youtube

3 motivos para amar 7/11 da Beyoncé

Por em |

Que Beyoncé é a dona do mundo, todos nós já estamos carecas de saber. Mas a mulher está descontrolada!
Há um ano atrás, a Queen B lançou um álbum de surpresa e dominou 2014 com todas suas “músicas visuais” e nos fez querer ir na turnê mais desejada de todas.

Aí, agora ela lança uma versão de platina de seu álbum e contendo duas faixas inéditas, uma não lançada e vários remixes com participações especiais. Mas o que nos chamou atenção foi o single 7/11 que assim que saiu, veio junto com ele um clipe que uns chamaram de caseiro e outros amador. Mas vindo de Beyoncé, a definição não importa.

Tanto a música quanto o vídeo não fazem muito sentido. Eis aqui uns motivos para amar (ou não) o novo single da Bionça:

1. Música chiclete

Quer música com letra e sentimento? Ouça Jealous ou Pretty Hurts! 7/11 é uma música chiclete que vai fazer você cantarolar e ficar com a batida frenética na cabeça por horas. E sim, impossível não ficar batendo palma enquanto ela diz “clap, clap, clap, clap, clap it”. Apesar de ter dedo de Jay Z, Nicki Minaj, Pharell Williams e Kanye West por tudo que leva o nome de Beyoncé, 7/11 não foi produzida por nenhum produtor saturado. Bobby Johnson é o responsável pela magia do novo single, e já tem gente da mídia especializada que o nome do alemão veio para ficar. Vamos ver né, porque a faixa é diferente mas não é nada inovador né?

2. Louca? Bêbada?

Bem a vontade com um moleton e uma “cueca”, Beyoncé dança largada e sem compromisso de nada. A meio a loucura, se junta com outras mulheres e dançam, fazem gracinhas e bebem algo dando a impressão que estão festejando algo. Um lado divertido que nem vemos muito nos vídeos da cantora né? Pois sempre ela está contando alguma história de amor, fazendo a mulher incompreendida ou apenas querendo nos hipnotizar com suas coreografias épicas.

3. Vídeo conceitual

História para boi dormir foi essa de que o vídeo foi gravado sem nenhuma produção e conceito. As cenas podem até ser sido gravadas “naturalmente”, mas a coreografia está certinha e a edição muito perfeita. Dizer que foi feito de qualquer jeito e ser “amador”, com certeza não faz sentido. Uma coisa é filmar em casa e jogar na internet. Beyoncé não é boba, e as vezes cansada de tanto tema e histórias que abordou no álbum, quis apenas relaxar e se divertir. Viu a oportunidade e agarrou. Mas resta saber se dessa vez ela saiu na frente…

Enfim, se você ainda não ouviu ou viu o vídeo, tirem suas conclusões:

Taylor Swift está de volta e “Shaking It Off”

Por em |

Dois anos depois de “Red”, Taylor Swift está de volta! A queridinha do charts está voltando com o seu novo álbum, 1989 e diz: “Estive trabalhando nele por dois anos, e gosto disso, porque é um tempo para crescer e mudar suas prioridades, seu cabelo, suas influências… E mudar sua música. Esse é oficialmente meu primeiro álbum pop.”

Figurinha carimbada em premiações e no topo da parada da Billboard a ex-cantora country vinha dando pistas que, na ultima segunda–feira (18) iria através da sua videoconferência na ABC, em parceria com o Yahoo; liberar seu novo single. Muito se falava sobre o possível adiamento do novo álbum de Taylor, já que outra estrela teen está para fazer o lançamento de seu novo álbum (Ariana Grande) que também são da mesma gravadora. Mas nada impediu aparentemente que Taylor lançasse “Shake It Off”, que é produzida por dois já conhecidos do último trabalho da loira: Shellback e Max Martin; que tem em seus currículos nomes como Britney Spears, Kesha, Katy Perry, Usher e Maroon 5, e hits como “Baby One More Time”, “Scream” e “One More Night” .

A música tem aquela clássica e gostosinha batida pop e grande destaque no trompete. Na letra, Taylor realmente brinca com a visão que as pessoas possuem dela, deixando-a realmente leve, chiclete e divertida. Com oito anos no mercado fonográfico, ela aprendeu a não se levar tão a sério e “Shake It Off” está fadada ao sucesso. Veja o clipe:

Com novo corte de cabelo e linda como sempre, Taylor disponibilizou o clipe em sua conta na Vevo e é isso: agita em vários estilos de dança, brinca no Ballet, se sente no Hip Hop, vai de Contemporânea á Líder de Torcida, Ginástica Rítmica ao Eletro e se rende até ao queridinho do momento, o Twerk! Simplesmente se divertindo e sendo Taylor em todas as caracterizações, a sutileza e descontração presente faz você perder a conta de quantas vezes assistiu o clipe e até pode se pegar dançando.

Seja conhecida por seus inúmeros namorados famosos, seus milhares de prêmios (mais de 150 indicações), sua carreira de sucesso, sua beleza indiscutível, seu talento como cantora ou compositora, sua paixão pelos fãs ou pelas suas turnês de sucesso, Taylor Swift está de volta mais Pop, mais anos 80, mais audaciosa do que nunca me arrisco até a dizer que já é o “come back” do Ano.

Uma certeza? Os Haters vão odiar, odiar, uhum, uhum…


“I’m back! More pop than never!”


Gabriel Félix
Aspirante a escritor, emocionalmente vintage, Mineiro, leonino, 16 anos. Apaixonado por musica, livros, moda, filmes e séries, fotografia e teatro.


Cuidado: Fancy é viciante!

Por em |

Eis aqui algumas informações para você saber antes de viciar numa música:

1. Não é pop. Não é rock.
2. É um hip hop dançante.
3. Tem uma batida envolvente e diferente.
4. Conta com o feat maravilhoso da Charlie XCX.
5. Refrão chiclete: check!
6. A música fala sobre o glamour de ser uma garota extravagante.
7. Fancy tem um clipe incrível inspirado no filme “As Patricinhas de Beverly Hills”
8. O clipe trouxe outra cara a música, isso é fato!
9. Se você não conhece, vai viciar.
10. Se já conhece, vai querer ouvir de novo.

I-G-G-Y!

Iggy Azalea é uma das rappers mais lindas e que não fazem questão de serem machonas e metidas a falar mal dos outros. Ela chega queitinha e já está conquistando seu espaçinho. Estou ansioso pelo o novo álbum.
E aí? Curtiram?

Paris Hilton só quer curtir

Por em |

Paris Hilton

A vida de Paris Hilton deve ser muito chata e monótona né? A loira já foi modelo, atriz, escritora, cantora, presa, estilista e agora anda atacando de dj. Como dinheiro não é problema para ela, Paris tava cansada de viver nos shoppings e tratou logo de ressucitar a sua carreira de cantora. Como alguns sabem, a socialite já lançou um álbum que apesar de não ser relevante, adoramos e já até postamos aqui no blog, porém o sucessor de “Paris” promete ser feito para as baladas e pista de dança sendo todo trabalhado na house music.

Good Time, foi escolhido como primeiro single e o clipe já circula na net. A música foi escrita pela própria Paris Hilton e conta com o feat. (indispensável) de Lil Wayne. A música foi produzida por Afrojack, que é um dos produtores de Pitbull. Com apelo eletrônico, a patricinha não pensou duas vezes em botar um feat médio com um produtor bacana para seu single de retorno.

Apesar do arranjo soar perfeito, a voz de Paris não tem presença e não se destaca em momento algum. Good Time tem uma batida que nos anima porém a letra não é nada demais que lixo. Paris só quer curtir esse momento com muita festa e badalação. O clipe não podia ser diferente da música…

Vou considerar essa música chiclete: sem conteúdo e gruda na cabeça. Eu estou ouvindo a música há bastante tempo, e acho o que me hipnotiza é essa voz despretensiosa da Paris não querendo ser Mariah, e sim, ela mesma. E o clipe é bem bonito, lembra bem o verão e quem não gosta de ver a loira só de biquini sensualizando na piscina com seus “amigos”?

Agora vamos esperar e ver se esse cd sai ou não sai… porque se depender de $$, a gente sabe que esse álbum será #1.

Músicas para fazer meninos chorarem

Por em |

Diana Vickers

Da atualidade, Diana Vickers é a cantora britânica que mais gosto. Desde que a conheci em meados de 2010 não larguei mais. O pop doce e meigo de Vickers me conquistou de tal maneira que não consigo contar quantas vezes ouvi seu álbum de estréia, Songs from the Tainted Cherry Tree e todos as músicas vazadas desde então.

Para vocês entenderem, Diana participou do X Factor, e apesar da popularidade não venceu a temporada, mas se saiu bem, pois assinou contrato com a RCA e lançou seu álbum. Porém, ela se sentiu bastante pressionada e quebrou o contrato com sua gravadora pois dizia gerar conflito de idéias. Independente, ela foi contratada por uma gravadora menor, mas que deu seu devido valor e total controle das músicas. Com tudo nos conforme, Diana gravou e estará lançando daqui uns dias seu segundo álbum, Music To Make Boys Cry, que também é o nome da música que quero que vocês ouçam hoje!

Music To Make Boys Cry não é tão nova para os fãs, até porque a própria Diana já havia liberado para audição em 2011 e eu cheguei a postar sobre ela no dia, mas só “agora” que ela vai ser realmente lançada como single e já conta com um vídeo fofo. Vejam:

Diana Vickers é assim! Toda menininha, fofa, serelepe e docinha.. não tem como não se apaixonar, né? A música é uma graçinha e quando a coloco para tocar, fica no repeat por horas. Impossivel enjooar. Caso não a conheçam ainda, fica a dica! Em breve o álbum será lançado e iremos postar aqui.

O primeiro single do álbum foi Cinderella, que também segue a linha pop mas porém com uma batida mais retro. Tem um refrão grudento e impossível ficar parado ouvindo. Ótima para quem ama britpop.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...