single

#TGIF! Bonnie McKee – Bombastic

Por em |

Quem lembra da Bonnie McKee? Bem, eu já contei quem é a gata nesse post aqui e sobre a saga de retomar sua carreira como cantora lançando “American Girl” como single e amargurando em um flop sem fim. E claro, com certeza você já deve ter visto esse nome nos créditos de alguma música da sua cantora favorita.

Na verdade eu havia perdido as esperanças com ela. Nem lembrava mais que ela existia. Sério. Mas foi aí que ela nos surpreende e lança “Bombastic” que é uma junção de suor e desespero (vai fazer sentido depois).

Apenas dê play abaixo e aprecie o clipe.

Com um visual retrô que mistura a tv de duas décadas passadas, Jem And The Holograms, Vaporwave e Programa do Faustão (rs), Bonnie é uma professora de aeróbica muito flexível com peitos que soltam tiros em forma de raio laser com fogo, sei lá. A viagem é interessante e me fez ficar preso durante os quatro minutos. A edição é indecente de tão boa, mas certos efeitos deixam a sensação de estarmos assistindo um clipe dos anos 80 com aquela tecnologia bizzara.

A música em si não é grande coisa, tanto que desde o início não me fez ficar tão grudado nela. A sonoridade é algo que lembraria Kesha cantando Roar (da Katy Perry) com uma voz mais doce no estilo de Carly Rae Jepsen. Se você ficar bem atento no refrão pode até arriscar que alguma banda de rock estava tocando lá, mas não. É muita coisa acontecendo, e de um modo estranho que funciona. Ah, e ainda tem uma batida que dá pra chamar a Nicki Minaj e Miley Cyrus pra fazer uns twerks.

Bonnie McKee está prestes a lançar o seu ep intitulado Bombastic, e conta com quatro músicas que podem mudar toda sua carreira pra bem ou mal. Apesar de ter adorado “Bombastic”, creio que não soou tão radiofônica quanto “American Girl” e não senti que a nova faixa deva chegar e permanecer no topo de algum chart. Mas posso estar enganado, pois o clipe vem ganhando a atenção do público que admira as divas pop e tendo um desempenho bacana.

Mas enquanto isso dá pra fazer uma dança menos coreografada e sacudir os ombros e se jogar num twerk nervoso enquanto ouvimos “Bombastic” até que possamos ouvir as outras faixas que vem por aí.

Um beijo pras amigas que ajudam na divulgação.

No iPod: Mariah Carey – Infinity

Por em |

mariah

Depois do sucesso morno de seu último lançamento, Me. I Am Mariah… The Elusive Chanteuse, Mariah Carey volta com um novo single para que todos seus fãs pirassem.

Infinity é uma música que não é diferente do gênero que Mariah pegou e deixou sua marca. Achei muito boa, e confesso que gostei muito mais que todos os singles que ela veio apresentando ultimamente.

Com muitos gritos e notas agudas, Mimi arrasa e vem confiante que esse também será um hit digno de topo. Abusada ou não, a produção assinada por Eric Hudson, conta com arranjos orquestrados á um violino bem elétrico que conduz “Infinity” em alguns momentos chaves. E claro, tem Mimi fazendo o que ela sabe fazer de melhor: falsetear.

Ouçam a música abaixo e assistam ao lyric video fofo que fizeram. Impossível não amar o violino com borboletas, o coração derretendo e o arco-íris ao fim.

Infinity” já se tornou meu vício e eu perco as contas de quantas vezes ouço por dia. A música fará parte da coletânea hedonista de Mariah, onde só terá hits que conquistaram a posição suprema dos charts. Intitulado “Mariah Carey #1 to infinity”, Mimi mostra que não está de brincadeira e quer esfregar na cara das inimigas tudo o que conseguiu.

Enfim, eu adoro que Mariah tenha voltado a parceria com L.A. Reid e espero que ele dê muito palpite certo dessa vez e que venha muita coisa boa por aí. Quem sabe um dueto com Ariana Grande, Beyoncé, Jennifer Lopez…

Adam Lambert está de volta e em uma “Ghost Town”

Por em |

adamlambert

Sim! Adam Lambert voltou e está com seu coração vagando por uma cidade fantasma!

O nosso American Idol favorito lançou seu novo single, chamado “Ghost Town” e que foi produzido pelo hitmaker Max Martin. O resultado não poderia deixar de ser estrondoso né?

A faixa que segue a modinha europop com todos os sintetizadores e uma base trabalhada no house, “Ghost Town” soa acústica e íntima no início, mas a partir do refrão a faixa toma um impulso e se mantém dançante com uma batida envolvente. A letra é simples mas o refrão curto gruda na cabeça e quando você percebe, você já está cantarolando “MY HEART IS A GHOST TOWN”. Para o primeiro single, creio que Adam escolheu bem em apresentar uma faixa mediana e na medida, pois você não cansa de ouvir.

Para impulsionar as vendas do single, Adam soltou um lyric video que na minha opinião, ficou pobre. Achei bem parecido com aquelas visualizações do Windows Media Player, e como designer gráfico não aceito que tenha um conceito “espacial” sendo que podia ter feito algo mais a ver com a música. Enfim… ouça a música abaixo, que na verdade é o que importa:

Desde Trespassing, seu último álbum lançado há três anos, Adam dedicou sua carreira em fazer turnês com a banda Queen, e apresentando todos os sucessos que foram imortalizados na voz de Freddie Mercury junto à formação original da banda, que inclusive estarão no Rock In Rio esse ano. Mais maduro, Adam parece estar mais confiante nessa nova etapa de trabalho, pois com toda a correria da turnê, ainda trabalhou pesado em seu novo álbum, “The Original High”, que irá ser lançado em junho e que além da produção de Max Martin, conta também com a colaboração de Brian May, fundador e guitarrista do Queen e da queridinha do momento, a sueca Tove Lo.

Já prevejo que esse álbum vai ser um dos melhores e um dos que mais vou ouvir durante um bom tempo, pois o Adam consegue a proeza de fazer álbuns balanceados e que ao mesmo tempo que ele te anima com as batidas, ele nos leva a uma calmaria com suas baladinhas e sua voz indescritível. Eu sou fã e assumo que desde que a música foi lançada, já a ouvi mais de 100 vezes, e contando…

E sim Adam, eu te entendo. Eu também sinto as vezes que meu coração é uma cidade fantasma.

No iPod: Francinne – I’m Alive

Por em |

franporto

Para os fãs de Britney Spears, Francinne (ou Fran Porto, como é mais conhecida) não é um nome desconhecido. Famosa por ser uma das melhores covers da princesa do pop, Fran se destaca das outras por fazer o trabalho como “impersonator” há mais de dez anos e sendo reconhecida no Brasil todo.

Com o sucesso de sua perfomance na noite, Fran decidiu seguir na carreira de cantora e gravar um single, “I’m Alive” que foi produzido pelo top produtor Mister Jam, que assinou grandes hits, tais eles pertecentes a Wanessa e Kelly Key. A música vem sendo trabalhada há algum tempo, mas só ganhou notoriedade agora, que integra a trilha sonora da novela das oito da Rede Globo, Babilônia.

Eu encontrei a música por acaso em um site de notícias e desde que ouvi pela primeira vez, não parei mais de escutar. A faixa varia entre o electropop e o house que a gente conhece bem. A semelhança da voz de Francinne com Britney é enorme e as vezes “I’m Alive” soa como uma música na voz de Britney. O refrão é bem chiclete e tem aquela batida de quando um hino explode de boate sabe?

Não conseguiu imaginar? Então ouve abaixo e vamos torcer para que Francinne tenha muito sucesso nessa carreira, porque se depender de mim ela já conquistou um lugarzinho no sol.

Se você curtiu o som da gata, compre no iTunes!

Top 5: Performances de Glee

Por em |

Com o fim da sexta e última temporada de Glee (todos choram), eu me peguei lembrando de grandes e bons momentos da série. Sua qualidade pode ter caído nos últimos tempos, mas é inegável que Glee foi um fenômeno mundial e ainda é, até hoje, um dos principais seriados musicais do mundo. Por isso, confira minha lista de cinco performances preferidas por temporada.

5 – I’LL STAND BY YOU – THE PRETENDERS

(FINN – SEASON 1)
Um momento de silêncio para Cory Monteith. Pronto.
Eu escolhi essa música da primeira temporada pelo simples e único fato de que a cenas que a ilustraram foram incríveis. Finn estava junto com Quinn enquanto essa esperava o bebê que, mais tarde, viria a se descobrir que era de Puck. No episódio tributo ao ator Mercedes deu um show ao apresentar novamente essa música, mas foi a versão original que me fez escolher para o Top 5.


4 – RAISE YOUR GLASS – PINK

(BLAINE E WARBLERS – SEASON 2)
Não é segredo para quem me conhece que Blaine Anderson é meu personagem favorito de Glee. E ao cantar uma música da minha cantora favorita ele elevou o nível de paixão que eu tenho por ele. Fora que a apresentação é incrível e digna de estar nesse Top 5.


3 – ROOTS BEFORE BRANCHES – ROOM FOR TWO

(RACHEL – SEASON 3)
Deixar o amor da sua vida ir embora para viver seu sonho em uma cidade gigantesca e maravilhosa e, pasmem, não ir junto fez de Finn o homem perfeito. Rachel entendeu isso quando o então noivo a deixou na estação de trem para Nova York para que ela começasse a 4ª temporada de Glee. Muito suor masculino saindo dos meus olhos enquanto Finn corria com o trem quando Rachel se despedia.


2 – AMERICANO / DANCE AGAIN – LADY GAGA/ J. LO

(KASSANDRA – SEASON 4)
Diva. Gostosa. Loira. Má. Kate Hudson.
Quando Rachel achava que seria a grande estrela de NYADA ao entrar na faculdade vem a sua professora de dança Kassandra July e mostrou que ela estava na cidade grande e não mais na pequena escola de Lima, Ohio. Uma mashup daqueles dignos de ver e rever.


1 – MAKE YOU FEEL MY LOVE – VERSÃO DA ADELE

(RACHEL – SEASON 5)
Ok. Esse episódio por si só já é demais e me fez chorar, literalmente, do começo ao fim. Porém, há muito mais coisa envolvida quando Rachel canta essa canção. Não é apenas a Rachel personagem que canta pela morte do Finn personagem, mas a Lea Michelle cantando e chorando pela pessoa que ela amava Cory Monteith. E o resto do Glee Club chorando. Foi uma performance incrível.


MENÇÃO HONROSA: DON’T STOP BELIEVIN’ – JOURNEY

(GLEE CLUB – SEASON 1)
Essa não é apenas uma menção honrosa, essa canção não entra na lista do Top 5 pelo simples fato de que ela está acima de qualquer outra performance de Glee. Essa é a música da qual todos os Gleeks lembram quando falam da série. Ela foi reproduzida outras duas vezes durante essas cinco temporadas, mas a original é sempre a original.

Bom, essa são as que não consigo esquecer e as acho inigualáveis.
Mas quero saber as de vocês: quais foram as performances que vocês mais gostaram e vão pra sempre ficarem na sua memória? Diga aí nos comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...