Rotina

E agora? O que fazer?

Por em |

Para mim não há mais época mais tenebrosa do que o começo do ano, em que todo mundo passa em faculdade ou consegue um bom emprego ou apenas vão seguir um caminho diferente e vão embora. E eu estou me sentindo deixado para trás, mais uma vez. Eu sou aquela pessoa que anima todo mundo e encoraja para abrir as asas e voar, mas eu mesmo continuo aqui, criando raízes. E isso me deixa mal, pois eu quero mais do que tudo a minha liberdade. Porém eu fico sempre dependendo de algo, ora os estudos, ora o trabalho.

Ano passado fiquei me programando para que em 2014 eu pudesse seguir um novo rumo, mas tudo tende a não dar certo. Sim, quem vê pensa que eu fico aqui só reclamando e esperando as coisas cair no meu colo. Mas não, eu tentei e muito, mas eu vou ter que aceitar em ficar aqui mais um tempinho.

Além de alguns problemas, eu preciso terminar um curso de inglês e tirar minha carteira de habilitação, e para isso precisarei de seis meses. Talvez vou ter que adiar a minha nova vida fora na cidade grande por enquanto. Mas espero que nesse tempo eu não fique sentindo a tristeza em ver meus amigos partirem. Até porque eu não posso viver a vida deles, eu quero viver a minha. Ter as minhas escolhas.

Eu queria botar pra fora essa minha frustração, e apesar de ser chato, precisava ser aqui no meu espaço. As vezes eu esteja apenas visando o que eu quero, e esquecendo de aceitar a vontade de Deus. Claro que eu quero muito fazer faculdade, conhecer gente nova e trabalhar em um lugar totalmente diferente, porém eu esqueço que se eu for nesse estado que me encontro, estarei arriscando e tudo vai dar mais errado ainda. Só tenho que aceitar e me convencer disso.

Preciso de um placebo ou uma razão para aceitar esse tempo aqui.
Preciso amadurecer as idéias e me preparar.
Preciso juntar uma graninha para poder viver tranquilo.
Preciso me convencer que tenho x coisas para terminar antes de ir.
Preciso não sofrer com isso.

Minhas metas de 2013

Por em |

Momentos

Todo ano faço minha listinha com minhas vontades para o ano que nasce, mas eu sempre me esqueço de acompanhar e só lembro de fazer isso quando chega o final do ano. E eu fiquei muito feliz, pois consegui cumprir quase todas.

:sad: TIRAR CARTEIRA DE HABILITAÇÃO

Bom essa ainda está em processo… Vai ficar pra 2014!

:mrgreen: FAZER UM CURSO DE INGLÊS

Yes! Consegui completar esse. Agora falta mais um nível e pronto… serei formado em inglês!

:sad: PERDER MAIS PESO

Bom, perdi peso… mas trabalhando em casa a gente fica mais comilão e preguiçoso né?
Vou ter que deixar pro ano que vem!

:mrgreen: CRIAR UM NOVO PROJETO (NO CASO O EXPRESSE IDÉIAS)

Enfim tirei esse projeto do papel e o fiz andar. Se não conhecem ainda, por favor, curtam minha fanpage clicando aqui.

:mrgreen: CONHECER PESSOAS NOVAS

2013 foi um ano de amizades, conheci muitas pessoas que fizeram meu ano muito mais feliz.

:mrgreen: PAGAR TODAS AS PROMESSAS QUE FIZERAM EM MEU BEM

Quando se sofre um acidente e fica na UTI, muitas promessas são feitas em seu nome. Como minha família é muito católica, os santinhos lá do céu não aguentando os pedidos da minha família, eis que me deram outra chance. E sim, cumpri a última promessa que faltava: ir a cidade de Aparecida.

:mrgreen: TRABALHAR MENOS

Sim, consegui trabalhar menos. Como sai do meu trabalho, estou podendo descansar… mas ano que vem quero voltar ao batente e em um lugar novo e cheio de pessoas diferentes.

:mrgreen: SE DIVERTIR MAIS

Me diverti horrores. Fui em muito lugar legal e com pessoas incríveis. Momentos únicos e especiais.

:mrgreen: VIAJAR MAIS

Bom, minha intenção era sair da minha cidade natal, então consegui! Conheci diversas cidades e culturas. Para o ano que vem quero muito viajar internacionalmente. (yn)

:mrgreen: PRATICAR MINHA RELIGIÃO

Nesse ano me firmei na fé e comecei a viver diferente. Comecei a participar de um grupo de jovens e me dedicar mais as atividades da paróquia. Muito bom também!

Bom, foram essas algumas metas. E agora começa as novas que tenho que escrever.
Espero que consigo cumprir a maioria delas.

E você? Teve alguma realização pessoal que foi importante esse ano??
Não tenha vergonha, me conte!! 😉

Depois dos dezoito…

Por em |

Foto: bobsiregar.tumblr.com

Há pessoas que dizem que o nosso paladar muda de dez em dez anos. As coisas que você comia uma década atrás, não te agrada mais como antes. Porém não só o paladar muda. Vejamos, as coisas que você costumava fazer a dez anos, não cabem ao seu cotidiano. As pessoas com quem você costumava conviver, não estão disponíveis para você. Tudo que girava em torno de você nessa época, hoje não existe ou não importa mais. A mudança é diária. Coisas antigas dão lugar a coisas novas.

A vida é fácil e tranquila quando somos novos, pois não há muito o que se preocupar. No máximo, as preocupações giram em torno de qual presente ganhar no aniversário ou natal. O tempo vai passando e as nossas vontades e idéias vão crescendo e mudando constantemente. É muito bom o amadurecimento, mas até chegar nele os desejos são os mais fulos, comparados a hoje em dia para nós, jovens. Não adultos.

Pra falar a verdade, eu não gosto de me denominar adulto. A palavra em si carrega um peso né? Eu acho que adulto é uma pessoa mais velha que eu, e que se acha careta a ponto de não se misturar com a juventude. Sim, tenho complexo de idade. Sim, eu não gosto dos números que equivalem meus anos vividos. Conversando com minha mãe sobre o fim do ano chegando, ela disse que logo será meu aniversário de vinte e três anos. E o susto que tomei? Pensei comigo e morri de vontade de corrigir minha mãe, mas ela estava certa.

Depois que completei dezoito anos, a minha vida que era muito sossegada, começou a tomar um rumo mais acelerado. Aquela idade aumentou a velocidade dos momentos que vivia e quando percebia, o dia já havia virado noite. E a noite havia se tornado outro dia ensolarado e cheio de correria. E até hoje é assim. Se não, pior! Junto vieram as responsabilidades e os clichês da idade. Digamos que fazer dezoito anos me fez perder a ilusão do aniversário. A minha vontade é sempre pular a data e fingir que ainda tenho dois números a menos que o real.

Então se você tem menos que dezoito, aí vai um conselho brega: carpe diem.
Bom, pela primeira vez na vida, carpe diem fez sentido em alguma coisa.

____
E um beijo pra Bruna, do Depois do Quinze :*
Espero que não se importe com a inspiração no título, rs.

3 dicas musicais para inspiração

Por em |

Source: Student Time Management

Como todo mundo sabe, sou designer gráfico e por mais satisfatório que esse trabalho seja, a pressão em alguns jobs e ter sempre a criatividade pronta para uso nos cansa a cabeça um pouco. Para relaxar e inspirar, eu ouço bastante música pra tudo fluir facilmente. A música certa nos alegra e nos dá sensações mais prazerosas e influencia em nossos trabalhos; nos permitindo desenvolver novas idéias e fazer o cliente sorrir de orelha a orelha.

Baseado em minha vida criativa, reuni três dicas de que ouço de vez em quando e quero compartilhar com vocês e saber o que vocês ouvem quando estão precisando de um gás para trabalhar mais animado. Eis as minhas:

1. Lily Allen

Já a indiquei aqui no baú pop e não me canso dos álbuns dela (dois, apenas) e acho ela essencial para meu dia. Não tem um só dia de trabalho que não ouço o It’s Not Me, It’s You completo. Se não o faço, parece que falta alguma coisa. Sério. Lily Allen tem uma voz calma e muito gostosa de ouvir e as melodias de suas músicas pop nos faz parar para prestar atenção a cada instrumento que tem seu destaque e as vezes passa despercebido.

2. Gossip

De pop ao indie underground do Gossip, me rendo totalmente aos vocais insandecidos de Beth Ditto, dos arranjos rocks tresloucados de Brace Paine e as batidas uptempo de Hannah Blilie. Esse é o Gossip que ouço diariamente e me ajuda a relaxar e criar algumas idéias pra lá de animadas. Também com uma discografia curta, o grupo norte americano não deixa a desejar. Ouço bastante o Music For Men e o último lançado, A Joyful Noise, que também é excelente e não sai do meu player. Apesar de indie, o Gossip também tem músicas eletrônicas e que agita todo o lugar, impossível ficar parado ou tentar acompanhar Betinha com seus powers vocals.

3. Coldplay

Se meu coração fosse um cd, com certeza seria algum do Coldplay. Amo muito todas as músicas e apesar da sonoridade tranquila e intrinseca, o grupo todo consegue chamar a atenção e conquistar novos fãs cada dia que passa. Eu confesso que os ouvia esporadicamente, mas depois que lançaram o Mylo Xyloto, minha admiração floresceu e desde então não larguei mais. Passei a ouvir os outros álbuns com o mesmo anseio e ficando mais surpreso com a soma de uma boa melodia e letras profundas. Vale a pena escutar para ter idéias brilhantes.

E você? O que costuma ouvir para se sentir inspirado??
Me conte e indique seus favoritos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...