura dessa veia fuxiquenta.
Genoveva: Olha lá como você fala da minha mãe, hein.
Dito: Minha mãe só fala a verdade, vio.
Penha: (Risada) Viu, eu não to mentindo.
Maricota: Dona Juvelina, cuidado pra não morder na língua, senão você pode morrer envenenada.
Juvelina: (se recupera) Ah, fica quieta aí, sua sem vergonha. Vai catar coquinho… Eu me emocionei… (finge limpar lágrimas)

Os noivos se abraçam, e Chico pede silêncio.

Chico: E agora, pessoal, vamos pra festança. Quero ver todo mundo dançando.

Seu Tonico, diz que quer falar alguma coisa:

Chico: Gente, meu pai quer dizer uma coisa, fala pai!!
Tonico: Alguém tem um anador aí?
Maricota: Padre, só faltava essa… Viva Santo Antônio, Viva São João e Viva São Pedro.
Todos: Viva

A quadrilha começa logo em seguida! :lol:

Casamento Caipira 02

• Boa noite. Para vocês entenderem a história vamos apresentar os personagens.

• Genaro, o pai da noiva – Juvelina, a mãe da noiva – Deusdete, a faxineira da Igreja – Padre Simão, o padre do casamento – Juquinha, o coroinha – Genoveva, a noiva… que ta atrasada… até porque não existe casório sem noiva atrasada – Tião, o noivo – Justido, o pai do noivo – Donizeta, a madrasta de Tião – Dolores, a irmã e madrinha… e mais participações ilustres e especiais.

• Bom, como tem muita gente diferente por aqui, eu vou explicar os acontecimentos em relação aos casamentos daqui. O primeiro deu tão certo que os filhos deles já formaram um time de futebol. Já o segundo não deu pano pra manga! O Seu Genaro tentou fazer do genro dele, o Chico Lampião, um astro do sertão. Chico foi embora com uma comitiva de rodeio, e nunca mais se ouviu falar dele. Enquanto a Genoveva ficou por aí, mas como ela não é boba, já deu um jeito de arrumar um novo pretendente. Vamos ver se vai dar certo. Olha lá, os pais da noiva chegando…

Genaro: Nossa muié, que povão mais inxirido é esse? Oia só… eles vão comer tudo o que a gente comprou pros convidados.

Juvelina: Ô Genaro, avisa pra esse povo não pedir nada pros nossos convidados chiques.

Genaro: Escuta aqui ocêis. O casório é chique, nada de pedir coisa pros nossos convidados. Se oceis se comportar, depois eu deixo oceis dança quadrilha, certo?

- Ô coroinha, assunchega aqui. Tá vendo aquele lugar lá, então guarda ele pro Zezé.

Coroinha: (chega correndo) Que Zezé? O do bar da Tonha?

Genaro: (impaciente) Craro não né meu fio, é aquele cantor famoso mesmo, o Zezé Di Camargo.

Juvelina: Nossa, que chiqueza… será que ele vêm de carro? Porque si não for, ocê tem que mandá o Vardivino buscar ele de carroça, homi!!

Genaro: (apavorado) Verdade muié, me asqueci disso. Vamo lá… (os dois saem)

• Ihh, lá vem a Deusdete… nem quero ver o que ela vai aprontar!

Deusdete: (alegre e bem animada) Nossa!! –gritando- Deus do céu, que qui é gente!!! Nossa Senhora, qui povo bunito, ta parecendo comercial di televisão. – olha pra alguem e diz- Oi cumadi… qui bão que ocê veio! Ó, pode fica a vontade!! E ocê, que se ta fazendo aí do lado de fora da igreja? Pode entrá meu filho! Eu que limpo a igreja sô…

Vendo o escarcéu que Deusdete está fazendo, o Padre chega todo bravo:

Padre: Deusdete do céu, o q vc pensa q vc ta fazendo? Pode por esse povo pra fora AGORA, tá achando que aqui é a casa da sogra? Vai limpá o altar pq daqui a pouco os noivo chega, muié!

Deusdete: Sim Senhor seu Padre, vc nem vai notar minha presença aqui.

(Deusdete vai pro altar e começa a arrumar, e vai pro lado do som disfarçando e liga o som na maior altura e começa a dançar)

Padre: (bravo e impaciente) O q vc ta fazendo Deusdete! Desliga esse som muié, respeita o Santo sô!

Deusdete: Credo Padre! É que esse povo tá com uma cara de enterro, que resolvi animá eles um pouco uai! A não viu…

• Essa Deusdete não tem jeito mesmo… Aí gente, o noivo com os pais e a madrinha chegando…

Noivo: Papai do céu, fala sério se eu não sou o mió! Arranjei uma muié rica pra casar que vai ajudar nois tudo!

Justido: Eeee fio viu, esperto é ocê memo, né Donizeta!?
Donizeta: Uai meu bem, verdade sô. Nois é pobre, mais nois é limpinho, chique e bonito de duer.

• Que bagunça é essa que ta chegando na igreja!! Ahh… é os amigos de farra do Tião.

Eles fazem de tudo pra Tião deixar de casar. -IMPROVISO-

• Ô padre!! Põe ordem nessa bagunça aí.

O Padre tenta colocar ordem, mas o coroinha faz td desandar e avista os pais da noiva. Os amigos saem dizendo q ele vai se arrepender.

• Ih gente, parece que algo deu errado. Olha a cara de tristeza dos pais da noiva.

Juvelina: Eu avisei pro ce, marido. Arranjar padrinho famoso não dá certo!

Genaro: Arre muié, sussega o facho! Não tenho culpa se o Zezé é um homi mto bão e conteceu isso!! Mais carma aí que o Sergio Reis ta de reserva

Juvelina: Aaaaa homi de Deus, larga mão de ser bobo e escolhe qualquer um aí memo, nossa fia ta com pressa pra casá.

( O pai pede PACIENCIA e sai novamente no celular, conversando com o Sérgio Reis)

Deusdete faz uma farra e conta pra todo mundo q o Sergio Reis vai no casamento. Todo mundo comemora.

• Ih gente, os amigos do Tião estão voltando. Será que vão fazer mais bagunça pra tentar mudar o amigo de idéia?

Deusdete e o coroinha ajudam na bagunça. O coroinha fica bêbado.

• O pai da noiva,voltou. E parece ter novidades!!

Genaro: Pessoal, eu liguei pro Sergio Reis mas ele não atendeu. Liguei pro Leonardo e ele disse q não vem, mas mandou o cover dele. Oia só, é igualzinho!!

• Deusdete não gostou da idéia, mas tem uma solução.

Logo chega Costa Jr e Tião se junta a ele cantam um treco de uma musica. Donizeta aplaude e todo mundo aplaude também.

• E aí seu Genaro? Vai deixar o Costa Jr ser o padrinho da sua fia?

Genaro: Vou sim, muié! Eu tenho planos já. Mas agora vou busca a noiva!!

O pai da noiva sai e Donizeta começa a chorar emocionada.

• Pessoal, silencio por favor. A noiva está chegando. Solta a musica aí, João.

Toca a marcha nupcial. O pai entra com a fia na igreja e o padre começa a “cerimônia”. (O padre lê o texto) – Td vai muito bem até que Creusa chega com uma penca de filhos e gritando pra parar o casamento.

Creusa: Seu Padre, para esse casamento! O Tião o é pai dessas crianças tudo! E o probrema é que ele não acerta a pensão dos mininos faiz tempo! (A criançada chega chamando pelo pai e correm para abraça-lo)

• Pronto gente. O Tião tem filho e é casado já!

Noiva: Ai Jesus Cristinho! Ela ta falando a verdade Tiãozinho?

Tião: Pior que tá. Eu sou pai da criançada toda memo. Só que só atrasei a pensão porque ela sumiu com meus filhos, uai.

Creusa arruma mais desculpas e deixa Tião envergonhado. Donizeta entra na conversa e chama a Deusdete de regateira. As duas trocam ofensinhas. Até Creusa reconhecer Donizeta.

• Ihhh, sujou pro lado da Donizeta ein!! Que história é essa de Zetinha??

Donizeta se complica e Deusdete vai por mais pilha na briga.

• Ô padre. Dá um jeito aí, homi!

Padre: Pode parar de bagunça, a Igreja é lugar sagrado. Respeita o santo, sô!

O coroinha bêbado perde a paciência e pede pra todo mundo fazer silêncio pq ele que vai tomar conta do casório.

• Olha aí… quem é vivo sempre aparece! O Chico Lampião ta de volta!!

Creusa corre e cumprimenta Chico. Já Genoveva vai tirar satisfações

Noiva: Chico, seu sem vergonha! Depois que me largo nunca mais apareceu né? Aonde ce tava?
Chico: Ahh, tava por esse mundão veio sem porteira sô. Montando em touro brabo. E Genoveva, não deu certo. A gente tentou, mas a gente não foi feito um pro outro. Mas to feliz pq ocê ta casando de novo.

Mas Creusa, onde ce ta morando agora, muié?

Creuza: Ali no Paulão. Triste vida viu…
Deusdete corre e diz: Nossa, tem lugar pra mim lá? Quer dizer.. fazer faxina, uai!!

• O Seu Genaro, conta pra gente qual é a sua idéia pro Costa Jr.

Seu genaro explica, e diz q vai juntar a dupla Tiao Costela e Costa Jr, e que vão ficar ricos e vai dar pra pagar a pensão. Alegre, Creusa chama a criançada e deixa Tião casar em paz.

• Ahh, acho que agora esse casamento acaba bem. Continua aí padre, antes que aconteça algo de novo.

Nisso, Creusa sai com o Chico pra fora. As “mães” se alfinetam, e deixam Justido encabulado porque Donizeta ta achando que Juvelina ta de olho nele. O padre diz que vai continuar a cerimônia e que se tiver mais algum problema, ele vai perder a paciência e não vai fazer mais nada.

• Mas não é possível!!! É hoje que esse casamento não sai… Olha lá os amigos bagunceiros do Tião voltando…

Os amigos de Tião chegam e ficam pra assistir o casamento companhia com o coroinha bêbado. O padre “abençoa” e diz que o noivo pode beijar a noiva.

• A lá… a Genoveva vai jogar o buque… quem será que vai pegar??

Creuza pega e diz ela e o Chico vão casar no ano que vem, e que todo mundo ta convidado pra festança!

• Então tá Creusa… tá marcado!! Agora todo mundo arruma um par e faz a fila que já vai começar a quadrilha. Não precisa ter vergonha gente, é só pra divertir!!!

Casamento Caipira 03

~ NARRADOR: Boa noite pessoal! Vai começar o casamento caipira! E esse ano a história se chama “A Butique Dela” e a noiva é Celina, uma moça simpática que esconde um mistério. Seus pais, os nossos já conhecidos Genaro e Juvelina temem pelo pior! O noivo é Monildo, um rapaz muito do esperto que só quer vida boa e viver nas custas da futura esposa, que tem uma poupança bem generosa. Essa história está longe de acabar bem, até porque os amigos de Monildo não aprovam esse golpe do baú. Nesse casório o que não vai faltar é pano pra manga.

Fiquem a vontade pois a igreja já vai ser aberta! A faxineira Deusdete ta chegando… mas parece que ela não tá tão animada assim…

*Deusdete: (desanimada) Nossa, Deus do céu, que sujeira viu. Não agüento isso mais não. Esse povo só lembra de mim pra limpar… nunca chama pra festança… não é mesmo cumadi? Nossa Senhora, qui povo bunito, ta parecendo comercial di televisão.

Vendo o escarcéu que Deusdete está fazendo, o Padre chega todo bravo:

*Padre: Deusdete do ce-ce-céu, o q ocê pe-pe-pensa q ta faze-ze-zendo? Pode parar de fuzuê aí fo-fora, tá achando que aqui é a ca-ca-sa da sogra? Vai lim-pá-pá o altar pq daqui-qui a pouco os noivo che-chega, muié!

*Deusdete: Sim sinhozinho!!! Sua alteza!! Tinha me isquecido que sou a única escrava caipira viva! Mas fica sussegado pq oce nem vai notar minha presença aqui!

(O padre se ajoelha ao altar e começa a rezar. Deusdete começa a arrumar, disfarça e vai pro lado do som, liga e começa a dançar)

*Padre: (bravo e impaciente percebe o que ta acontecendo) O meu deuso! O qui-qui ocê ta faze-zendo Deusdete?! Desliga esse som-som muié, respeita o Santo sô!

*Deusdete: Credo Padre! Me deixa queita que eu to ensaiando a dança pra hoje mais tarde… Vou pavorar!!!

*Padre: (impaciente) Que se-seja, não é hora e nem lu-ga-gar disso. AAAHH!

~ NARRADOR: Essa Deusdete não tem jeito mesmo… Aí gente, os pais da noiva estão chegando…

*Genaro: Nossa, não pode dizer que vai casá uma fia que esse povo sofrido tudo aparece. Ô fome viu, ainda é capaz de pedir uma marmitéqui pra levar pá casa, “se besta”…

*Juvelina: Ah marido, você sabe que eu sou contra esse casamento. Nossa fia é tão bunita pra casar com aquele arrengaiado.

*Genaro: Uai muié, faze o que? A nossa fia escolheu aquele marmota, deixa que essa cruz ela carrega!

Os pais da noiva vão cumprimentar o padre e se aquietam.

~ Narrador: Lá vem o noivo com seus pais e amigos, Elias e Zezé!
(Elias e Zezé tentam tirar o “noivo falso” de idéia, fazendo a maior bagunça)

*Monildo: Ô seu padre, explica pra esses teimosos aqui que não tem mais jeito de cancelar o casório!!

*Padre: É impo-possível, até porque já cancelei o jo-jogo de buraco hoje que eu ia. O je-jeito é casar mesmo!

*Justido: Ô Fio, não esquenta a muringa não! Esses perdido não vai atrapaiá sua vida!

*Dona Cocota: Pois é! Já que ocê perdeu aquele partidão que era a Marcilenia… não credito que ocê deixou ela ir embora. *choramingando*

*Monildo: Ah não mãe, pára de fazer birra. A Marcilene seguiu o rumo dela, ela preferiu ser famosa. Deixa pra lá…. –limpa os olhos-

(Os amigos de Monildo insistem mais uma vez e saem fazendo bagunça)

~ Narrador: Ê Deusdete, para de assuntar e vai limpar essa igreja!!

*Deusdete: É né? Eu só sirvo é pra limpar as coisa… eu tô com gricimia e ninguém pergunta se sarei!! Deixa ocêis…

*Genaro: O proseio ta bom mais tenho que abuscá mia fia. Muié, to indo antes que esse casório vai pro brejo e eu acabo gastando meus urtimos mirréis. E agora tô sem dinheiro, né? A reforma da nossa roça ficou cara por dimais… Tá bom! Ceis me dão licença? *tira chapéu*

*Juvelina: Isso marido, vai lá! Diz pra Rosinha ficar lá ajeitando tudo pra gente fazer a nossa festa depois. Só vai os rico da família… não quero ficar no meio da pobraida morta de fome.

Assim que Genaro sai, Deusdete vai falar com Juvelina:

*Deusdete: Ô Dona Juvelinda, a senhora faiz o favor de me dar uns dez conto aí senão eu vou contar o segredo da sua fia pra todo mundo, até pro seu Geraldo.

*Juvelina: Deusdete, pelo amor de Deus… ta aqui. Pára de me atormentar sua sem vergonha. Ce sabe que Genaro não pode saber senão ele cancela o casório!

*Deusdete: Azar seu, não foi eu quem fiz a burrada. Eu quero é dinheiro! Preciso pagar a minha máquina de lavar que comprei em 50 vezes na Casas Bahia!!! — (Deusdete sai desaforada resmungando)

~ Narrador: Xii, os amigos de Monildo não desistem!

(Zezé e Elias voltam e tentam novamente tirar Monildo de idéia: levando bebida e uma mulher. Mas ele continua firme na escolha)

*Deusdete volta e dá um grito:
- PARA COM ESSA BADERNA! Agora vai ser eu que vou falar!!!
Olha aqui seu padre, estava ali no meu canto e tava pensando: faz muito tempo que trabalho aqui na igreja e quero ser registrada com carteira! Até porque já tô com um monte de probrema de saúde, um tanto de bico de papagaio nas costelas de tanto limpar os pecados dos outros.

*Padre: Mas Deusdete, a gente pa-paga seu salário com a contribuição do po-povo, não temos co-condições de te registrar.

*Deusdete: Não quero saber!! Se vira, ou então me paga cem mirreis pra cuidar daqui! Senão pra mim não serve, não aguento mais essa vida!!!

No meio do escarcéu de Deusdete, chega o Delegado Teobaldo passando o facão no chão e chamando a atenção!

*Basílio: Mais que leréia ein? Aonde você pensa que ta ein dona Deusdete? Ponha-se no seu lugar, sua lacraia.

Deusdete chega perto de Juvelina e faz um sinal “que está de olho nela”

~ Narrador: Se assoseguem aí, seu Genaro e a noiva estão chegando. (? toca marcha nupcial)

Seu Genaro entra com a filha emocionado. A noiva olha pra mãe, que faz sinal de Ok.

*Monildo: Ô seu padre, vamo fazê logo esse casório antes que alguma coisa dá errado, porque essa família tem um azar nessas coisas!!

*Padre: Então ta-tá! Vamos lá! Bom, depois de tanto prosório e leréia, vamos terminar logo esse casório né não? Estamos aqui, reunidos nessa noite tão alegre e abençoada para a união de duas pessoas aqui do arraiar. É com muito gosto que faço essa cerimônia em que duas almas se encontraram.

? Toca música “Você é Doida Demais”

Deusdete entra com a cadeira de rodas (ou sendo amparada), fazendo drama com um papel na mão.

*Deusdete: Olha aqui seus ingratos. Minha visica doeu e vortei só pra contar o segredo da Dona Felina. Ta aqui ó…. tudo iscrito!!!

*Juvelina: Nãããão!! Não faz isso pelo amor de Deus!!

*Deusdete: Seu Geraldo, ta aqui ó! Eu achei esse documento isturdia quando fui fazer faxina na sua casa. Eu levei embora e pedi pra minha fia ler, porque eu sou nafabeta…

*Rosinha: É verdadi, eu fiz o mobral e consegui lê. Minha mãe ta sendo muito injustiçada aqui! Cêis sabiam que ela recebeu uma oferta di trabalho na ingreja vangerca?

*Genaro: Muié, o que está acontecendo? Do que essa tatu de rodinha ta falando??

*Celina: Não é nada não paizinho! Essas faxineiras é tudo doida… elas não tem juízo não!

*Juvelina: HAHAHA Eu não tenho juízo né, Dona Felina? Vê se eu e mia fia fica piscando os zóio pra tudo que é zé butina que aparece!

*Monildo: Zé Butina é? Mas essa sua fia aí ficou doidinha pra dar uma volta na garupa do meu alazão!

*Rosinha: Alazão? Aquele burro veio e empacado???? Eu só não queria sujar minha sandalia nova…

*Celina: E daí? Agora o Alazão é meu e vai ser eu que vou andar!!

*Genaro: Pára com essa conversa mole… me dá esse papel logo Dosdete!

*Deusdete: Ta aqui seu Geraldo, o sinhô precisa saber…

Genaro pega o envelope da mão de Deusdete e lê enquanto toca a música de suspense.

*Genaro: ô Deusdete, faiz o favor! O que eu tenho a ver com o seu exame de urina?? Se for atestado é melhor jogar fora!! Ce sabe que eu não to podendo te aposentar….

*Rosinha: Ai meu deuso, joguei o paper da Celina fora. Corre mãe, vamo lá procurar!!

*Deusdete: Eu vou, mas eu vou vortá e a verdade vai ser dita!!!

(Deusdete sai da cadeira correndo com a filha.)

~ Narrador: Ihh Dona Juvelina, é melhor explicar essa história aí pro Seu Genaro!

*Genaro: Que paper é esse que Dosdete achou lá em casa?
*Juvelina: Ah e eu que sei?! Essas duas não batem bem do caculé não, marido! Né verdade seu delegado?

*Basílio: É!!! Que coisa, acaba logo com essa baderna. *passa o facão no chão*

~ Narrador: Vai Padre, finaliza logo esse casório!

*Padre: É me-mesmo! Vamos prosseguir. Pois bem, continuando…. O céu não poderia estar mais feliz nesse momento, em que nesse matrimônio a alegria divina vai ser eterna durante toda a vida desses dois indivíduos que aqui estão em santo sacramento.

O texto do padre é interrompido pela música “Perigosa” das Frenéticas. Todos ficam se olhando até a parte de “Bonita e gostosa…” e a própria Marcilene, perua –brega- chega abafando.

*Marcilene: (mascando chiclete) Que furdunço é esse ein? Monildinho do meu coração, que bão que ocê ainda num caso com esse dragão. Vamo embora!!!,

*Dona Cocota: Eta santo bom! Marcilenia voltou!! Ai mia fia… me dá um abraço!

*Monildo: Como assim, Marcilene? To num investimento! Ficou doida??

*Marcilene: Fiquei ricaaaa! Dei o golpe no baú num fazendeiro aí e tô montada na grana.

*Dona Cocota: Ai que alegria… minhas prece foi atendida!!!

*Marcilene: Vem ser o meu rei do gado, Monildo!! Preciso de alguem pra cuidar do meu dinheiro. Agora eu sou ricaça bem!

*Monildo: Ô minha prenda, era isso que eu queria!!

*Celina: Peraí, que história é essa ein? Que que ocê ta fazendo aqui ein Marcilene??

*Marcilene: Agora meu nome é SHERON! Nome de gente famosa! Olha pra eu seus caipira: veja meus ouro… e ó Celina: fica com esse cruzeiro procê comprar um vestido maior porque já dá pra ver sua barriga de grávida!!!

TODOS SE ESPANTAM.

*Genaro: Como é que é???? Que história é essa muié???

*Marcilene: Ó seu Genaro, a sua fia ta grávida uai… mas o fio não é do Monildo não. ABRE O OIO!

*Genaro: Agora que a vaca foi pro brejo. Minha fia vai ficar com fama…

A noiva Celina fica triste, começa a chorar e sai correndo. Os pais da noiva saem junto.

Marcilene sai com Monildo e a família fazendo a maior farra.

~ Narrador: Que desaforada essa Marcilene ein? Ta pensando que é quem?? E agora? De quem é o filho de Celina?? Como vai terminar esse casório?

*Deusdete: Uai, vai terminar do mesmo jeito que começou: comigo limpando e cramando de dor. Trouxe até a Rosinha pra me ajudar….

*Padre: Eu eu mereço né? Ajudar no que??

*Rosinha: Ajudar a reclamar… uai.

~ Narrador: Ih… lá vem a coitada da Celina!! O que será que vai virar esse casório? O que o senhor decidiu, seu Genaro?

*Genaro: Óia, é mutio dificiu cuida de uma fia e ela não conta as verdade pra nóis. Ela contou pra mim que o pai do fio dela é um tal de Norivalzo. PRONTO, QUEIMÔ A PIRIQUITA!!!
Ô Sô Delegado, o sinhô me ajuda a abuscá esse sem vergonha pra casa mais mia fia?

*Delegado Basílio: Craro, só se for agora! (pega o facão) Vamo lá dá um trato nesse peão….

*Celina: Oia lá em seu delegado. Eu quero um esposo inteirinho eim…

*Juvelina: Viu só o que deu? Foi pisca pro moço errado e agora vai ter que casá!

*Celina: A verdade mãe, é que no começo eu tava com um cisco no olho, mas depois ele me levou pra casa no cavalo dele e me paxonei. O Norival disse que ia embora pra cantá com os famoso.

~ Narrador: Nossa, parece que o Norival já foi capturado! Agora não dá pra escapar!

*Genaro: Pronto fia, esse caboclinho já confessou a arte que fez e até que aceitou a proposta de casar mais ocê!

*Celina: Norival… que bão que ocê não foi embora! Já tinha me arrependido de casar com o Monildo.

*Norival: Pois é, eu não sabia que ocê tava grávida… senão nem tinha deixado você fazer essa doidera. O que importa é que agora ocê vai casar mais eu.

*Delegado: Isso mesmo… e se algo sair errado você se lembra da nossa conversa….

*Padre: Gra-Graças a Deus, tu-tudo deu ce-certo. Vamo termina-nar esse rolo….
Retomando desde onde parei:

Dona Celina de Jesus Bezerra, ocê aceita o sinhô Norival Matusalém como seu esposo pro resto da vida, na saúde e na doença, na alegria ou na tristeza ou até que argum dos dois vai pro cemitério??

*Celina: Sim.

Ta certo!! Ô Seu Norival Matusalém da Silva, ocê aceita a dona Celina de Jesus Bezerra como sua esposa pro resto da vida, na saúde e na doença, na alegria ou na tristeza ou até que argum dos dois vai pro cemitério??

*Norival: Craro que sim.

Então, tá!! Se tiver alguem contra esse casamento, que dá um jeito de falar agora, ou se cale para sempre..

Com a benção de Deus e a graça de Jesus, Maria e José… eu já os declaro, marido e muié. Agora não tem jeito mais de vortá atrás, ocêis dois já tá casados! O noivo pode beija a noiva, mas nada de sem graçeza, tá certo?

? Toca Aleluia

~ Narrador: A lá… a Celina vai jogar o buque… quem será que vai pegar??

*Deusdete fica na frente e pega o buque: Se alguem quiser o buquê, eu to vendendo ein!!!

~ Narrador: Ahh Deusdete, deixa de rolo e arruma um por aí porque vai começar a quadrilha.
Atenção pessoal, pega um par aí e vamos festejar esse casamento!! Não precisa ter vergonha não… aqui é tudo no improviso.. vem se divertir. Faça uma fila atrás dos noivos que o fervo já vai começar.






FrutoProibido.Org é uma criação de Pedruh Henrique. CC | Spam Poison
Caso haja algo que você não concorde, pertence a você ou quer dar uma sugestão, entre em contato.